segunda-feira, 11 de outubro de 2010

A Bíblia Condena Imagens?


É comum vermos diversas pessoas protestantes condenando algumas religiões que fazem uso de imagens. Dizem que Deus proíbe o uso delas, pois seriam ídolos. Nós muçulmanos concordamos com isso. Porém este mesmo grupo diz que a Bíblia condena se fazer imagens para serem utilizadas como objetos de culto, e para reforçar tal idéia citam os seguintes versículos: 

"Não farás para ti imagem esculpida de nada que se assemelhe ao que existe lá em cima nos céus, ou embaixo na terra, ou nas águas que estão debaixo da terra. Não te prostrarás  diante desses deuses e não os servirás, porque eu, Iahweh teu Deus, sou um Deus ciumento..." (Ex.20:4-5).

"O nosso Deus está no céu e faz tudo o que deseja. Os ídolos deles são prata e ouro, obra de mãos humanas: têm boca, mas não falam; têm olhos, mas não vêem; têm ouvidos, mas não ouvem; têm nariz, mas não cheiram; têm mãos, mas não tocam; têm pés, mas não andam; não há um murmúrio em sua garganta. Os que os fazem ficam como eles, todos aqueles que neles confiam" (Sl.115:3-8).

Mas esquecem destes:

"Farás dois querubins de ouro, de ouro batido o farás, nas duas extremidades do propiciatório; faze-me um dos querubins numa extremidade e o outro na outra: farás os querubins formando um só corpo com o propiciatório, nas duas extremidades. Os querubins terão as asas estendidas para cima e protegerão o propiciatório com suas asas, um voltado para o outro. As faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório. Porás o propiciatório em cima da arca; e dentro dela porás o Testemunho que te darei. Ali virei a ti, e, de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins que estão sobre a arca do Testemunho, falarei contigo acerca de tudo o que eu te ordenar para os israelitas". (Ex.25:17-22).

Rabino (sacerdote judeu) orando diante da arca.
Ora, notemos alguns pontos: 1º) Os querubins eram realmente imagens feitas de ouro batido, 2º) Eles tinham face, asas, ou seja, eram imagens detalhadas, 3º) O mesmo Deus Soberano e Único que em Ex.20:5 era um Deus ciumento, agora não vê problema em aparecer no meio das mesmas imagens que Ele proibiu.
Mas então você poderá dizer que ele proibiu adorar as imagens apenas. Mas não! Vejamos o que Deus diz em Ex. 20:4: "Não farás...".
Mas as contradições a esse respeito ainda não param por aí. Veja:

"Moisés intercedeu pelo povo e Iahweh respondeu-lhe: 'Faze uma serpente abrasadora e coloca-a em uma haste. Todo aquele que for mordido e contemplar viverá'. Moisés, portanto, fez uma serpente de bronze e a colocou em uma haste; se alguém era mordido por uma serpente, contemplava a serpente e vivia" (Nm.21:7-9).

Ora, para algo que era proibido severamente já é o segundo fato que encontramos.
E se Moisés foi capaz de esculpir uma serpente de bronze, por que se irou tanto com Aarão seu irmão, quando este fabricou o bezerro de ouro? Acompanhe os fatos:

Réplica do bezerro de ouro bíblico
"Quando se aproximou do acampamento e viu o bezerro e as danças, Moisés acendeu-se de ira; lançou das mãos as tábuas e quebrou-as no sopé da montanha. Pegou o bezerro que haviam feito, queimo-o e tirou-o até reduzi-lo a pó miúdo, que espalhou na água e fez os israelitas beberem" (Ex.32:19-20).

