terça-feira, 27 de abril de 2010

A Incoerência Entre Pensamento, Palavra e Ação: A intolerância do Neopentecostalismo

Este ano, no mês de fevereiro o Centro Islâmico do Ceará recebeu por e-mail uma ameaça não apenas para seu local de reunião, porém para todo o Islam e todos os muçulmanos brasileiros. No e-mail enviado - que demonstrava a falta de educação escolar recebida pelo autor, uma vez apresentavam vários erros de portugês - o seu remetente dizia ser membro da Igreja Universal do Reino de Deus como aparece também em seu endereço de e-mail como podemos ver na figura abaixo.


Ao fim do e-mail o mesmo ameaça incendiar o Centro Islâmico, e põe a figura de uma Mesquita pegando fogo. E termina dizendo que o Brasil, país da liberdade não vai deixar que o Islam permaneça aqui, e ameaça a todo muçulmano que sair nas ruas à noite.
Isto demonstra a que ponto já chegou a intolerância religiosa contra o Islam, e como tais agressores são incoerentes quando as mensagens pregadas por eles em palavras, mas repudiadas em suas ações.
Cremos que esta "síndrome de Nero" seja também incentivada por símbolos de diversas instituições religiosas protestantes - obviamente sendo tal incentivo psicológico subliminar. Não que as mesmas - como as que aparecem aqui representadas - incentivem tal ato, porém outras até o fazem. Mas é comum vermos logotipos com a cruz incendiada, como veremos a seguir. O que nos remete também ao grupo sectarista e racista americano conhecido como Ku Klux Klan, que mata judeus, negros, muçulmanos e imigrantes. Vejam as fotos e tirem suas conclusões:

Um grande avanço porém já ocorreu no Brasil desde que foi fundada a Comissão de Intolerância Religosa. E certamente cremos que tais casos não ficarão impunes.

Há inclusive aqueles que escrevem matérias ou tais tipos de ameaça, tentando se respaldar na lei da Liberdade de Expressão. Porém esta só é válida se não for contra as outras leis já pré-estabelecidas. Todavia muitos por desconhecimento ou má fé andam no limiar entre o direito da livre expressão e o crime da Intolerância Religosa, da Calúnia e da Difamação.

Enfim, se esta é a forma de fazerem o povo a aderir a "verdade evangélica", certamente não o farão, pois não era isso que o honrado Profeta Jesus (A.A.S.) ensinava.

A verdade sempre teve como inimigos aqueles que querem manipular idéias próprias e divinizá-las, nem que para isso seja necessário atribuir estas mesmas idéias a homens tão renomados como os Profetas por exemplo.

Leitor, pense... o que vemos hoje são os reais ensinamentos de Jesus (A.A.S.)? Somos nós os terroristas? Jesus aprovaria tais atitudes? Não seriam tais religiosos agentes de Satã? Lembre-se do que Jesus (A.A.S.) disse em seu Evangelho: "Nem todo aquele que me diz Senhor, Senhor entrará no Reino de Deus, mas aquele que faz a vontade de Deus".

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Auxílio-Reclusão, mais uma injustiça social

De acordo com a Lei nº8.213, de 24/07/1991, Decreto nº3.048, de 06/05/1999 e alterações posteriores, o Auxílio-Reclusão é um benefício aos dependentes do segurado recolhido à prisão, durante o período em que estiver preso sob regime fechado ou semi-aberto.

Pasmem, caros leitores!

Enquanto um chefe de família honesto trabalha duro o mês inteiro, feito um burro de carga, para ganhar um salário de míseros R$510,00 (quinhentos e dez reais) para sustentar a si mesmo e a sua família, o bandido, na prisão, tem direito ao "Auxílio-Reclusão", um benefício para seus dependentes no valor de R$798,30 (setecentos e noventa e oito reais e trinta centavos).

Mais uma prova da injustiça social em que vivemos, onde o criminoso possui vantagens que o trabalhador honesto não possui!

Aí, vem "aquele povinho" querendo se fazer de "caridosos com dinheiro alheio", dizendo que os dependentes dos marginais não têm culpa das atitudes criminosas dos mesmos e que merecem ter assistência social... E os filhos dos milhares de trabalhadores honestos? Não teriam eles o mesmo direito? Por que esposas e filhos de bandido têm direito a assistência e os dependentes do trabalhador honesto não têm?

