sábado, 7 de agosto de 2010

Está Com Pena? Leva Ela Pra Você!

Nossa justiça funciona? Nossos "padrões morais" têm um nível razoável de decência? ...Então que direito temos de criticar a justiça e os padrões morais dos outros?
O Islam tem um nível alto de padrões morais a serem seguidos, e este padrão moral é regido por por punições também muito rígidas para os padrões atuais. Mas são estas punições que fazem com que as pessoas pensem duas vezes antes de cometer um crime. Pense nisso!
Até quando vamos dar "boa vida" aos criminosos? ... Casa, comida, roupa lavada, auxílio para a família... Poucos anos de punição e eles saem por "bom comportamento" com a ficha mais limpa que a sua caro leitor! ... Onde está a justiça?
Cada país tem a sua própria cultura, e sua própria lei. Não cabe aos outros povos intervir no que foi estabelecido como senso comum de toda uma nação.
Há tribos, onde as mulheres são circuncidadas ainda meninas, tirando delas o direito de sentir qualquer tipo de prazer sexual. Há países onde a pena de morte por injeção letal, gás e outros meios é absolutamente comum e ninguém faz nada para mudar esse fato. Mas quando o assunto é o Islam tudo é absurdo... Porque será?
O Alcorão prescreveu como punição para relações sexuais ilícitas, cem chibatadas para homens e mulheres solteiros que cometem fornicação. E através da Sunna foi prescrito o apedrejamento até a morte para homens e mulheres casados que cometessem adultério. Punição que só pode ser aplicada mediante a confissão do próprio infrator ou do depoimento de quatro testemunhas oculares adultas que tenham presenciado o ato sexual. Esta limitação é exigida como meio de proteger as pessoas de simples especulações, para evitar injustiças. Ao difamador a punição é de oitenta chibatadas.
O governo brasileiro sugeriu a hipótese de asilar Sakineh Mohamadi Ashtiani,q ue foi condenada à morte por apedrejamento sob acusação de adultério. O que não se sabia até então é que esta senhora também era acusada pelo assassinato de seu marido. Após ponderar na inconveniência de sua atitude, o Presidente Lula negou os pedidos para interceder por Ashtiani, e por tal foi duramente criticado pelo candidato à Presidência José Serra, e como se não bastasse, a também candidata Dilma Rouseff declarou que se essa mulher está causando incômodo no Irã, que em consideração a Mahmoud Ahmadinejad, nós a receberíamos de bom grado no Brasil.
"Nós" quem, cara pálida???...
É fácil para o senhor Serra criticar o Presidente, mas se fosse ele o presidente, será que sua atitude seria diferente? E quanto a senhora Dilma, quer transformar o Brasil em asilo de criminosos? Cometeu crime? Manda para o Brasil que a gente asila!... ABSURDO!!!
Todos adoram se proclamar como "defensores dos direitos humanos"... Que direito teve o marido assassinado da senhora Sakineh Mohammadi Ashtiani???
Além de não acabarmos com a impunidade no Brasil, vamos também encorajar a impunidade de outras nações e transformar o nosso país em asilo de bandidos? São esses os nossos futuros governantes?
Em quem votar? No hipócrita, na hipócrita ou em qualquer outro hipócrita?... Sem opções... Votar para que se o resultado é o mesmo, uma catástrofe?!!!
E se você acha injusto que um criminoso pague por seu crime, deixo a seguinte pergunta:

"Você se casaria com Sakineh Mohammadi Ashtiani?"...

Acho que não!... Então?

14 comentários:

  1. Fatimah.... a imprensa hipocrita ocidental tem obsessão doentia de demonizar o Iran e o Islam!! Nada mais... Quem tem interesse nisso é lobby judeu sionista!

    ResponderExcluir
  2. Parece que para o governo do Lula lelé o Brasil é uma espécie de colônia de férias para a bandidagem internacional. Espero que essa criatura seja logo executada nas formas da lei.

    ResponderExcluir
  3. (Alborghetti mode on)

    TÁ COM PENA ?! LEVA PRA SUA CASA!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Sei...

    ..."Em quem votar? No hipócrita, na hipócrita ou em qualquer outro hipócrita?" Não, deveríamos votar em você,claro! Você faria justiça em nome de Deus.

    ..."Votar para que se o resultado é o mesmo, uma catástrofe?!" Catastrofe? Volta para o teu paraíso.

    "Você se casaria com Sakineh Mohammadi Ashtiani?"... Sim, me casaria. Acredito nela. Já em você não vejo nem bondade nem misericordia.

    "Mostraremos porém com base no conhecimento em ambos os aspectos a superioridade do segundo sobre o primeiro, uma vez que o Islam preza de fato pela justiça e pela equidade de forma prática e não apenas como teoria utópica." Justiça, equidade, utopia? KKK

    Volta para tua terra, lá é teu lugar.