Procuramos com esse artigo fazer apologia ao uso de imagens? Obviamente que não, até mesmo porque estas são abomináveis à Deus. O Islam também afirma isso. Porém provamos com os excertos acima o que o Islam já afirma a 1400 anos:  " As escrituras judaicas e cristãs foram corrompidas".
As contradições vistas acima não são obras de um Deus que não sabe o que diz, muito menos de profetas que receberam de fato a mensagem pura e imaculada de Deus. Mas foi o fruto de séculos e séculos de alterações feitas por aqueles que queriam se destacar na sociedade de alguma forma, para com isso lograrem algum benefício, sendo classificados como homens santos e puros, ou homens de Deus. Será mesmo que alguém que modifica a palavra de Deus pode ser chamado de um "Homem de Deus"?
Pense leitor, Deus não é contraditório, logo tais contradições nada mais são que os rastros da influência nesfasta do ego humano.
O grande problema em relação aos estudos bíblicos hoje na maioria das denominações cristãs, para não dizer todas, é que estudam a Bíblia capítulo por capítulo isoladamente, e quando comparam livros , o fazem apenas em partes já pré-determinadas por seus teólogos. Fica aqui um chamado para você cristão: Estude realmente a sua Bíblia! Não se deixe manipular...

7 comentários:

  1. É, deveras... Várias incongruências sobre as quais realmente ninguém pensa, eu mesmo não havia reparado nesses "detalhes", mesmo já tendo lido esses trechos muitas vezes por anos... Shirk suficientemente descarado para ser negado...

    ResponderExcluir
  2. publica meu comentário se tiver coragem e que não são obras de Deus é você interpretar dessa forma as escrituras sagradas de DEUS!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Aleikum (Que a paz esteja contigo)
      Esse seu tipo de comentário me lembrou a minha época de criança. Quando meus colegas queriam desafiar a alguém a fazer alguma coisa diziam: "Faça se tem coragem!". Mas isso era na infância, hoje creio que no meio de adultos isso na verdade nem pegue bem, pois soa maturo e infantil.
      Mas quanto ao que você disse posteriormente, existem três ciências que talvez creio que você desconheça. Uma está ligada à língua portuguesa e chama-se "interpretação de texto", e a outra ligada à Filosodia, e chama-se "Hermeneutica. E por fim temos também a "Exegese". A partir deste ponto então vemos que mediante tais passagens, não é preciso se fazer grandes esforços intelectuais para se chegar a mesma conclusão do artigo. Ou você precisou se esforçar? Depois disso você diz que interpretei dessa forma as escrituras, e obviamente coloca minha exegese como errada. Ok. Qual então seria a certa visto que cada teólogo possui uma diferente? Não é preciso muito, veja que muitas interpretações de Lutero divergem dos conhecidos como Pais da Igreja, as de Calvino já têm alguma outra divergência, os pentecostais já divergem em pontos de Lutero. Enfim.... qual seria a correta?

      Excluir
  3. 5. Alexandre, o Grande: Segundo o Alcorão (Surah 18:89-98), Alexandre, o Grande, foi um devoto Muçulmano e viveu até idade avançada. Os registros históricos, porém, mostram que Alexandre morreu jovem aos 33 anos de idade (353 – 323 a.C.), e acreditava ser divino, forçando as outras pessoas a reconhecerem-no como deus. Na Índia, no rio Hyphasis (agora rio Beas), Alexandre erigiu doze altares dos deuses do Olímpo. Mais uma vez o Alcorão mostra erros históricos e religiosos.

    6. A Trindade: Segundo o alcorão (Surah 5:116, 5:73-75), os Cristãos crêem em “três deuses” – Pai, Mãe e Filho. Isso mostra a influência de seitas Cristãs heréticas na Arábia Central nos tempos de Muhammad. Em contraste, o Cristianismo sempre teve bem claro que a Trindade consiste do Pai, Filho e Espírito Santo. O ensino do Alcorão sobre a Trindade indubitavelmente causa uma confusão entre os Muçulmanos sobre o que a Bíblia ensina sobre o Deus Triuno.

    7. Maria: Segundo o Alcorão (Surah 19:28; 3:33-36), Maria, a mãe de Jesus, era filha de Imran ou Amram, o pai de Moisés e Aarão. Também diz que Maira era irmã de Moisés e Aarão. Muhammad confundiu Maria com Miriã.