O que o sistema deseja do povo? Mais bandidos e menos trabalhadores? É o que parece!

Já não basta que estes "sanguessugas sociais" tenham casa, comida e roupa lavada às custas do povo? Já não basta que nada fazem de produtivo para a sociedade? Eles ainda têm direito a um salário privilegiado, maior que a renda bruta de muita família de bem... Onde é que vamos parar?

O Governo Federal tem um jeito "muito especial" de cuidar do povo:

Bolsa Família: "Não trabalhe! Nós lhe daremos uma "esmola mensal" para que você se acomode no ócio e no desemprego!"
Bolsa Escola: "Ponha cada vez mais filhos no mundo! Aumentaremos um pouco a esmola que você já recebe no Bolsa Família, para que você além de vagabundo se torne um pai irresponsável que põe filhos no mundo sem se preocupar com o futuro deles, com que qualidade de vida eles terão!"

Auxílio-Reclusão: "Seja bandido! Para que trabalhar duro o mês inteiro para ganhar R$510,00 se você pode ter casa, comida, roupa lavada e ainda um salário para sua família no valor de R$798,30?"

Este é o Governo do Brasil! Sempre preocupado em "se fazer de bonzinho" e "ter boa imagem no exterior"... Eles querem trazer turistas para o Brasil... Turistas que, se precisarem de socorro, morrerão nas filas dos hospitais públicos! Turistas que quando olharem para o lado, verão crianças e velhos jogados nas ruas passando as piores humilhações! Turistas que serão atacados por brasileiros famintos que, desacreditados de qualquer esperança, se viraram para o mundo do crime...

Para que fazer "obras gigantescas", gastar dinheiro público com "fachadas para turistas" se nada disso vai adiantar caso estes mesmos turistas abram seus olhos para a realidade do Brasil???

Caros leitores, não pensem que há algum interesse político para que esta realidade melhore, pois povo semi-analfabeto, subnutrido e doente é mais fácil de governar! Basta fazer os "Bolsas e Auxílios" e todos ficam felizes!
Infelizmente este é o futuro do Brasil... NENHUM!

"Auxílio-Reclusão", mais uma para fazer você pensar!!!

domingo, 18 de abril de 2010

O Brasil de Hoje e o Califado



"A religião é o ópio do povo". Karl Marx certamente teria dito sua célebre frase de forma muito diferente se conhecesse o povo brasileiro, pois para este, o futebol, a cerveja, o churrasco e óbviamente a religião são as diversas doses de ópio do povo.

Estava passando pelas ruas desertas do Rio de Janeiro e de vez enquando ouvia-se ecoando das casas o grito de Gol. Em alguns bares, homens e mulheres assistiam à uma única e pequena TV na qual passava um jogo de futebol. Como não podia deixar de ser, a cerveja está sempre presente sobre a mesa. Tal situação então me levou a refletir e cuminou neste artigo.

Temos quatro anos de uma Copa do Mundo à outra. Também são quatro os anos que um político eleito por nosso precioso voto passará no poder. Porém acompanhamos muitas vezes os passos da Seleção Brasileira, discutimos nas ruas como se fossemos técnicos, e quando chega a Copa... tudo é festa. As pessoas se vestem de verde e amarelo e o Brasil literalmente pára quando nossa Seleção está em campo. Vibramos, torcemos, nos chateamos, enfim, nos emocionamos. O sentimento fica a flor da pele. Neste momento, e apenas ,o brasileiro se torna patriota. Mas por que isso não ocorre quando o assunto são as eleições? Por que não se acompanha durante os quatro anos que um parlamentar, presidente, governador ou prefeito estão em seu período de mandato, as suas ações meritórias e os seus deslizes? Simples: Porque para isso seria necessário tomar consciência de suas responsabilidades! Nosso povo está habituado a reclamar todo o tempo de nossos políticos, porém a negligência pesa sobre os ombros tanto dos governantes como do povo que assiste a sua derrocada de forma patética e conformista.

