terça-feira, 17 de março de 2009

Para Evangelizar "Vale-Tudo"?

Em resposta ao título desta matéria o "Bispo" evangélico Leandro Miglioli de 33 anos, da Igreja Apostólica Renascer em Cristo diria que sim, que para evangelizar os jovens vale tudo. E neste caso estamos falando de vale-tudo mesmo, pois um ringue foi armado no altar de sua Igreja em Barueri - SP, onde lutadores competiam no primeiro campeonato gospel de luta-livre. No intervalo das lutas o "Bispo" anunciava para os jovens os horários de culto. Tal procedimento se justifica segundo o altor desta bizarra idéia pelo fato de que é uma meneira de se chamar as pessoas para a igreja.
Cremos que tais instituições poderiam ostentar em seus letreiros algo como "Sociedade de Marketing", mas jamais o titulo de Igrejas, pois essas são locais de adoração a Deus. No etanto os gritos de "quem dá mais por fulano!" sobressaem ao nome de Jesus, o dinheiro das apostas ultrapassam as 30 moedas pelas quais o Cristo foi vendido segundo a crença cristã. E como novos Judas este antro pérfico de falsos religiosos se alastra como uma metástase.
Pergunto a você amigo leitor, o que você acha que Jesus pensaria de tudo isso se estivesse aqui em corpo entre nós? O que de semelhante tem tal procedimento com os ensinamentos do Messias tais como oferecer a outra face ou não fazer ao outro o que não gostaria que fosse feito a você? Desapareceu há muito por trás dos valores de dinheiro arrecadados por tais instituições.
Chegamos a conclusão que infelizmente no cristianismo protestante atual infelizmente vale-tudo.

quinta-feira, 12 de março de 2009

A Inquisição do Século XXI


"A mulher é a porta do inferno", diz um antigo provérbio cristão, o qual a Igreja ainda hoje mesmo que veladamente mantem em vigor.
Assim como nos regimes ditatoriais e na "Santa" Inquisição durante o período medieval, podemos hoje perceber que tal linha de raciocínio é bem presente no meio de certas religiões. Isso fica ainda mais claro quando nos deparamos no Brasil, em pleno século XXI com o caso da menina de 9 anos que foi estuprada pelo seu padrasto e como consequencia de tais atos engravidou deste fascínora.
Ao invés de buscar dar suporte psicológico e amparar a menina, a Igreja prefere excomungá-la por ter cometido aborto, sem pensar que se deixasse seu filho (fruto de um ato hediondo também abominável aos olhos de Deus segundo a própria Bíblia) nascer, estaria cometendo o grave pecado do suicídio. No entanto o Bispo D. José preferiu impor a excomunhão sobre uma criança inocente, vítima de um crime bárbaro e condená-la ao inferno, como também ao médico que a auxiliou no aborto, que ampará-la caritativamente como o proprio Jesus o faria. No etanto esta mesma Igreja na pessoa de seu atual Papa Bento XVI chama há algum temo atrás o Islam de "religião irracional e cruel". Bem, quem de fato merece tal título? Nós?
Ao invés de condenar tal menina e seu médico que diga-se de passagem é católico praticante o que fazer com a besta humana do padrasto? O que fazer com a "mãe" (se é que podemos chamar assim) dessa menina, que mesmo ciente dos fatos que ocorriam frequentemente, não colocava seu marido prara fora de sua residência apenas porque precisava financeiramente dele?
Onde está o Cristo bom, fiel e justo que a Igreja Católica Apostólica Romana sempre ensina? Quais são as provas tangíveis dadas por seus clérigos da misericórdia desse Deus e de sua justiça? Só podemos chegar a conclusão que nada mais são que os famosos "sepulcros caiados" citados por Jesus; de bela aparência por fora, mas podres por dentro.
É contraditório que uma instuição que tenha lançado uma campanha a favor da vida seja a favor da morte de uma criança de 9 anos em detrimento de um recém-nascido que ficaria órfão.
Ou a Igreja Católica Romana desce de seu pedestal e seus bispos e papa mostram ser pessoas como todas as outras, passíveis de erros e equívocos, ou continuará sendo o que já tem sido há séculos, um Zubi, caminhando pela terra num corpo desprovido de espírito.

