segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Rio de Janeiro: Guerra "Para Inglês Ver"...

Cidade de Maka na Arábia Saudita
Nós muçulmanos ao nos identificarmos como tal no Brasil, costumamos ouvir diversas vezes insinuações de que somos terroristas e coisas do gênero. Mesmo de pessoas pretensamente cultas. Após este primeiro instante nos perguntam de que país viemos. E ao ouvirem que em nosso caso somos do Brasil e nascemos na cidade e no estado do Rio de Janeiro a decepção é quase evidente. Porém não conformados querem saber se nos naturalizamos brasileiros ou se somos filhos de árabes e etc. Quando recebem uma negativa para cada uma de suas questões então vem a pergunta: "Mas vocês pretendem ir para lá?" Então procuramos saber onde seria "lá", ao que não sabem responder. Dizemos que o único local onde o muçulmano deve ir uma vez na vida se tiver condições financeiras e de saúde, é a cidade de Maka na Arábia Saudita. Então a oportunidade não é perdida, e previsivelmente segue uma outra frase quase que padrão: "Deus me livre! Eu nunca iria lá, vai que cai uma bomba na minha cabeça ou uma bala perdida me pega". Ficamos então pensando que este "lá" deve ser realmente bem violento, mas a questão chave é: onde é "lá"? Estas pessoas desconhecem que não há conflitos bélicos na Arábia Saudita, e que Palestina, Afeganistão e Iraque não são nomes dados para quarteirões que ficam lado a lado, mas de países. Então alguém na Arábia Saudita ser atingido por uma bomba ou um tiro quem venha da Palestina, é tão possível como sermos atingidos em São Paulo por um tiro disparado na Venezuela.
Seja como for, acabamos explicando que não precisam sair de seu país e mesmo de seu estado para conhecerem a violência de uma guerra e o terrorismo, basta andar pelas ruas do Rio de Janeiro para vivenciar os terroristas que, diga-se de passagem, não são muçulmanos. Onde então está a ligação do terror com o Islam?
Blindados invadem Complexo do Alemão no Rio
Esta semana tivemos no Rio de Janeiro uma verdadeira atuação do estado, digna de produções de Hollywood: tanques de guerra e blindados circulando pelas ruas, centenas de policiais e soldados das forças armadas juntos, tudo isso para acabar com o crime na "Cidade Maravilhosa", que de maravilhosa hoje só possui o título e as paisagens. Mas... acabar com o crime? A quem o Sr. Sérgio Cabral, Governador do Estado do Rio de Janeiro pensa enganar? Se era tão fácil assim acabar com o crime, porque não o fez em seu primeiro mandato? Para ter novas promessas para assim usá-las de trampolim para a sua reeleição. E se realiza tais promessas hoje não é porque seja um bom governante, mas para não perder a sua posição (prestígio) e os recursos financeiros que serão injetados no Rio devido às Olimpíadas e a Copa do Mundo. Durante os jogos Pan-Americanos a segurança no Rio foi total. Por que voltou ao colapso que encontramos hoje então? Por pura omissão e falta de vontade do mesmo. Basta ver alguma das aberrações de seu governo no blog do Ricardo Gama.
Quem viu os filmes "Tropa de Elite" e "Tropa de Elite 2" pôde constatar como a corrupção que ocorre nos órgãos públicos; da mais alta esfera à mais baixa se prolifera pelo Brasil como uma metástase.
Em um Estado Islâmico (e lembramos que não há nenhum em todo o mundo na atualidade) tal coisa não ocorre, até mesmo devido a severidade da pena aplicada, mesmo para o governante, pois não existe foro privilegiado, imunidade parlamentar e nada do gênero.
Gostaríamos de deixar aqui uma reflexão: O tráfico realmente acabou no Rio de Janeiro realmente acabou? Porque os traficantes foram presos, mas os seus chefes estão sentados em suas cadeiras nas câmaras de vereadores, deputados e no Senado. Haverá nestes locais uma invasão igual? Pense nisso...

sábado, 27 de novembro de 2010

Carta Aberta ao Leitor: Novidades no Blog

Caro leitor
Salam Aleikum
(Que a paz esteja contigo)