    ResponderExcluir
  5. Caro(a) "SK",

    Não sou candidata a nada e simplesmente disse que o sistema de governo que temos é ineficiente... Se você acha que a justiça do homem é melhor que a justiça de Deus, é direito seu... "Cada um no seu cada um"!...

    Quanto a se casar com Sakineh Ashtiani, volto a dizer... "Cada um no seu cada um"... tem quem goste de ser traído pela mulher e ter sua morte planejada por ela e pelos amantes dela... Parabéns pelo seu gosto para escolher mulheres, mas não estranhe se as pessoas rirem de você quando você passar na rua... deve haver "algum enfeite" na sua cabeça que elas vêem e você não... enfim...

    Bondade e misericórdia não são opostos a justiça... No Brasil, gasta-se mais com condenados do que com crianças, investe-se mais no criminoso que no cidadão... O filho de um detento tem direito a uma pensão de aproximadamente R$800,00 enquanto o filho do trabalhador tem que viver do salário suado do pai, sem direito a "pensões mirabolantes"... Isso é justiça?...
    Se você sabe que "ao roubar" terá sua mão decepada, quando você roubar, não poderá se queixar de ter a mão amputada... Você sabe o crime e a punição, faz se quiser ser punido!... A Senhora Ashtiani sabia qual seria a punição de seus crimes (adultério e homicídio) e fez porque quis!... Esta é a lei, pode ser dura, mas não incentiva o crime como a lei do Brasil!...
    Quanto a "voltar para a minha terra"... Lamento informá-lo de que sou brasileira, carioca e que não tenho outra decendência senão esta! Este é o meu país!... Ignorante, decepcionante, vergonhoso.... Mas é o meu país... Um lugar contraditoriamente lindo... De belezas e riquezas naturais infinitas... Mas onde ainda impera a ignorância e a falta de vontade política!...

    ResponderExcluir
  6. Minha nossa! Pelo artigo, o autor ja considera a Sra Sakineh Mohammadi Ashtiani culpada! kd as provas? Que eu saiba, ela não foi pega em flagrante. São hipoteses e na duvida o sensato não seria aplicar qualquer que seja a pena. Não julgueis para não seres julgado..

    ResponderExcluir
  7. Talvez o caro leitor acima não tenha acompanhado o caso tão bem assim. Se o tivesse saberia que o crime foi confessado pela acusada.
    Quanto ao fato de não julgar... então soltemos todos os estupradores, assassinos e ladrões das cadeias, pois se eles estão lá é porque foram julgado pela sociedade e até mesmo por nós. Quanta hipocrisia....

    ResponderExcluir
  8. Bem não querendo chamar ninguém de hipócrita mas um certo profeta(pra vocês) chamando Jesus ensinou algo chamado perdão, inclusive salvou uma mulher do apedrejamento... "Quem nunca pecou que atire a primeira pedra" ele disse...

    Aí vem aquela história de que a Biblia foi manipulada tirando todas as profecias referentes a vinda de um certo profeta, mas não sabem explicar porque existem manuscritos da Biblia anteriores ao Islam que nada mencionam esse mesmo profeta.

    Aonde esta a hipocrisia então? Allah não é misericordioso? E se essa mulher algum dia na vida fosse se arrepender? Você não gostaria de ter o direito do arrependimento? Cadê a misericórdia do Deus que vocês chamam de misericordioso(detalhe ver a definição da palavra misericórdia no dicionário)?

    Eu tenho pena mesmo dessa mulher, mas não quero ela pra mim não. Deus é que tem o direito de julgar a atitude dos seres humanos!

    ResponderExcluir
  9. Caro Raphael,

    Salam Aleikum
    (Que a paz esteja contigo)

    Em momento algum Jesus(A.S.)disse "Não apedrejem a mulher"... Ele disse "Quem dentre vós estiver sem pecado, seja o primeiro a lhe atirar uma pedra" (João:08:07)... Com isso, ele quis que refletíssemos sobre os nossos próprios pecados, mas em momento algum Jesus disse para não cumprir a lei. Sobre isso, Jessus (A.S.) disse "Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas. Não vim revogá-los, mas dar-lhe pleno cumprimento, porque em verdade vos digo que, até que passem o céu e a terra, não será omitido nem um só i, uma só vírgula da Lei, sem que tudo seja realizado. Aquele, portanto, que violar um só desses menores mandamentos e ensinar os homens a fazerem o mesmo, será chamado o menor no Reino dos Céus. Aquele, porém, que os praticar e os ensinar, esse será chamado grande no Reino dos Céus" (Mateus:05:17,18 e 19). A Bíblia é bem clara quanto a Lei: "O homem que cometer adultério com a mulher do seu próximo deverá morrer, tanto ele quanto a sua cúmplice" (Levítico:20:10) E ainda "Se um homem for pego em flagrante deitado com uma mulher casada, ambos serão mortos, o homem que se deitou com a mulher e a mulher. Deste modo extirparás o mal de Israel. Se houver uma jovem virgem prometida a um homem, e um homem a encontra na cidade e se deita com ela, trareis ambos à porta da cidade e os apedrejareis até que morram: a jovem por não ter gritado por socorro na cidade, o homem por ter abusado da mulher do seu próximo. Deste modo extirparás o mal do teu meio" (Deuteronônio:22:22, 23 e 24). Portanto, onde está a hipocrisia em seguir o que Deus ordenou? Concordo que, como pecadores, não somos dignos de julgar ninguém, mas Deus nos ordena a cumprir Sua Lei! Deus não diz que "enviará anjos para atirarem as pedras", Ele nos ordena que o façamos!...

