terça-feira, 13 de abril de 2010

A Nova Cruzada Contra o Islam

As miras usadas nas armas de soldados americanos e britânicos no Iraque e no Afeganistão carregam inscrições com referências a passagens da Bíblia e isso pode gerar uma sensibilidade religiosa por operarem em dois países muçulmanos. "Este é um assunto de grande preocupação para mim e outros dirigentes no Iraque e no Afeganistão, porque realmente revela um conceito de contrário ao que procuramos", disse o general David Petraeus. As inscrições presentes nas miras das armas dos soldados se referem, por exemplo, a versos bíblicos do livro de João (com os dizeres JN - John [JN8:12] e no 2 Coríntios [2Cor4:6]). A Military Religious Freedom Foundation (MRFF), dos Estados Unidos , disse ter descoberto o caso através de uma denúncia vinda de um muçulmano americano. A Trijicon, fabricante de armas americanas e uma das maiores fornecedoras do Departamento de Defesa, disse que as referências bíblicas já são gravadas há anos nas miras. A empresa foi fundada por um "cristão devoto" que afirma administrá-la "sobre padrões bíblicos". As inscrições são sutis e aprecem em relevo no final do número de série das miras. "Não preciso me perguntar nem por um nanosegundo como os americanos reagiriam se citações do Alcorão estivessem inscritas nessas armas em vez de referências ao Novo Testamento"., afirmou Mikey Weinstein presidente da MRFF. Em 2009, o Ministério da Defesa americano assinou um contrato de compra dos produtos da Trijicon, na ordem de US$ 66 milhões. Desde que assumiu a presidência Barack Obama tem tentado convencer o mundo árabe de que as guerras no Iraque e no Afeganistão não eram uma cruzada contra o Islam, mas fatos como este tem estimulado o ceticismo na sociedade árabe e islâmica sobre a veracidadedas intenções americanas.


Fonte: Artigo na Íntegra retirado do jornal A Alvorada editado pela CDIAL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário