quarta-feira, 24 de junho de 2009

Até Onde Vai à Liberdade de Expressão

Vivemos em um país livre, laico, onde fora o período da ditadura sempre foi permitida a liberdade de imprensa e de expressão. Se assim não fosse, mesmo este texto não poderia ser escrito, pois dependeria do crivo de um governo repressor.

A liberdade de expressão no Brasil chega a ponto de a altoridade máxima da nação, o Presidente da República ser parodiado em programas humorísticos. Mas até onde vai o direito à liberdade de expressão e passa-se à calúnias, difamações, apologias ao crime, intolerância religiosa e outras coisas mais? A pseudo liberdade dá lugar ao abuso e ao desrrespeito.

Um caso claro e que serve muito bem para ilustrar o que digo aqui é justamente o fato de vermos na mídia deturapções de acontecimentos em prol do sensacionalismo ou imposições de idéias. Hoje, dia 24 de junho no programa Mais Você da Rede Globo, apresentado por Ana Maria Braga, a mesma recebeu uma estudiosa sobre o Iram e um descendente de iranianos, para que falassem a respeito dos fatos políticos ocorridos nesse país. Porém por mais que esta catedrática falasse que tais incidentes são de origem política, Ana Maria Braga fazia questão de colocar a crença, ou seja o Islam como o grande responsável por todos os males no país do Aiatolás, o que fica evidente que isto não procede, pois o problema está justamente no sistema político do país, e não no religioso.

Outro exemplo claro do que este artigo se refere é o dos diversos constragimentos que nossos irmãos muçulmanos passam nas ruas ao andarem com seus trajes árabes e/ou islâmicos na rua, sendo chamados de terroristas, Bin Laden e outros tantos apelidos pejorativos. E tudo isso devido a tão famosa liberdade expressão.



Há algum tempo atrás em um episódio do antigo programa "A Diarista" na Globo, uma charge do Profeta Muhammad foi feita em um quadro o mesmo aparecia semi-nú com diversas mulheres em sua volta, e um dos atores em determinada parte da cena furava esta tela com o dedo indicador simulando o órgão sexual do Profeta. Ao serem questionados sobre o assunto, a produção do programa alegou que além de usarem do direito à liberdade de expressão, estavam querendo homenagear os muçulmanos. Ora, será que se quiséssemos homenagear um evangélico, e fizessemos uma caricatura de Jesus, com diversas mulheres ao seu redor e simulássemos o seu órgão sexual com o dedo, tais pessoas se sentiriam agradecidas por nossa lembranã de seu Mestre? Certamente quenão. Por isso há de se repensar até onde vai o direito de expressão, e onde começa o dever de respeito ao próximo.

Um comentário:

  1. Assalamun Aleikum, irmão.
    Gostei muito de sua colocação; a liberdade de expressão atinge ao povo até mesmo fazendo que ele se divirta as custas de sua própria miséria e dos seus governantes. Cada vez mais tenho certeza que o problema está lincado a falta de educação, informação, entre tantos outros agravantes em nossa sociedade e no mundo. Cabe a nós fazermos nossa parte por mais difícil que seja, principalmente no que diz respeito a divulgação do sagrado Alcorão. Ah, e o velho ditado: os direitos de um indivíduo terminam quando começam o do próximo.

    ResponderExcluir