    Direito ao arrependimento... Todos temos direito ao arrependimento, o que não significa que não devamos ser punidos pela nossa falta!... Imagina um estuprador que se arrepende, por exemplo, seria justo deixá-lo em pune somente porque ele se diz arrependido? Não seria justo que ele pague por sua falta?... E se a punição é a morte, por exemplo, ninguém terá uma "segunda chance"...

    Definições do dicionário (seguindo sua sugestão):

    Misericórdia: Compaixão pela desgraça alheia; dó; perdão; instituição de piedade e caridade; grito de quem pede compaixão.

    Justiça: Conformidade com o direito; equidade; faculdade de premiar ou punir, segundo o direito; virtude que consiste em atribuir a cada um aquilo que de direito lhe pertence.

    Como pode claramente perceber, misericórdia e justiça não são antônimos, mas se abrirmos mão da justiça em prol da misericórdia seremos injustos com aqueles que foram vítimas de fato.

    Gostaria ainda de ressaltar que a mulher em questão, Sakineh Mohamadi Ashtiani, além de trair o marido (com dois homens diferentes) ainda compactuou com o assassinato do mesmo. Que arrependimento esta senhora pode ter? Você acreditaria no arrependimento dela? Será que ela não sabia o que estava fazendo e não pensou na punição de seus atos?... ELA MESMA confirmou sua culpa...

    Seria justo deixá-la em pune? Onde estão os direitos do marido que foi traído e assassinado?... Pense bem!

    Quando falamos em "direitos humanos", tudo é muito "bonitinho", mas esquecemos dos direitos humanos das vítimas! Onde fica a justiça se "passarmos a mão na cabeça" dos criminosos?

    ResponderExcluir
  10. Eu sou contra pena de morte em qualquer circunstância. Isso não trará a vida do marido dela de volta.

    Se só Deus é quem tem o direito de dar e tirar nossas vidas, creio que nem o governo deva ter esse direito.

    Não apóio o que ela fez. Não quer mais? Separa! Simples assim. Mas sabemos o que ela passou/sofreu antes de traí-lo e planejar a morte dele? Não justifica mesmo, mas dependendo do que ela passou, pode explicar e contar a favor dela, claro que não isentá-la...!

    Concordo em não dar boa vida aos criminosos: sou favorável a dar bastante trabalho pra eles, que estude (pra combater a mente vazia - oficina do capeta), que cumpram toda a pena, mas com dignidade. Se impetrarmos a eles o que eles fizeram, iremos nos igualar a eles. Eu penso assim.

    Detesto quando do DH fica passando a mão na cabeça de bandido. Mas penso que a pena deve ser cumprida totalmente, sem moleza, mas com dignidade.
    Porque quem favorece corrupção entre presos, fecha os olhos diante de abusos sexuais que eles sofrem, a verba destinada ao presídio que o diretor desvia, por achar que é muito dinheiro pra vagabundo, é tão reacionário quanto quem está preso!

    ResponderExcluir
  11. Salam Aleikum Kiara

    Talvez você não tenha acompanhado o caso "de perto" e lido os comentários acima.
    Primeiro: foi ela que confessou o crime. Segundo, se ela sabia da possibilidade de ser punida e conhecia a lei de seu país, estava ciente de que poderia ser pega. Terceiro, leia o comentário de minha esposa acima. Verá que na Torah (os cinco primeiros lívros da Bíblia) tido como o livro sagrado dos Judeus, e na Bíblia como um todo, foi justamente Deus que instituiu a pena de morte. No comentário acima possui inclusive as passagens bíblicas. E Ele (Deus) não disse que desceriam anjos por exemplo para fazer isso. Ordenou que os homens o fizessem. Logo se só Deus tem autoridade para matar alguém. Eis aí o mandamento dele.
    Mais uma coisa importante a ser dita é que a pena não é para mulher adúltera, mas para ADÚLTEROS, seja homem ou mulher.