No próximo mês "A Nova Cruzada" estará completando 2 anos de existência insh'Allah (se Deus quiser). Por este motivo neste mês de novembro postamos poucas matérias, pois estamos elaborando um projeto para torná-lo cada vez mais interativo e útil para você.
Como temos acompanhado pela mídia e em nosso dia-a-dia, os ataques ao Islam têm crescido consideravelmente. Porém Alhamdulillah (Graças a Deus) quanto mais é atacado mais se expande no Brasil e no mundo, sendo hoje a religião que mais cresce e a com maior número de integrantes no mundo. Nas Américas, o Brasil está em segundo lugar em número de muçulmanos, ficando atrás apenas dos E.U.A..
Porém como combater tais ataques? Pela violência? De forma alguma. Afinal esta é a forma dos Kafirun (incrédulos) combaterem, usando de artimanhas como falsas informações por exemplo. Quanto a nós muçulmanos, cabe-nos seguir as diretrizes de Allah (Deus) no Sagrado Alcorão que diz: "(...) Dialoga com eles de maneira benevolente, porque o teu Senhor é o mais conhecedor de quem se desvia da sua senda, assim como é o mais conhecedor dos encaminhados" (16:25). Qual então seria a melhor arma para nos defendermos senão o conhecimento?  Isso mesmo, CONHECIMENTO. Por este motivo estamos desenvolvendo para você em nosso blog uma página para Vídeos e outra para Biblioteca. Nelas você poderá assistir vídeos relacionados aos terrores cometidos por Israel por meio de sua política Sionista, reportagens e matérias sobre os mais diversos assuntos relacionados ao Islam, baixar livros gratuitos sobre o "Islam e o Cristianismo", estudos sobre a autenticidade da Bíblia, História do Cristianismo e então poderá comparar com a Civilização Islâmica. Só assim conseguiremos contrapor a luz do conhecimento às trevas da ignorância.
Durante as próximas semanas fique atento, pois atualizaremos ambas as páginas, tanto a de vídeo como a Biblioteca para que você possa ter cada vez o melhor de nosso blog.
Nós do A Nova Cruzada esperamos que você tenha gostado das novidades e que possa sempre tirar o máximo proveito de nosso blog.

Ma Salam,
Equipe A Nova Cruzada

sábado, 20 de novembro de 2010

O Jesus Bíblico, Uma Confusão Animal

Pastores, ovelhas... enfim, esses são termos comuns no meio cristãos. Na Igreja Católica o Bispo recebe o título de Pastor, motivo pelo qual porta o báculo (espécie de cajado). Nas igrejas protestantes o líder religioso recebe o nome de Pastor. Mas por que? Isto encontra fundamento na seguinte passagem bíblica: "Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas suas ovelhas" (Jo.10:11). Ou seja, podemos entender então  que os pastores de hoje, sejam católicos ou protestantes representam Jesus que se auto-intitulou "o bom pastor". Ou seja, as ovelhas - nesse caso os fiéis - deverão seguir os seus líderes pois eles sãos seus guias, tais como o pastor conduz o seu rebanho.
Mas no entanto veja que não é bem assim, pois Jesus não é o bom pastor, mas um membro novo do rebanho, pois o Profeta João Batista segundo o Evangelho relata, disse sobre ele (Jesus): "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo" (Jo.1:29). Se buscarmos o significado da palavra cordeiro, encontraremos no dicionário que esta palavra quer dizer "filhote de ovelha". Ora, se ele era o filhote de suas ovelhas, como poderia guiá-las e ser o seu pastor?
Estou com isso dizendo que nós muçulmanos não aceitamos Jesus (A.A.S.) como um guia, como um mensageiro de  Deus que deve ser seguido? De forma alguma! Até mesmo porque o muçulmano não pode escolher qual profeta seguirá e qual deixará de seguir, por isso segue o exemplo de todos eles. O próprio Profeta Muhammad (S.A.A.S.) foi o grande corroborador de todos os profetas anteriores a ele, e por este motivo a excelência da prática dos ensinamentos divinos transmitidos por todos eles.
Mas neste ponto do texto eis que surge a dúvida: Jesus era o filhote de ovelha (cordeiro) que é conduzido pelo pastor juntamente com as outras olvelhas e carneiros mais velhas que ele inclusive (uma vez que ele é um filhote)? Ou ele seria o pastor que conduz as ovelhas?
Percebemos que de acordo com os ensinamentos cristãos ele então não foi nem cordeiro e nem pastor, mas segundo os teólogos cristãos ele foi o "Leão da Tribo de Judá" como é econtrado em (Ap.5:5). E então? Como explicar agora se o leão como um animal carnívoro ataca as ovelhas? Ele então seria o Pastor que guia e protege o rebanho para que este não se perca nem seja atacado por animais ferozes? Ou seria um filhote de ovelha indefeso também guiado pelo pastor e que precisa da proteção de todo o rebanho? Ou ainda seria o predador das ovelhas?
Eis aí, mais uma confusão animal feita com o nome de Jesus.

