sexta-feira, 16 de julho de 2010

Quem é Jesus Para os Muçulmanos

É muito comum ouvirmos algumas pessoas dizerem que os muçulmanos renegam a Jesus (A.S.) e que para se tornar muçulmano deve-se fazer este ou aquele ato que simbolicamente diz que você estará renegando a Jesus (A.S.). Tudo isso não passa de pura lenda. Lendas que como essas vêm denegrindo os muçulmanos desde a época das cruzadas.

Basta-nos dizer que o nome de Jesus (A.S.) aparece nada menos que 25 vezes no sagrado Alcorão, enquanto o do Próprio Profeta Muhammad (S.A.W.S.) por meio de quem veio a revelação do Alcorão figura apenas 5 vezes. O que torna claro que se o mesmo quisesse se promover as proporções seriam no mínimo inversas. Além disso o Sagrado Alcorão possui algo que mesmo a Bíblia Cristã não possui: um capítulo que recebe o nome da Mãe de Jesus, chamado "Sura Maryam" ou "Capítulo de Maria". Porém os muçulmanos diferente de católicos que possuem adoração pela Virgem Maria, que tentam chamar de veneração ou em grego uma hiperdulia (hiper-veneração) e algumas linhas neopentecostais que a colocam como uma mulher qualquer, os muçulmanos ocupam uma linha intermediária tomando-a como a mulher que foi escolhida e purificada sobre todas as mulheres, mas jamais a adorando, pois apenas Allah é digno de adoração. Diz o Sagrado Alcorão sobre isto:
"E lembra-lhes, Muhammad, de quando os anjos disseram, 'Ó Maria! Por certo Allah te escolheu e te purificou, e te escolheu sobre todas as outras mulheres dos mundos. Ó Maria! Sê devota a teu Senhor e prostra-te e curva-te com os que se curvam (em oração).'" (Sagrado Alcorão 3:42-43).
Porém voltemo a Jesus (A.S.). Vejamos como Sagrado Alcorão fala sobre ele:
"Lembra-lhes de quando os anjos disseram: 'Ó Maria! Por certo Allah te alvissara um Verbo, vindo dEle, seu nome é O Messias, Jesus, Filho de Maria, sendo honorável nesta vida terrena e na Derradeira Vida, e dos achegados a Allah. E falará aos homens, no berço, e na maturidade, e será dos íntegros.'" (Sagrado Alcorão 3:45-46).
É interessante ressaltar que sempre que o nome de Jesus é citado vem acompanhado de títulos honrosos tais como: Hazrat (Venerável), Nabi (Profeta), Rasulullah (Mensageiro de Deus) e diversos outros, o que mostra o respeito que os muçulmanos têm por ele. Também após seu nome são utilizadas as palavras "Aleihi Salam (A.S.)" (Que a paz esteja com ele), utilizado apenas para os Profetas.
Para nós muçulmanos o primeiro milagre feito por Allah através de Jesus (A.S.) após o seu próprio nascimento de uma virgem, não foi o de ter transformado a água em vinho como figura nos Evangelhos Sinóticos, mas a de ter falado quando ainda recém-nascido, como podemos encontrar também no "Evangelho Apócrifo Árabe da Infância (de Jesus)".

Se nos aprofundarmos nas escrituras veremos que em nenhum momento Jesus (A.S.) declarou-se Deus. Pelo contrário, no Alcorão encontramos ele a dizer:

"Por certo, Allah é meu Senhor e vosso Senhor. Então adorai-O. Essa é a senda reta". (Sagrado Alcorão 3:51).
Allah, e obviamente o Islam classifica a adoração a qualquer ser além dEle como idolatria, que é o pecado mais grave que pode ser cometido pelo ser humano.
Na Bíblia também podemos encontrar pontos que deixam isso ainda mais claro. Jesus (A.S.) diz:

"Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos...". (Jo. 4:22).
Ora, se Jesus (A.S.) é Deus, como Deus adorava a Deus?
"Por mim mesmo, nada posso fazer: eu julgo segundo o que ouço, e meu julgamento é justo, porque não procuro fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou" . (Jo. 5:30).
Bem, se Jesus (A.S.) é Deus, como ele por si só não pode fazer nada? Bem e a vontade dele é diferente da vontade de Deus, porém ele procursa fazer a vontade de Deus. Então ele seria Deus?

"Quanto à data e à hora , ninguém sabe nem os anjos no céu nem o Filho, somente o Pai". (Mc. 13:32).
Ora, mas uma vez, como Deus não sabe algo?
"Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão Deus". (Mc. 10:18)
Mas mais uma vez: Jesus não é Deus? Então qual seria o problema de chamá-lo de bom?
Poderíamos citar diversas passagens bíblicas aqui em que torna-se claro que Jesus não é Deus, mas um Profeta de Deus, um Enviado de Deus, O Messias, um Verbo de Deus, mas não Deus propriamente dito.
Embora o Alcorão diga que todos os profetas, mesmo que tenham nascido junto ao povo hebreu fossem muçulmanos, - uma vez que a palavra muçulmano quer dizer "Submisso a vontade de Deus" - se perguntarmos a um cristão qual era a religião de Jesus (A.S.) ouviremos ele dizer que tal Profeta era Judeu. Se ainda assim fosse surgiriam algumas perguntas:


  1. Se Jesus (A.S.) era judeu, e praticava o Judaísmo, então seus discípulos não deveriam ser igualmente judeus?

  2. Se os Judeus seguem (adoram) a um Deus único, por que os seguidores de Jesus inventaram uma nova religião, onde Deus é trino (Pai, Filho, Espírito Santo)?