domingo, 8 de março de 2009

Por Baixo do Véu no Dia da Mulher

Caro leitor qual é a primeira imagem que lhe vem à cabeça quando falamos das mulheres muçulmanas? Pessoas cabisbaixas, tristonhas e que são obrigadas por seus maridos a usarem o hijab (véu), sob a pena de serem espancadas pelos mesmo não é? Se você é um dos que mantém esse pensamento arcaico gerado pela TV Globo, o grande cérebro do Brasil, então você está rendondamente enganado.
As mulheres ocidentais que começaram a lutar por seus direitos na década de 70 desconhecem que esses mesmo direitos que tentam a todo custo fazerem ser respeitados, já são propriedade inalienável das muçulmanas desde o século VII.
Além destas questões ainda podemos dizer que grande parte das mulheres no Islam, mesmo que recebecem uma ordem para tirar o hijab não aceitariam, pois é mais um direito que um dever das memas.
Muitas vezes ouvimos dizer que o véu no islam é a marca declarada do machismo imposto sobre elas. Discordamos veementemente, mas não sem base, e é isso que buscamos mostrar neste artigo: Porque uma mulher que se recata em suas vestes e é valorizada pelo que é, e não pelos seus dotes físicos e se mostra apenas para seu marido e aí sim sem restrições, é considerada submissa ao machismo, enquanto aquela que exibe seu corpo em vestes mínimas apenas para ser cobiçada e cair no gosto dos homens e é valorizada apenas pelo seu corpo, não importando sequer o que pensa, essa não sofre os ditames do machismo? Não precisa muito para respondermos essa pergunta. Basta olharmos as mulheres que são valorizadas em nossa sociedade. Ninguém quase ouve falar com tanta frequencia em uma Leda Nagli, em uma Fernanda Montenegro, em Ana Neri e etc. Mas todos sabem quem é a Mulher Melancia, Mulher Moranguinho, Mulher Filé, Mulher Jaca, Carla Perez e a Gretchen. Mas o que tais mulheres fizeram de importante para sociedade para serem recordadas com tanta ênfase? Nada, apenas exibem seus corpos de maneira sensual na TV. Se quer os homens se importam com o que elas pensam ou fazem de construtivo na sociedade. Isso tudo em nome de uma suposta liberdade que degrada o sexo feminino mais e mais, chegando a beirar a promiscuidade.
A mulher muçulmana por sua vez sempre foi considerada em alta conta, tanto que a primeira universiade islâmica foi fundada por uma mulher no Marrocos, houveram também mulheres guerriras no Islam, e mulheres de grande importância tais como Khadija esposa do Profeta Muhamad (S.A.A.S.), Aicha, e também Sumaya uma grande Mártir do Islam e Fátima filha de Muhammad (S.A.A.S.) desta forma podemos utilizando o crivo da razão entender quais mulheres são submissas. As muçulmanas ou as ocidentais? Reflita, analise, e responda você mesmo.

quarta-feira, 4 de março de 2009

A Maldita Teologia da Prosperidade

Uma verdadeira necrose tem tomado conta do cristisnismo protestante, e infelizmente chegou ao ponto de tornar-se uma epidemia e alastrou-se também para o meio católico. A priorização do dízimo à oração ou a espiritualidade que leva o indivíduo para dentro de si, tem sido abandonada em prol do quanto o "divertimento religioso" pode render. Pessoas vão para as suas igrejas porque o Pastor é divertido, ou porque o Padre pula e faz a aeróbica de Jesus, o Vira de Jesus e tantas outras bizarrices... Enquanto se divertem passa-se a sacolinha. E a espiritualidade? Que espiritualidade! Basta se fazer dinheiro para pagar as contas da Igreja e ainda mais a manutenção do carro zero e importado do Pastor. Isso quando este tem carro e chegou sequer a cursar uma faculdade, pois muitos embora preguem que Deus lhe dará tudo que você pedir, não sabem sequer ler direito e tentam a todo custo ganharem a vida sem esforço, sem estudo ou sem um trabalho digno; preferindo para isso aplicarem curandeirismo ou enganarem abertamente o povo, vendendo terrenos no céu ou até mesmo a garantia de salvação. Pede-se dinheiro como se Deus fosse o "Grande Comerciante do Universo" e pudesse ser comprado. Trata-se o Eterno como um produto a ser adquirido, ou como a Lâmpada Mágica de Aladim, pronta para realizar qualquer desejo que se peça. E aí dEle se não o cumprir. Corre o risco de ser abandonado pelo seu "fiel", até que ele encontre outra igreja onde aí sim o Divino atue livremente, como se Ele estivesse preso e agregado a instituições e fosse delas dependente.

Bíblias e mais Bíblias são editadas: A Bíblia da Mulher, Bíblia da Criança, Bíblia Batalha Espiritual e Vitótia Financeira, Bíblia Teen. Enfim... são tantas que perdermos até mesmo o fôlego ao falar. Mas não são todas as mesmas Bíblias, com os mesmos livros? Por que então tanta variedades? Apenas por uma única coisa: comércio. E por falar nisso, é notório o crescimento do mercado religioso na área gospel. Muitos têm enrriquecido às custas dos incautos. Inclusive seus próprios "líderes espirituais". A situação chegou a tal ponto que algumas "empresas do Senhor" já estão percebendo que foram longe de mais e por isso estão recuando um pouco mais. Afinal de contas se tomarem todo o dinheiro de seus "clientes" estes não poderão investir mais de médio a longo prazo, e assim a igreja não poderá investir em mármore carrara para seus altares, madeira de lei para seus pulpitos, cristais para seus lustres e todas as ostentações que segundo eles Deus se apraz. E terão que passar a agir pegando pertences de seus membros tais como dente de ouro, relógio, anéis e etc.
O que mais nos espanta é que Jesus havia alarmado sobre os falsos profetas que viriam, e deu o exemplo de como devem ser tratados os vendilhões do templo. Mas o povo inocente, levado pela retórica destes falastrões são conduzidos como bois ao curral; sendo manipulados ao bel prazer de seus dirigentes.
Nós de nosso lado torcemos para que chegue o dia em que tais pessoas tornem-se independentes intelectualmente e tornem-se livres pensadores e possam exercer tal direito em sua plenitude.