sábado, 13 de novembro de 2010

Refutando o Vídeo "A Praga do Islamismo" - Parte I

Pseudo-Pastor Tupirani: Preso por Intolerância Religiosa

Diz Allah no Sagrado Alcorão: "Convoca (os humanos) à senda do teu Senhor com sabedoria e uma bela exortação; dialoga com eles de maneira benevolente, porque o teu Senhor é o mais conhecedor  de quem se desvia  da Sua senda, assim como é o mais conhecedor dos encaminhados" (16:125). E também: "Dize-lhes: 'Ó adeptos do Livro, vinde, para chegarmos a um termo comum, entre nós e vós: Comprometemo-nos, formalmente, a não nos tomarmos uns aos outros por senhores, em vez de Allah. Porém, caso se recusem, dize-lhes: Testemunhai que somos muçulmanos'" (3:64).
Escolhi esses dois versículos para iniciar este artigo pois eles resumem como o muçulmano deve tratar os seus interlocutores ao discutirem ou refutarem uma idéia. E é animado com este intuito que pretendo refutar aqui o vídeo intitulado "A Praga do Islamismo", feito pelo pseudo-pastor Tupirani, que foi preso há um tempo atrás pelo crime de intolerância religiosa como pode ser visto aqui, e pelo que podemos notar vemos que o período em que passou na cadeia não serviu em nada para uma reflexão mais profunda sobre se ele de fato está seguindo os ensinamentos do Profeta Jesus (A.A.S.) ou não.
Peço que você leitor tenha paciência para ler este artigo que é de fato longo, porém o é porque abordarei aqui detalhadamente cada acusação ou alegação feita pelo suposto pastor Tupirani.
Este vídeo foi dividido em cinco partes, e assim pretendemos dividir este assunto em cinco postagens também. Não necessariamente consecutivas. Seja como for passemos às explicações:


Como o tal vídeo foi tirado por tal "pastor" por medo da verdade, recomendamos o link onde está o vídeo retirado: https://www.youtube.com/watch?v=QDRWS2dvvlE