Certamente Karl Marx ou não conhecia ou então sabia muito pouco sobre o Islam quando disse tal frase, pois ao contrário do que se imagina o Islam não é apenas religião. Não se separa a religião dos assuntos do Estado ou da Ciência. Possuímos um sistema político, educacional, moral, penal, econômico integrados e muito mais. Por isso o muçulmano deve estar sempre "antenado" no que acontece ao seu redor. Deve cobrar as providências prometidas e não cumpridas. E em contrapartida deve cumprir para com seus deveres.

2010 é ano de eleição e de Copa do Mundo. Momento perfeito para serem realizadas diversas ações "por debaixo dos panos" enquanto o povo estará entretido com futebol e cerveja. Muitos comparecerão certamente à praças para diante de um telão vibrarem pelo Brasil vestidos com roupas na cor de nossa bandeira. Mas quem estará disposto a demonstrar o mesmo civismo na hora das eleições? Quem assitirá com igual atenção o horário político para saber a proposta de candidato, e caso ele seja eleito cobrar dele as suas já conhecidas promessas eleitoreiras? Se agimos como técnicos com nosso time, nossa seleção, está na hora de passarmos a "orquestrar" também a política em nosso país. Talvez você leitor possa pensar: "iii... lá vem outro querendo se eleger..." O fato é que eu não teria estômago para tuar num campo como a nossa política, já degradada e putrefacta. Não obstante sou a favor de uma outra forma de governo tão antiga, mas com aplicações tão práticas e modernas, mas a qual o mundo ocidental pouco conhece. Mesmo que já tenha lido em seus livros acadêmicos de história. Chama-se Califado. O Sistema de Califado devolve ao ser humano a sua dignidade e o status de custódio do resto da criação, tomando suas responsabilidades para si e exigindo seus direitos. Sejam estes para muçulmanos e não muçulmanos. Alguns destes direitos são:


  1. Direito à vida;

  2. Direito à propriedade privada;

  3. Direito à dignidade humana;

  4. Direito à privacidade;

  5. Direito à igualdade perante à lei;

  6. Direito às necessidades básicas;

  7. Direito à liberdade religiosa;

  8. Direito à liberdade de expressão...

Estes são direitos que funcionam na prática em um Estado Islâmico, e não mera tinta no papel como vemos no Brasil.
A religião no Brasil também tem sido motivo de grande alienação ao que está ocorrendo no mundo de forma global, como também em nosso país. Antigamente se dizia que abria-se uma igreja pentecostal em cada esquina, hoje encontram-se até 3 ou 4 de uma esquina à outra. É o caso no Rio de Janeiro como na Av. Edgar Romero em Madureira, ou na Av. Brasil em que 2 igrejas Assembléia de Deus encontram-se separadas por apenas 3 casas. Isso é necessário já que ambas são da mesma denominação? Religiões, ordens esotéricas e diversos tipos de organização são criadas a cada dia apenas para satisfazer o ego e o bolso de seus fundadores. Há instituições sérias em todos esses ramos? Certamente. Porém as instituições de caráter duvidoso são mais abundantes que estas. É como achar uma agulha num palheiro.

Com tais instituições vemos diversas pessoas desempregadas, porém servindo ao seu pastor as vezes em troca de uma cesta básica. Algumas dessas igrejas dizem que é pecado assistir TV, ler jornais e inclusive trabalhar fora. Que o homem ou a mulher podem trabalhar apenas para Jesus. E assim a alienação é praticada, a dependência da instituição que diz que "Só Jesus Salva e Liberta" é feita e o ser humano deixa-se escravizar, servindo após isso como motivo de desordem social ao ir para vagões de trens e para as calçadas gritarem em nome de um "deus" antropomorfizado como o vídeo que poderemos ver a seguir: www.youtube.com/watch?v=hlPJvUAbsuE cometendo com isso loucuras e insanidades. Este tipo de imagem certamente é conhecida de todos os leitores de nosso blog. Certamente já devem ter visto tal tipo de abominação pelas ruas.

