sábado, 18 de julho de 2009

Isto É... Islamofobia.

Este Artigo está sendo escrito de acordo com parágrafo 5º do Artigo 5º da Constituição Federal que diz: "É assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à Imagem".

Hoje ao abrir minha caixa de e-mail, fui supreendido com um que notificava a respeito do lançamento de um livro no Brasil, escrito por uma jornalista americana de nome Sherry Jones. Neste intitulado "A Jóia de Medina" e publicado em terras brasileiras pela Editora Record a autora distorce fatos históricos comprovados por ahadice (coleção de ditos do Profeta Muhammad e seus sontemporâneos) e diversas outras fontes. Dentre os tremendos disparates Shery Jones diz que Aisha, a esposa mais nova do Profeta Muhammad (S.A.W.S.) casou-se com ele apaixonada por outro pretendente e relata alguns dizeres - falsos diga-se de passagem - em que Aisha beira a imagem de uma prostituta. Não satisfeita a autora ainda diz contrariando a si própria que Aisha assim como as mulheres eram tidas em um papel secundário. No entanto afirma que a mesma era uma guerreira e conselheira de seu esposo.

Porém se não bastasse apenas o tal livro que além de ser blasfemo, islamofóbico e anti-ético o jornalista brasileiro Francisco Alves Filho, da revista Isto É, assume um ar ainda mais irônico e calunioso em sua matéria, chegando ao ponto de dizer que radicais islâmicos estavam protestando a respeito do livro. O que nos espanta sinceramente seria se ninguém o fizesse, pois diferente de diversas outras religiões os muçulmanos buscam honrar e seguir o que aprendem em seu livro sagrado. E não há radicalismo em se lutar de forma pacífica pelo que se crê, e tudo obviamente dentro da ética, o que notoriamente faltou ao senhpr Francisco Alves Filho.

Tais atitudes abomináveis levam a um movimento em que muçulmanos de todo o Brasil declararam um boicote à Revista Isto É que publicou tal matéria tão preconceituosa e também à Editora Record responsável pela publicação do livro.

O mais revoltante na revista é que além de tal matéria, em outra um certo cientista inglês é chamado de "O Profeta da Imortalidade". Vejam como os valores de fato estão invertidos.


Por isso estamos aqui ajudando nesta manifestação pacífica, porém não menos eficaz contra estes meios de comunicação que têm provocado um desserviço à sociedade.


Boicote

Como os muçulmanos e simpatizantes do Islam podem ajudar?

  1. Não entrando nos sites da Revista Isto É e nem da Editora Record, de modo a não gerar lucro para os mesmos em forma de page views.

  2. Não adquirir qualquer livro da Editora Record ou comprar a revista Isto É. Aos que forem assinantes recomendamos o seu cancelamento.

  3. Desencorajar a compra do livro a algum interessado, bem como de qualquer produto da referida editora ou da revista.

  4. Manifestar seu repúdio através do e-mail cartas@istoe.com.br aos cuidados de Goreti de Queirós ou pelo faz: (11) 3611-7211 como também para a Editora Record para editorial@record.com.br . Sempre agindo de forma islâmica e buscando a melhor argumentação.

  5. Recomendamos ainda enviar com cópia para uni@uniaoislamica.com.br e para info@wamy.org.br .

Lembremos o que o Profeta Muhammad (S.A.W.S.) nos ensinou quando disse: "O dia em que minha nação não disser ao injusto que ele é injusto então pode desistir dela". E disse ainda: "Nada deve impedir um homem a dizer a verdade se souber que é, e saibam que o melhor tipo de jihad (empenho) é uma palavra de verdade dita a um governador tirano".

Nenhum comentário:

Postar um comentário