Gostaria de chamar a atenção num primeiro momento para a dicção do mesmo. Sabemos que em toda Igreja cristã séria os seus líderes religiosos devem cursar ao menos o bacherelado em Teologia, o que duvido que o Sr. Tupirani tenha feito ao pronunciar palavras como "grorificamos", "grorificado" e pleonasmos como por exemplo "labareda de fogo". Afinal, creio que ninguém até hoje tenha visto labareda de água. Mas vamos adiante.
Para faciliatr o entendimento, resolvi abordar o tema daqui em diante conforme eles vão aparecendo no vídeo:
  1. Diz o Sr. Tupirani que livros como "Um Breve Guia Ilustrado Para Compreender o Islam" (baixe este livro aqui) e "Jesus, Um Profeta do Islam" (baixe este livro aqui) não são motivos de preocupação para ele pois não têm fundamento. Será que a atitude de se realizar uma palestra exclusivamente para se atacar o Islam e falar justamente deste livros não demonstra o seu grau de preocupação? Afinal ninguém abordaria um assunto nestas condições e filmaria para se colocar na internet se não considerasse no mínimo relevante.
  2. Ele comenta que toda doutrina encontra certamente uma cabeça desavisada. Será que ele estaria de alguma forma alertando aos seus seguidores a respeito dele mesmo?
  3. O Sr. Tupirani ainda acusa a Igreja Católica de construir diversos cofres no Vaticano para usurpar dinheiro dos fiéis. Porém será que isso é uma prática comum da Igreja Católica e do Islam ou de tais pessoas de sua classe como podemos ver nesta reportagem e em tantas outras na coluna a direita deste blog sob o título "Artigos Jornalísticos Sobre Pseudo-Religiosos".
  4. Quanto "aquele negócio" (o templo islâmico) que ele diz, o que prova que o mesmo sequer se preparou para falar chama-se sim, Mesquita. A do Rio de Janeiro que ele afirma fica na Rua Gonzaga Bastos, 77  - Tijuca - Rio de Janeiro - RJ,  Tel.: 55 (21) 2224-1079. E a propósito gostaria de dizer que o Sr. Tupirani precisa estar mais informado sobre a geografia de sua cidade, pois o bairro Tijuca não fica na Zona Sul do Rio de Janeiro, mas no seu extremo oposto, na Zona Norte.
  5. Certamente o Sr. Tupirani não se sairia bem no quadro "Soletrando" do programa "Caldeirão do Huck", pois "concrama" faz doer os tímpanos e mais ainda o cérebro.
  6. O Sr. Tupirani que o Anjo Gabriel praticamente pegou na mão do Profeta Muhammad (S.A.A.S.) para que ele escrevesse. Ora, o que o Anjo Gabriel ordenou foi a palavra em árabe "Iqra", ou seja, "leia".
  7. Segundo o Sr. Tupirani o Islam se desenvolveu na ponta da espada. Talvez ele não tenha estudado sobre o período das Cruzadas, onde os Cristãos invadiram a Palestina e tentaram forçar a todo custo que qualquer pessoa que não fosse cristã, incluindo os muçulmanos, se convertessem ao seu credo. Neste mesmo período houve também a "Santa Inquisição", onde quem não professasse a sua fé em Jesus Cristo como seu salvador e deus era condenado à fogueira e/ou tortura. É sabido por todos que o Alcorão é o livro sagrado para os muçulmanos. Bem, é justamente nele onde podemos ler: "Não há imposição quanto à religião, porque já se destacou a verdade do erro. Quem renegar o sedutor (Satã) e crer em Allah, ter-se-á apegado a um firme e inquebrantável sustentáculo, porque Allah é Oniouvinte, Sapientíssimo" (2:256). Como então podem afirmar que o Islam tem sido imposto? Basta que vejamos a história. Para isso indico o livro "O Estado Islâmico e Sua Organização" de Sami Armed Isbelle, publicado pela Editora Azaan.
  8. Quanto ao termo "Islâmico" este é utilizado para objetos. Os adeptos do Islam são "muçulmanos".
  9. O Grande Profeta Muhammad (S.A.A.S.) casou-se com Aisha, sua esposa quando ele tinha sim cerca de 50 anos e ela por volta dos 18 anos, como pode ser averiguado no sermão do Sheikh Mohamad Al Bukai neste link. Lhe exorto a não ter preguiça leitor e investigar detidamente estas acusações. Por este motivo estou colocando de forma bem clara onde encontrar tais informações, visando facilitar este trabalho.
  10. Bem, o Sr. Tupirani afirma que o Islam é uma rede de estupradores, pedófilos e daí para frente. Será mesmo? Veja as seguintes matérias jornalísticas e tire suas próprias conclusões: Pastor Pedófilo Estupra Criança de 4 anos, Preso Pseudo-Pastor Suspeito de Estuprar 40 Mulheres, Pastor Pedófilo Brasileiro é Preso nos EUA , Pastor Evangélico é Condenado a 175 de Prisão Por Pedofilia. Preciso falar mais alguma coisa a este respeito?
  11. O pseudo-pastor Tupirani diz que existe uma previsão de que o mundo todo se tornará muçulmano daqui a 50 a 70 anos, e que este é exatamente o tempo em que o Profeta Jesus (A.A.S.) retornará. Veja, que ele já sabe quando Jesus voltará, porém o próprio Jesus (A.A.S.) asseverou: "Daquele dia e hora, ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas só o Pai". (Mt.24:36); "Quanto à data e à hora, ninguém sabe, nem os anjos no céu, nem o Filho, somente o Pai". (Mc.13:32). Note que nem os anjos sabem e nem o próprio Jesus (A.A.S.), o qual é figurado aqui como "Filho". Porém o Sr. Tupirani sabe. Estaria ele se arrogando ao papel do Pai, como os cristãos chamam a Deus?