Está na hora de acordarmos de mudarmos esse quadro, está na hora de nos tornarmos cidadãos conscientes e não mais "ovelhas" a serem guiadas como em um rebanho, deixando que outros pensem por nós e nos manipule.

terça-feira, 13 de abril de 2010

A Nova Cruzada Contra o Islam

As miras usadas nas armas de soldados americanos e britânicos no Iraque e no Afeganistão carregam inscrições com referências a passagens da Bíblia e isso pode gerar uma sensibilidade religiosa por operarem em dois países muçulmanos. "Este é um assunto de grande preocupação para mim e outros dirigentes no Iraque e no Afeganistão, porque realmente revela um conceito de contrário ao que procuramos", disse o general David Petraeus. As inscrições presentes nas miras das armas dos soldados se referem, por exemplo, a versos bíblicos do livro de João (com os dizeres JN - John [JN8:12] e no 2 Coríntios [2Cor4:6]). A Military Religious Freedom Foundation (MRFF), dos Estados Unidos , disse ter descoberto o caso através de uma denúncia vinda de um muçulmano americano. A Trijicon, fabricante de armas americanas e uma das maiores fornecedoras do Departamento de Defesa, disse que as referências bíblicas já são gravadas há anos nas miras. A empresa foi fundada por um "cristão devoto" que afirma administrá-la "sobre padrões bíblicos". As inscrições são sutis e aprecem em relevo no final do número de série das miras. "Não preciso me perguntar nem por um nanosegundo como os americanos reagiriam se citações do Alcorão estivessem inscritas nessas armas em vez de referências ao Novo Testamento"., afirmou Mikey Weinstein presidente da MRFF. Em 2009, o Ministério da Defesa americano assinou um contrato de compra dos produtos da Trijicon, na ordem de US$ 66 milhões. Desde que assumiu a presidência Barack Obama tem tentado convencer o mundo árabe de que as guerras no Iraque e no Afeganistão não eram uma cruzada contra o Islam, mas fatos como este tem estimulado o ceticismo na sociedade árabe e islâmica sobre a veracidadedas intenções americanas.


Fonte: Artigo na Íntegra retirado do jornal A Alvorada editado pela CDIAL.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Quem é Allah?

Ao contrário do que alguns pseudo-religiosos cristãos de linha pentecostal querem fazer crer, Allah não é um deus particular dos muçulmanos e nem mesmo um suposto deus da lua. Aos que afirmam tais sandices carecem claramente deconhecimento, porém estão chafurdados em má fé. O suposto deus da lua a quem os idólatras adoravam no período pré-islâmico em Maka era chamado de Alat. Porém Allah é o Deus único e não pode ser comparado a qualquer outra divindade, até mesmo porque não existe divindade exceto Ele.

O nome Allah quer dizer literalmente "O Deus", e por isso não pode ser flexionado como "deusa", "deuses". Por isso um brasileiro ou um português mesmo falando português prefere se referir a Ele como Allah.

A designação Allah ao contrário do que muitos pensam não é utilizada apenas por muçulmanos. Um judeu, um cristão (mesmo pentecostal) que fale árabe ao se referir a Deus dirá naturalmente "Allah".

Este nome tem origem semítica e é comum inclusive com a língua hebraica e provém da raíz "Eloh", que em sua forma majestática se tornará em hebraico por exemplo "Elohim". Logo Allah é o mesmo Deus bíblico adorado por todos os profetas, desde Adão, passando por Abraão, Moisés, Jesus e Finalmente Muhammad (Que a paz de Deus esteja com todos eles).
O Sagrado Alcorão se refere a Allah na Sura (capítulo) do Monoteísmo Puro (Ikhlas) do seguinde modo:
"Ele é Allah, Único. Allah é o solicitado. Não gerou e não foi gerado. E não há ninguém igual a Ele".
Já na Sura de Abertura do Sagrado Alcorão (Al Fatihah), que é repetida diversas vezes pelos muçulmanos lê-se:
"Em Nome de Deus, O Clemente, O Misericordioso. Louvor a Allah, o Senhor dos Mundos. O Clemente, O Misericordioso. O Soberano do Dia do Juízo! Só a Ti adoramos e só a Ti imploramos ajuda. Guia-nos à senda reta, á senda dos que agraciaste; não a dos incursos em Tua ira nem à dos descaminhados".
Cremos que desta forma contribuímos para que nossos leitores não caiam nos embustes de tais lobos em peles de cordeiro.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Para Onde Vão Nossos Impostos?

