quarta-feira, 4 de março de 2009

A Maldita Teologia da Prosperidade

Uma verdadeira necrose tem tomado conta do cristisnismo protestante, e infelizmente chegou ao ponto de tornar-se uma epidemia e alastrou-se também para o meio católico. A priorização do dízimo à oração ou a espiritualidade que leva o indivíduo para dentro de si, tem sido abandonada em prol do quanto o "divertimento religioso" pode render. Pessoas vão para as suas igrejas porque o Pastor é divertido, ou porque o Padre pula e faz a aeróbica de Jesus, o Vira de Jesus e tantas outras bizarrices... Enquanto se divertem passa-se a sacolinha. E a espiritualidade? Que espiritualidade! Basta se fazer dinheiro para pagar as contas da Igreja e ainda mais a manutenção do carro zero e importado do Pastor. Isso quando este tem carro e chegou sequer a cursar uma faculdade, pois muitos embora preguem que Deus lhe dará tudo que você pedir, não sabem sequer ler direito e tentam a todo custo ganharem a vida sem esforço, sem estudo ou sem um trabalho digno; preferindo para isso aplicarem curandeirismo ou enganarem abertamente o povo, vendendo terrenos no céu ou até mesmo a garantia de salvação. Pede-se dinheiro como se Deus fosse o "Grande Comerciante do Universo" e pudesse ser comprado. Trata-se o Eterno como um produto a ser adquirido, ou como a Lâmpada Mágica de Aladim, pronta para realizar qualquer desejo que se peça. E aí dEle se não o cumprir. Corre o risco de ser abandonado pelo seu "fiel", até que ele encontre outra igreja onde aí sim o Divino atue livremente, como se Ele estivesse preso e agregado a instituições e fosse delas dependente.

Bíblias e mais Bíblias são editadas: A Bíblia da Mulher, Bíblia da Criança, Bíblia Batalha Espiritual e Vitótia Financeira, Bíblia Teen. Enfim... são tantas que perdermos até mesmo o fôlego ao falar. Mas não são todas as mesmas Bíblias, com os mesmos livros? Por que então tanta variedades? Apenas por uma única coisa: comércio. E por falar nisso, é notório o crescimento do mercado religioso na área gospel. Muitos têm enrriquecido às custas dos incautos. Inclusive seus próprios "líderes espirituais". A situação chegou a tal ponto que algumas "empresas do Senhor" já estão percebendo que foram longe de mais e por isso estão recuando um pouco mais. Afinal de contas se tomarem todo o dinheiro de seus "clientes" estes não poderão investir mais de médio a longo prazo, e assim a igreja não poderá investir em mármore carrara para seus altares, madeira de lei para seus pulpitos, cristais para seus lustres e todas as ostentações que segundo eles Deus se apraz. E terão que passar a agir pegando pertences de seus membros tais como dente de ouro, relógio, anéis e etc.
O que mais nos espanta é que Jesus havia alarmado sobre os falsos profetas que viriam, e deu o exemplo de como devem ser tratados os vendilhões do templo. Mas o povo inocente, levado pela retórica destes falastrões são conduzidos como bois ao curral; sendo manipulados ao bel prazer de seus dirigentes.
Nós de nosso lado torcemos para que chegue o dia em que tais pessoas tornem-se independentes intelectualmente e tornem-se livres pensadores e possam exercer tal direito em sua plenitude.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. As salaam aleikum.
    Muito bem colocado a questão. Infelizmente algo que era para ser de Deus foi roubado pelo homem a religião cristã passa por sua pior crise, o protestantismo brasileiro está mergulhado em assuntos relacionados a crimes fazendários e crimes ligados a criança e adolecente.

    A má formação desses indivíduos chamados pastores, faz com que os mesmos sejam reconhecindos como grandes formadores de opnião o que na verdade não o são, uma vez que muitos deles mal possuem 2o grau quiçá um título teológico...

    O Cristianismo virou uma grande marca que rende uma boa grana, mas até quando os fieis ficaram de olhos fechados frente a esse absurdo?

    Jesus deve estar com vergonha dessa gente...

    ResponderExcluir
  3. Prezado Omar,
    Infelizmente há muitas "igrejas" e muitos "pastores" e "padres" que fazem tudo isso que você disse, e me envergonho do que eles têm feito "em nome de Deus". Porém, há muito do que me orgulhar, pois há muitas e muitas igrejas sérias, que pregam a Verdade e não têm se desviado do que Deus nos mandou.
    Não podemos colocar todos no mesmo "balaio de gatos" e dizer que são todos "farinha do mesmo saco".
    Que Deus o abençoe ricamente!!!

    ResponderExcluir