terça-feira, 7 de setembro de 2010

Revidar Para Que?

Setembro. O ódio do Pastor americano Terry Jones contra o Islam e os muçulmanos é notório. Ódio este que o cega e o leva com sua atitude a contradizer todos os ensinamentos de caridade, tolerância e amor ao próximo defendidos originalmente pelo Cristianismo.
O que ele pretende fazer de tão grave? Queimar em local público exemplares do Alcorão, livro sagrado para 1/4 da população mundial.
O motivo alegado pelo pastor é uma retaliação ao atentado de 11 de setembro de 2001, onde dois aviões se chocaram contra as torres gêmeas. Porém devido à sua reação fica evidente que o raciocínio não é o forte do senhor Jones que não nota que tal evento foi provocado pelo próprio E.U.A. com o pretexto de invadir os países como Iraque e Afeganistão com a desculpa de combater o terrorismo, quando na verdade só fez com que este aumentasse, sendo o próprio Estados Unidos o maior agente deste mal. O senhor Jones também não deve ter levado em conta que é o Cristianismo que será mais uma vez profanado por seus próprios líderes religiosos.
Provavelmente muitos não muçulmanos esperam indignação e protestos dos seguidores do Islam. Todavia convocamos a todos os nossos leitores muçulmanos a simplesmente adotarem uma atitude pacífica a esta situação, uma vez que a paz sim é uma característica islâmica.
Chegamos a ler algumas acusações no orkut de que o Pastor deveria queimar o Sagrado Alcorão, uma vez que os muçulmanos também queimam a Bíblia. Bem, isso carece bastante de sentido, uma vez que um dos Pilares da Crença Islâmica é crer nos livros sagrados revelados como a Torah, Salmos, Evangelho e etc. Todos eles presentes na Bíblia. Logo seria um contrasenso queimarmos algo que seja sagrado para nós.
Quanto ao Pastor Terry Jones... vamos revidar para que se, a queima do Alcorão é apenas a manifestação de algo que já ocorreu dentro dele mesmo há tempos? Ou seja, incinerar o seu póprio coração, fazendo assim com que se torne cinzas e que ele próprio se torne árido para receber a Deus dentro de si.

Nenhum comentário:

Postar um comentário