Dia 05 de abril de 2010 - O caos já tão previsível com a chegada das chuvas torreciais assolou os estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Embora uma frente fria já fosse esperada, nada foi feito pelas autoridades competentes, mesmo com meteorologistas afirmando que haveria tal fenômeno climático. O fato é que em apenas 12 horas choveu o equivalente a um mês. E quem estava nas ruas percebeu com tremenda decepção o quão relapsos têm sidos os nossos governantes, que estão tão preocupados em fazer obras de fachada que se "esquecem" de dar aos cidadãos os seus direitos básicos como segurança pública e saneamento básico. Ainda assim os memos se preocupam em aparecer para todo o mundo como os melhores anfitriões para eventos internacionais como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Pergunto a você leitor, se acha que o Brasil realmente precisa de tais eventos para aparecer bem no exterior quando aqueles que deveriam lutar para dar melhores condições de vida aos moradores de sua cidade e estado estão olhando apenas para os seus próprios "umbigos".

Não ouvimos falar do Sr. Sérgio Cabral e nem o vemos a não ser em campanhas para promover esta falsa imagem do falido estado do Rio de Janeiro que virou já há muito uma terra sem lei. Por sua vez o prefeito da cidade, Sr. Fernando Paes tem estado tão preocupado com os seus "Choques de Ordem", - mesmo que para isso seja necessário que a Guarda Municipal do Rio espanquem camelôs - que abandona o saneamento público.

Ontem, dia 05 de abril de 2010 eu mesmo e minha esposa pudemos presenciar tal descaso com o povo, pois estávamos há meia-noite na Av. Presidente Vargas no Centro do Rio de Janeiro e o que víamos eram as ruas enchendo cada vez mais, ônibus passavam lotados, alguns sequer paravam. Pessoas do nosso trabalho só conseguiram chegar em casa as 11:00h de hoje.

Em São Paulo a situação não é nada diferente, pois durante este ano, e todo o ano passado diversas foram as notícias nos telejornais denunciando o descado do Governador do estado, Sr. Serra e seu comparsa, o prefeito da capital, Sr. Gilberto Kassab, que só fazem visitas de caráter eleitoreiro às comunidades mais carentes, mas são incapazes de tomarem qualquer providência, e assim caminham de mãos dadas. Enquanto isso o povo, vítima de tais quadrilhas legalizadas vêm suas casas desmoronandos, o número de mortos pelo descaso público crescendo. Porém esteja certo leitor. Este é o ano das eleições maiores (Presidente, Senador, Deputado Federal, Governador e Deputado Estadual), e você pode dar um basta nisso. Não votando na oposição aos candidatos da situação, pois estes não passam de reflexos de seus oponentes políticos, mas VOTANDO NULO, só assim poderemos demonstrar a nossa indignação com o que estão fazendo conosco. E por falar nisso leitor, você já pensoupara onde vão nossos impostos, uma vez que não são aplicados na melhoria de nossa cidade, estado ou país? Lembre-se que você é co-responsável por nossos governantes, pois eles não estariam lá se você não os tivesse posto.
Talvez então você possa perguntar: "E como o Islam resolveria tal problema?". Lembre-se que o Islam possui os Direitos Humanos desde bem antes destes serem decretados no Ocidente. A diferença de ambos porém, é que os Direotos Humano dentro do Islam são de cunho completamente prático e serve para todos do mesmo modo. Par isso conulte o site da Sociedade Beneficente Muçulmana do Rio de Janeiro - SBMRJ, onde poderão saber mais a esse respeito no seguinte link: www.sbmrj.org.br/Atualidades-direitos.htm . Não seja mais um alienado político. Lute pelos seu diretos. Escreva para o Presidente, Senadores, Deputados, Governadores e Prefeitos e cobre providências. Só assim você estará exercitando sua cidadania e construindo um país melhor. Todavia se você se omite, não pode cobrar nada, pois está agindo exatamente igual aqueles a quem pretende corrigir.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Páscoa

Minha esposa estava navegando pela internet hoje lendo aquela "penca" de mensagens que as pessoas mandam aos montes para toda e qualquer pessoa, sem saber se você comemora ou não tal data. É o caso de nós muçulmanos que não comemoramos a páscoa, uma vez que não cremos na morte e consequentemente também não na ressurreição do Profeta Jesus (A.A.S.). Porém algo de muito especial me chamou a atenção neste texto de autoria de Luís Fernando Veríssimo sobre a tradição cristã. O autor foi extremamente sagaz em perceber com riqueza de detalhes como a maioria dos "cristãos" nem sabem direito o que festejam.

