terça-feira, 7 de setembro de 2010

O "Negócio" da Fé

Missões, Igrejas, Seminários Teológicos, o que vemos é o franco crescimento diário do mercado da fé. E para isso não é necessário ter nenhum preparo, ou conhecimento teológico e doutrinário. Muitas vezes não é preciso nem mesmo saber ler ou ter feito algum curso de oratória ou ter boa retórica. Deseja se tornar Pastor? Existem cursos que prometem o título de Bacharel em apenas 6 meses, enquanto pela lei para se ter o reconhecimento de nível superior de acordo com a legislação brasileira são necessários quatro anos. Não está satisfeito em ser Pastor? Tudo bem, este seminário evangélico também fornece o curso de Padre em igual período (6 meses). Aí você se pergunta: Ué?! Mas Padre Evangélico? Padre não é católico? O que importa quando o que está em jogo é um pequeno investimento para uma grande arrecadação?
Esse tem sido "o mercado da fé" no Brasil, que pouco se importa em deformar o que Jesus (A.S.) realmente ensinou, contanto que isso gere o tão esperado lucro.



Com isso Pastores que realmente cursaram um seminário regular são desacreditados por causa daqueles que em nossa opinião deveriam ser punidos por exercício ilegal da profissão.
Nos perguntamos se existiriam tantas igrejas sendo abertas hoje em dia se o povo incauto não se deixasse manipular.
De acordo com uma matéria apresentada pelo Jornal do SBT a cada 2 dias uma nova igreja é aberta em São Paulo. E adivinhe! Abertas por pessoas como Simone, uma cabeleireira que se autoproclamou pastora, sem qualquer preparo ou conhecimento teológico. Mas ela talvez possa ter aberto tal igreja por pura devoção. Você pode alegar. Mas seria a devoção a motivação para se abrir um recinto tido como sagrado sem alguém que tenha o real preparo para conduzi-lo? E teria sido a devoção a motivação de Simone e de tantos outros "pastores" como ela? E no caso do "Pator" Zaqueu que além de não conhecer as passagens bíblicas e misturar períodos históricos da Bíblia como o Antigo e o Novo Testamento se expressa de maneira deplorável. Qual teria sido seu? Julgue você mesmo.



O que mais nos espanta em todo esse cenário sórdido é que a Palavra de Deus não apenas é vendida e repudiada, mas deformada. Sobre tais pessoas Allah no Sagrado Alcorão diz: "Aqueles que negociam o pacto de Allah, e sua palavra empenhada, a vil preço, não participarão da bem-aventurança da Vida Futura; Allah não lhes falará, nem olhará para eles, no Dia da Ressurreição, nem tampouco os purificará, e sofrerão um doloroso castigo. E também há aqueles, que com suas línguas, distorcem as palavras do Livro, para que penseis que ao Livro pertencem, quando isso não é verdade. E dizem: Elas emanam de Allah, quando não emanam de Allah. Dizem mentiras a respeito de Allah, conscientemente" (Sagrado Alcorão - Surata da Família de Imran - 3:77-78).
Diante de todos esses fatos ficamos nos perguntando: Até quando profanarão os sagrados ensinamentos de Allah deixados pelo Messias? Será mesmo que vale a pena tudo o que possam acumular aqui? E a outra vida? Se fazem tais coisas não acreditam nela. Seriam então pessoas confiáveis para se seguir ou seriam cegos guiando cegos? Pense...

Nenhum comentário:

Postar um comentário