domingo, 8 de março de 2009

Por Baixo do Véu no Dia da Mulher

Caro leitor qual é a primeira imagem que lhe vem à cabeça quando falamos das mulheres muçulmanas? Pessoas cabisbaixas, tristonhas e que são obrigadas por seus maridos a usarem o hijab (véu), sob a pena de serem espancadas pelos mesmo não é? Se você é um dos que mantém esse pensamento arcaico gerado pela TV Globo, o grande cérebro do Brasil, então você está rendondamente enganado.
As mulheres ocidentais que começaram a lutar por seus direitos na década de 70 desconhecem que esses mesmo direitos que tentam a todo custo fazerem ser respeitados, já são propriedade inalienável das muçulmanas desde o século VII.
Além destas questões ainda podemos dizer que grande parte das mulheres no Islam, mesmo que recebecem uma ordem para tirar o hijab não aceitariam, pois é mais um direito que um dever das memas.
Muitas vezes ouvimos dizer que o véu no islam é a marca declarada do machismo imposto sobre elas. Discordamos veementemente, mas não sem base, e é isso que buscamos mostrar neste artigo: Porque uma mulher que se recata em suas vestes e é valorizada pelo que é, e não pelos seus dotes físicos e se mostra apenas para seu marido e aí sim sem restrições, é considerada submissa ao machismo, enquanto aquela que exibe seu corpo em vestes mínimas apenas para ser cobiçada e cair no gosto dos homens e é valorizada apenas pelo seu corpo, não importando sequer o que pensa, essa não sofre os ditames do machismo? Não precisa muito para respondermos essa pergunta. Basta olharmos as mulheres que são valorizadas em nossa sociedade. Ninguém quase ouve falar com tanta frequencia em uma Leda Nagli, em uma Fernanda Montenegro, em Ana Neri e etc. Mas todos sabem quem é a Mulher Melancia, Mulher Moranguinho, Mulher Filé, Mulher Jaca, Carla Perez e a Gretchen. Mas o que tais mulheres fizeram de importante para sociedade para serem recordadas com tanta ênfase? Nada, apenas exibem seus corpos de maneira sensual na TV. Se quer os homens se importam com o que elas pensam ou fazem de construtivo na sociedade. Isso tudo em nome de uma suposta liberdade que degrada o sexo feminino mais e mais, chegando a beirar a promiscuidade.
A mulher muçulmana por sua vez sempre foi considerada em alta conta, tanto que a primeira universiade islâmica foi fundada por uma mulher no Marrocos, houveram também mulheres guerriras no Islam, e mulheres de grande importância tais como Khadija esposa do Profeta Muhamad (S.A.A.S.), Aicha, e também Sumaya uma grande Mártir do Islam e Fátima filha de Muhammad (S.A.A.S.) desta forma podemos utilizando o crivo da razão entender quais mulheres são submissas. As muçulmanas ou as ocidentais? Reflita, analise, e responda você mesmo.

Um comentário:

  1. As ocidentais são fúteis, só fazem oq manda as revistas e a TV, são escravas do marido pq ficam lendo matérias do tipo "como agradar seu parceiro na cama", têm q ter dupla jornada de trabalho do contrário são vagabundas, podem ser boas em tudo o que for e dirigir melhor do q os homens, mas os homens nunca reconhecerão. As muçulmanas falam várias línguas, têm diplomas; sabem que a capacidade intelectual é o que importa.

    ResponderExcluir