    Ma Salam,

    Omar

    ResponderExcluir
  12. Sim. li o post na íntegra, inclusive os comentários.

    Eu soube mesmo que ela confessou. (Mas quem garante que ela não foi coagida e torturada a confessar? Sabemos que isso acontece no mundo inteiro!)

    Ainda assim, sou contra a pena de morte em qualquer circunstância e não acredito que Deus tenha autorizado isto, principalmente pelo fato da Bíblia ter tantas contradições.

    Tenho fé em Deus, mas hoje desacredito e muito na Bíblia e na Torá, sem contar em como elas se referem às mulheres (li no site da SBMRJ sobre a mulher no Islã e tem as comparações com a Torá e a Bíblia)...

    ResponderExcluir
  13. Ridículo esse post, é inaceitável que sejam tão desumanos! E ainda se dizem muçulmanos. Vá viver no Irã e me conte que direitos tem... vocês, mulheres, como podem aceitar a confissão forjada e/ou obtida sob coação? Onde está o valor da palavra de ma mulher no Islam? Quantas testemunhas são necessárias (de cada sexo, compare) para confirmar um estupro, por exemplo? Quem estupra na frente de testemunhas? Se o faz, ocorre em caso de estupro coletivo ou na frente de cúmplices cruéis. Sem testemunhas a mulher é considerada adúltera. Onde está o bom senso, misericórdia e amor ao próximo. No mais, só Deus tem o direito de tirar uma vida. Sinto vergonha, mas alheia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Alaykum!

      Cara Vanessa Martins,

      Não creio que em nenhum lugar do mundo uma pessoa seja acusada e julgada sem provas. Independente da confissão da tal senhora, provas foram apresentadas, não somente de seu adultério como também do assassinato de seu marido. Portanto, não creio que tenha sido somente uma "confissão forjada" e ninguém é obrigado a confessar nada, ainda que coagido.

      De acordo com a "Lei Islâmica", lei que não é "devidamente aplicada" em nenhum país atualmente, se ela fosse acusada de adultério pelo marido, ela teria o direito de jurar sua inocência quatro vezes (equivalente às quatro testemunhas)e invocar a maldição de Allah (para si)na quinta vez, caso ela seja mentirosa. Neste caso ela seria liberada.

      Ela confessou o crime.

      Vamos supor que eu, HIPOTETICAMENTE, estivesse sendo acusada de algum crime. Ao confessar algo que não fiz, por estar sendo torturada ou coagida, estarei dando recursos para que me torturem e executem por um crime que não cometi.
      Se não cometi o delito jamais o confessarei, mesmo sob tortura, visto que serei torturada de um jeito ou de outro!
      Ao confessar, estaria dando o direito de que a pena fosse aplicada, ao passo que não confessando estaria provando minha inocência e negando aos que me torturaram a razão de o terem feito.

      GOSTARIA DE DEIXAR BEM CLARO QUE O ISLAM É TOTALMENTE CONTRA A TORTURA!

      O Profeta Muhammad disse:
      "Os melhores dentre vós nunca devem bater nas mulheres".
      "Os que batem nas suas mulheres não são boas pessoas".

      Sobre o estupro em que não há testemunhas:
      Wail Ibn Hujr narra que no tempo do Profeta (SAW), uma mulher saiu da sua casa com intenção de ir rezar. No caminho, um homem arrastou-a e violou-a. Ela gritou, mas o homem já tinha fugido. A seguir ela passou por um grupo de pessoas e disse:"Aquele homem violou-me". Então eles agarraram o homem e levaram-no perante o Profeta (SAW). O Profeta disse para a mulher:"Podes ir porque Deus perdoou-te". E ordenou que o homem fosse apedrejado até a morte. (Fonte: At Tirmizi e Abu Dawud)
      NOTE QUE NÃO HAVIA TESTEMUNHAS E QUE A PALAVRA DE UMA ÚNICA MULHER FOI SUFICIENTE PARA QUE A JUSTIÇA FOSSE FEITA!

      Se somente Deus tivesse o direito de julgar e tirar vidas, ELE PRÓPRIO não teria ordenado ao homem que o fizesse de acordo com a SUA LEI...

      A Lei de apedrejamento até a morte em casos de adultério também constam na Torah e na Bíblia, não sendo "invenção do Islam".

      A tempo 1: Gostaria de acrescentar que, INDEPENDENTE DE RELIGIÃO, todo aquele que não quiser ser "punido por um delito" que não o cometa!

      A tempo 2: Gostaria de esclarecer, mais uma vez, que o Irã não é um país de "maioria muçulmana", visto que xiitas não são representantes do Islam, independente do país se chamar "República Islâmica do Irã", até mesmo porque NO ISLAM NÃO TEM REPÚBLICA!

      Ma Salam.

      Excluir