Abaixo compartilho o texto com vocês:

Páscoa
- Papai, o que é a Páscoa?

-Ora, Pascoa é... Bem... É uma festa religiosa!

- Igual Natal?

-É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na Páscoa, se não me engano , comemora-se a sua ressurreição.

-Ressurreição?

-É, ressurreição. Marta, vem cá!

-Sim?

-Explica para esse garoto o que é ressurreição para eu poder ler o meu jornal.

-Bom, meu filho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o que aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele ressuscitou e subiu aos céus. Entendeu?

-Mais ou menos... Mãe, Jesus era um coelho?

-Que é isso menino? Não me fale uma bobagem dessas! Coelho! JesusCristo é o Papai do Céu! Nem parece que esse menino foi batizado! Jorge, esse menino não pode crescer desse jeito, sem ir numa missa pelo menos nos domingos. Até parece que não lhe demos uma educação cristã! Já pensou se ele solta uma dessas na escola? Deus me perdoe!

-Mamãe, mas o Papai do Céu não é Deus?

-É filho, Jesus e Deus são a mesma coisa. Você vai estudar isso no catecismo. É a Trindade. Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.

-O Espírito Santo também é Deus?

-É sim.

-E Minas Gerais?

-Sacrilégio!!!

-É por isso que a ilha da Trindade fica perto do Espírito Santo?

-Não é o estado do Espírito Santo que compõe a Trindade, meu filho, é o Espírito Santo de Deus. é um negócio meio complicado, nem a mamãe entende direito.Mas quando você for no catecismo a professora explica tudinho!

-Bom, se Jesus não é um coelho, quem é o coelho da Páscoa?

-Eu sei lá! É uma tradição. É igual a Papai Noel, só que ao invés de presentes ele traz ovinhos.

-Coelho bota ovo?

-Chega! Deixa eu ir fazer o almoço que eu ganho mais!

-Papai, não era melhor que fosse galinha da páscoa?

-Era, era melhor, ou então urubu.

-Papai, Jesus nasceu no dia 25 de dezembro, né? Que dia ele morreu?

-Isso eu sei: na sexta-feira santa.

-Que dia e que mês?

-??????? Sabe que eu nunca pensei nisso? Eu só aprendi que ele morreu na sexta-feira santa e ressuscitou três dias depois, no sábado de aleluia.

-Um dia depois?

-Não, três dias depois.

-Então morreu na quarta-feira.

-Não, morreu na sexta-feira santa...Ou terá sido na quarta-feira de cinzas? Ah, garoto, vê se não me confunde! Morreu nas sexta mesmo e ressuscitou no sábado, três dias depois! Como? Pergunte a sua professora de catecismo.

-Papai, porque amarram um monte de bonecos de pano lá na rua?

-é que hoje é sábado de aleluia, e o pessoal vai fazer a malhação do Judas. Judas foi o apóstolo que traiu Jesus.

-O Judas traiu Jesus no sábado?

-Claro que não! Se ele morreu na sexta!!!

-Então por que eles não malham o Judas no dia certo?

-É, boa pergunta. Filho, atende o telefone pro papai. Se for um tal de Rogério diz que eu saí.

-Alô, quem fala?

-Rogério Coelho Pascoal. Seu pai está?

-Não, foi comprar ovo de Páscoa. Ligue mais tarde, tchau.

-Papai, qual era o sobrenome de Jesus?

-Cristo, Jesus Cristo.

-Só?

-Que eu saiba sim, por que?

-Não sei não, mas tenho palpite de que o nome dele era Jesus Cristo Coelho. Só assim esse negócio de coelho da Páscoa faz sentido, não acha?

-Coitada!

-Coitada de quem?

-Da sua professora de catecismo!

Luís Fernando Veríssimo


Notemos que além do menino não ter realmente uma educação cristã sólida, seu pai ainda lhe ensina mentir. Infelizmente esse é um quadro comum da maioria das famílias "cristãs" brasileiras, tanto católicas como protestantes. Festejam, porém não sabem bem o que. Assim a religião vai ficando cada vez mais longe dos ensinamentos originais dados pelo Profeta Jesus.