Bem de acordo com o Judaísmo, mas precisamente os 13 Princípios de Moshê Ben Maimônides, que foram todos baseados na Torah, e que é aceito integralmente há séculos como o "Credo Judaico" por judeus de todo o mundo, três em especial nos chamam atenção. São eles:

"Creio plenamente que o Criador é unico; que não existe unidade de qualquer forma igual a dEle; e que somente Ele é nosso D'us, foi e será".

"Creio plenamente que o Criador é incorpóreo e que está isento de qualquer propriedade antropomórifca".

"Creio plenamente que o Criador é o único a quem é aproproado rezar e que é proibido dirigir preces a qualquer outra entidade".

Bem, se pergunatarmos sobre quem foi Jesus (A.S.) para um judeu, teremos respostas tais como: "Jesus não é o Messias", "Jesus é um charlatão" ou "Jesus é um homem como outro qualquer". As respostas mais brandas mas que nega o fato de ser o Messias está no seguinte link: www.chabad.org.br/interativo/faq/n_cre.html . Porém em certas igrejas existe um certo ufanismo por Israel e pelo povo judeu, ou seja, pelo povo que renega o Profeta Jesus (A.S.) tanto como Profeta, Messias, Enviado de Deus ou qualquer coisa do gênero. Porém estas mesmas denominações atacam aos muçulmanos enquanto estes sim o vêm como: O Messias, um enviado de Deus, um servo de Deus, um mensageiro de Deus, um verbo de Deus e etc. Contraditório não?

O que nós muçulmanos negamos automaticamente quando fazemos a nossa Shahada (Testemunho de Fé), é que Jesus (A.S.) seja Deus ou Filho de Deus, mas jamais as condições citadas anteriormente. Inclusive quem as negar não poderá se tornar muçulmano, pois não se pode seguir o Islam renegando a qualquer Profeta desde o Profeta Adão (A.S.), passando por Noé, Abraão (A.S.), Ismael (A.S.), Isaque (A.S.), Moisés (A.S.), Jesus (A.S.) e Muhammad (S.A.A.S.). Nosso Testemunho de Fé diz: "Testemunho que não há outra divindade além de Deus (O Único)".

Outro conceito errado é de que nós adoramos ao Profeta Muhmmad (S.A.A.S.) ao invés do Profeta Jesus (A.S.). A grande verdade é que apenas Allah é digno de adoração, e não adoramos a qualquer Profeta.

Para incerrarmos é necessário dizer também a gisa de recordação que Allah não é um Deus particular dos muçulmanos, mas o mesmo Deus das escrituras. A palavra Allah é a mesma encontrada nas línguas semitas para Elloh, que em sua forma majestática no hebraico torna-se Elohim. Logo Allah é o mesmo Elohim dito tantas vezes na Bíblia.

Creio que com isso algumas dúvidas tenham sido sanadas quanto a forma que os cristãos tinham a respeito de quem é de fato Jesus (A.S.) para nós muçulmanos.

5 comentários:

  1. esse é um ótimo blog irmão é um dos meus favoritos. Sempre visito quando tem novas postagens.

    http://muculmanaonline.blogspot.com/

    salam!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado irmã
    Salam Aleikum
    O que nos passaste já está em nossa lista de sites indicados.
    Ma Salam

    ResponderExcluir
  3. Realmente vcs não gostam de nós cristãos. lembrando que não devemos tirar um por todos,
    não podemos generalizar >>>>> comentário sobre os artigos jornalísticos sobre pseudo-religiosos>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

    ResponderExcluir
  4. Salam Aleikum Caro leitor

    Não vejo motivo para o amigo se ofender uma vez que estou falando de pseudo-religiosos. Espero que você não se enquadre neste perfil. E se não se enquadra não há porque se sentir desagradado.
    Quanto a nós muçulmanos não gostarmos de cristãos isso não corresponde a verdade. Tanto é assim que podemos ler no Sagrado Alcorão: "Constatarás que aqueles que estão mais próximos do afeto dos crentes (muçulmanos) são os que dizem: Somos cristãos! Porque possuem sacerdotes e não se ensoberbecem em coisa alguma" (Surata da Mesa Provida - 5:82).
    Porém se você reparar bem no que você mesmo escreveu, e também na apresentação do blog que se encontra um pouco mais acima na coluna a direita, verá que nos referimos sempre a pseudo-religiosos. Se você não o é não há porque se ofender.
    Além do mais você diz que nós não gostamos de cristãos. Será que você poderia dizer o mesmo ao analisar os sites que coloco a seguir? Lembro que este blog foi criado há quase dois anos como resultado desses ataques. O problema é que quem ataca nunca acha que está fazendo nada demais, até que o oprimido comece a se defender, aí sim, ele é irracional, irascível brutal e etc...
    Veja exemplos de alguns links de um site pseudo-cristão e anti-islâmico.
    Veja agora a capa de dois livros anti-islâmicos: http://www.alfaeomega.com.br/lojas/00011864/prod/3190E5_1.jpg e também: http://anovacruzada.blogspot.com/2009/01/desmentindo-o-livro-como-evangelizar-os.html

    Caro amigo, não me admiro que você como cristãos não esteja informado das atrocidades que pseudo-cristãos têm feito nos países de maioria muçulmana com a desculpa de fazerem missões.
    Informe-se....

    ResponderExcluir
  5. Masha'Allah Omar, estarei imprimindo para divulgação. :)

    Assalamu Aleikum

    ResponderExcluir