    Um segundo ponto interessante sobre Maria é a história da palmeira falando e oferecendo seus frutos a ela (Surah 19:23). Essa lenda é facilmente rastreada junto a lendas similares nos apócrifos “Proto-Evangelho de Tiago”, “Pseudo-Mateus” e “o Evangelho da Natividade de Maria”, todos escritos nos séculos IV e VI, e foram cridos por sectários da Arábia. (Informações mais profundas sobre as fontes do Alcorão podem ser encontradas no The Religion of the Crescent do Rev. W. St. Clair Tisdall).

    8. Variantes textuais do Alcorão: Muitos Muçulmanos dizem que o Alcorão de hoje é idêntico às revelações recebidas por Muhammad. Porém, há uma quantidade esmagadora de evidências sem respostas que dizem o contrário. Isso inclui as evidências de variações tanto antes quanto depois de Othman (o terceiro Califa, também chamado de Uthman, Osman, Osmã, etc).

    Como vemos e respondemos a esses problemas não resolvidos de conhecimento lógico, histórico e religioso? Embora não sirvam como base para nossa crença de que o Alcorão não é a revelação de Deus (já que há assuntos de muito maior conseqüência entre a mensagem da Bíblia e a mensagem do Alcorão), eles nos mostram que há problemas legítimos na crença de que o Alcorão é a revelação de Deus aos homens, já que Deus é sabedor de tudo e infalível, portanto não daria informações errada. Como Cristãos, encontramos as respostas na Bíblia. Números 23 nos diz,

    Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele dito, não o fará? ou, havendo falado, não o cumprirá? (vs 19)

    Deus, que é conhecedor de tudo e poderoso, não pode errar em sua revelação ao homem. Os problemas no Alcorão e as diferenças entre a Bíblia e o Alcorão são numeroso, deixando um dificuldade sem solução para o Islã que diz ser o cumprimento da Bíblia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Evangelina
      Salam Aleikum (Que a paz esteja contigo)

      Não há nenhuma menção no Sagrado Alcorão a Alexandre o Grande, as ayat a qual a senhora se refere menciona Zul Qarnain, e sobre este a nota de roda-pé da tradução em português é bem clara: "Possuidor de dois cornos. Nada nos menciona o Alcorão acerca de Zul Qarnain, nem de sua época nem da região que habitou."
      Quanto a questão da Virgem Maria, a aconselho a ler o seguinte artigo, assim nos poupará voltar a questões já abordadas:

      http://anovacruzada.blogspot.com.br/2011/10/maria-como-uma-divindade-o-alcorao.html

      Quanto as demais curiosidades da senhora. abordaremos em futuros artigos. Aguarde.

      Excluir
  4. vou te explicar um pouco sobre a ARCA DA ALIANÇA, claro que resumido, pois se não vai ser cansativo.
    Aprenda primeiro que Jesus é o centro da bíblia, e o Tabernáculo era nada mais nada menos que a presença de Deus com os homens, pois depois da queda de Adão, perdemos nossa natureza espiritual, e atra-vez dos sacríficos de animais (sangue inocente) era perdoado os pecados,mais Deus sempre explicando o sacrifício vigário de Cristo, pra não deixar duvida, apenas uma vez por ano, no Yom Kippur, o Sumo Sacerdote poderia ir além do véu. O véu separou o homem do Santo dos Santos. Estava atrás deste véu, um cômodo de 10 côvados quadrados, chamado de Santo dos Santos, que era a parte mais sagrada de toda a estrutura do tabernáculo. Esta era a Arca da Aliança, que foi mencionada primeiro, antes de toda a mobília no tabernáculo. A tampa em cima da arca era conhecida como o Propiciatório, que foi considerado uma parte separada da mobília, mas era um com a arca. A arca estava no centro do acampamento, e a nuvem da glória era vista sobre o propiciatório, na parte mais interior do tabernáculo. A Arca da aliança era onde justiça de Deus, o seu juízo para o pecado eram satisfeitos. Existem quase 200 referências no Antigo Testamento sobre a Arca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Evangelina
      Salam Aleikum (Que a paz esteja contigo)
      Cobre a questão do sacrifício acho que você poderá aprender um pouco mais lendo o seguinte artigo:

      http://anovacruzada.blogspot.com.br/2011/10/por-que-os-sacrificios-de-expiacao.html

      Excluir