domingo, 7 de março de 2010

Manifesto à Nação Brasileira



Cidadãos Brasileiros
Salam Aleikum wa Rahmatullahi wa Barakatu!
(Que a paz, a misericórdia e a benção de Deus esteja com vocês!)
Sabemos que desde o pseudo descobrimento de nossa pátria, seus exploradores jamais tiveram a real intenção de fundar uma nação, mas de extrair todos os recursos naturais que tivéssemos até que chegassem à escacez. assim teriam todo o lucro possível e então iriam embora, deixando aos reais donos da terra, ou seja, os nossos índios em difícil situação. Desta forma o Brasil já começou sua existência "civilizada" tendo suas benesses tomadas por aqueles ganaciosos conquistadores que já tinham muito e queriam cada vez mais em detrimento daqueles que tinham o suficiente para a sua subsistência, tirando da natureza tudo o que precisavam, mas preservando-a e deixando-a intacta. É interessante como o homem de então dito "não civilizado" sabia viver harmoniozamente com o seu habitat natural enquanto os ditos civilizados tiranamente depredavam tudo o que viam pela frente. E ainda hoje tem sido assim.
Hoje o que vemos são os governos federal, estadual e municipal se afundando dia após dia continuamente nos dejetos putrefactos da imoralidade, da desonestidade, da falta de hombridade e da corrupção. Muitos são os políticos que discursam nos horários eleitorais com bela retórica mas sem nenhum senso de compromisso. Prometem o que já sabem de antemão que não irão cumprir. Para estes basta roubar descaradamente os cofres públicos onde o povo brasileiro já tão enganado e massacrado deposita as suas tão suadas contribuições. Digo roubar pois não há qualquer palavra mais branda para aqueles que tiram o leite das bocas das crianças carentes, para poderem sustentar seus caprichos, e para não deixarem faltar o "sagrado" caviar em suas mesas. Enquanto isso os cidadãos brasileiros, morrem de fome e também por balas perdidas, enquanto seus governantes transitam pelas ruas com seus carros blindados. Tais parasitas sociais sugam tudo que lhe for de proveito e que estiver pela frente, podendo ao final de poucos anos se aposentarem.
Já a mídia brasileira através de todos os seus meios de comunicação parece contribuir mutuamente para um processo de aculturação do povo brasileiro, levando música de má qualidade com conteúdos vazios e muitas vezes pornográficos, ou ainda com um português que ofende profundamente a norma culta de nosso belo idioma. Tudo isso gera indivíduos sem a menor consciência política ou cultural, o que é altamente benéfico para aqueles que querem continuar sua carreira criminosa junto às suas quadrilhas, utilizando títulos pomposos tais como: Ministros, Senadores, Deputados, Vereadores e Prefeitos.
Diante de tudo isso o povo brasileiro conformista e apático assiste a sua derrocada sem fazer coisa alguma esquecendo que segundo a nossa Constituição Federal, "todo poder emana do povo".
Não se deve partir para o radicalismo de uma luta armada por exemplo, pois segundo a nossa crença Deus não aprova os agressores. Porém deve-se entrar no campo de batalha de forma pacífica, porém ativa: exigindo seus direitos, e abandonando desde já o famoso mas nefasto "jeitinho brasileiro", cobrando a todos os politicos que estão atualmente no poder o que devem fazer e pedindo inclusive prestações de contas. E caso não o façam, lembre-se de divulgá-los entre amigos ou menos na mídia se tiverem a possibilidade, para que sejam esquecidos nas próximas eleições, assim como esqueceram os seus eleitores. Não votem mais naqueles conhecidos como os que "roubam mais fazem", ou "roubam menos". Políticos são colocados no governo para administarem bem nosso país, estado e munícipio e não para serem bandidos engravatados. 2010 é ano de eleição. Se todos nós passarmos a anular os nossos votos, estaremos mostrando aos governos do Brasil a nossa insatisfação, e assim insha'Allah (se Deus quiser) poderemos mudar este quadro.
Lembre-se do velho adágio de D. Quixote: "Sonho que se sonha só é apenas um sonho, sonho que se sonha junto torna-se realidade".

Nenhum comentário:

Postar um comentário