  12. Ele afirma que o Profeta Muhammad (S.A.A.S.) era pedófilo por ter casado com uma jovem de 18 anos. Como então poderíamos chamar José, pai adotivo do Profeta Jesus (A.A.S.), que casou com a Virgem Maria quando ela tinha aproximadamente 15 anos enquanto ele cerca de 40? Isso pode ser visto em diversos documentos cristãos antigos, dentre eles nos apócrifos e em diversos registros históricos. Mas mesmo que assim fosse, na antiguidade os conceitos eram outros. E se ainda hoje de país para país a cultura varia, como não seria assim há mais de um milênio atrás. Por exemplo: se você no Brasil passa um cheque sem fundo, simplesmente terá problemas como o Serasa e o Banco Central. Na China se o faz será executado.
  13. Gostaria muito de saber qual o problema do Sr. Tupirani com a letra "L". As palavras corretas que ele tentou dizer são "Repletos": RE-PLE-TOS e "Inclusive": IN-CLU-SI-VE. Professor Pasquale que nos ajude.
  14. Abordemos a profecia dada ao Profeta Moisés (A.A.S.), presente na Bíblia que diz: "Vou suscitar para eles (os hebreus) um profeta como tu (Moisés), do meio dos seus irmãos (sim, os árabes). Colocarei as minhas palavras em sua boca e ele lhes comunicará tudo o que eu lhe ordenar. Caso haja alguém que não ouça as minhas palavras, que este profeta pronunciar em meu nome, eu próprio irei acertar contas com ele" (Dt.18:18-19). Ora, quem são os irmãos dos judeus? Os árabes, pois o Profeta Abraão (A.A.S.) teve apenas dois filhos: Ismael o primogênito (o que nasceu primeiro), e Isaac. O primeiro deu origem aos árabes, enquanto o segundo aos judeus. Então quem é irmão de quem? Analisemos outro ponto: Se perguntarmos a um cristão se Jesus (A.A.S.) era igual a Moisés (A.A.S.), ele certamente dirá que não, que Jesus (A.A.S.) é superior a Moisés (A.A.S.), logo, este a quem a profecia se refere já não poderia ser o Messias Jesus (A.A.S.) por este motivo. Mas não só por isso. Vejamos quem se parece mais com Moisés, Jesus ou Muhammad? Jesus nasceu de uma virgem, de forma milagrosa. Já Moisés e Muhammad tiveram nascimento natural. Jesus não foi estadista, porém Moisés e Muhammad sim. Jesus não morreu, mas ascendeu ao céu e ainda está vivo. Porém Moisés e Muhammad morreram e ressuscitarão no Dia do Juízo Final. Não está convencido ainda? Veja então o que Paulo de Tarso, tido pelos cristãos como apóstolo de Jesus diz a respeito de seu mestre: "Muitas vezes de modos diversos falou Deus, outrora, aos Pais pelos profetas; agora, nestes dias que são os últimos, falou-nos por meio do Filho (Jesus) , a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e pelo qual fez os séculos. É ele o resplendor de sua glória  e a expressão de sua substância; sustenta o universo com o poder de sua palavra; e depois de ter ter realizado a purificação dos pecados, sentou-se nas alturas à direita da Majestade, tão superior aos anjos quanto o nome que herdou excede o deles". (Hb.1:1-4). E também: "Ao Filho, porém, diz: O teu trono, ó Deus, é para os séculos dos séculos; o cetro da retidão é o cetro de sua realeza. E: Amaste a justiça e odiaste a iniquidade, por isso ó Deus, te ungiu o teu Deus com o óleo da alegria como a nenhum dos teus companheiros. Diz ainda: És tu, Senhor, que nas origens fundaste a terra; e os céus são obras de tuas mãos. Eles perecerão; tu, porém, permanecerás; todos hão de envelhecer como um vestido; e a todos enrolarás como um manto, e serão mudados como vestimenta. Tu, porém és sempre o mesmo, e os teus anos jamais terão fim". (Hb.1:8-12). Ora, se este profeta anunciado em Dt.18:18-19 é como Moisés, então das duas uma: ou o Jesus é apenas um Profeta, ou Moisés assim como Jesus (no conceito Cristão) também é Deus. Caso nenhuma das duas hipóteses sejam possíveis então teremos fatalmente que aceitar que esta profecia se referia sim ao Profeta Muhammad (S.A.A.S.).
  15. O orador afirma que a conversão é voluntária e que não pode ser imposta, como o Alcorão afirma quando Allah diz: "Não há imposição quanto à religião, porque já se destacou a verdade do erro. Quem renegar o sedutor (Satã) e crer em Allah, ter-se-á apegado a um firme e inquebrantável sustentáculo, porque Allah é Oniouvinte, Sapientíssimo" (2:256). No entanto a alegação de tal suposto pastor passa a ser contraditória quando ele invade templos de religiões alheias para depredar para que assim as pessoas "aceitem Jesus".
  16. Ele diz que nós muçulmanos não aceitamos a Bíblia. Bem, percebe-se mais uma vez a sua falta de preparo para se palestrar sobre um determinado assunto, pois a crença nos Livros Sagrados revelados por Deus como a Torah dos judeus, a Bíblia Cristã e o Alcorão são um dos principais pilares da crença islâmica.
  17. A única forma de governo islâmico é o sistema de Califado, e hoje NÃO EXISTE nenhum país de maioria muçulmana que possua um governo islâmico e que seja pautado pela Shariah (a jurisprudência islâmica). Logo não podemos dizer que esses países por possuirem uma maioria muçulmana seja ele um país de governo muçulmano. Como não podemos dizer que a Itália (e não me refiro ao Vaticano) é um país católico apenas porque a sua maioria é de católicos, pois o seu governo é laico, assim como o é os de países como: Arábia Saudita, Egito, Iraque, Afeganistão, e etc.
  18. O Sr. Tupirani diz que pegou de fontes importantes e verídicas as acusações de diversas atrocidades praticadas por muçulmanos contra cristãos. Porque ele não expõe quais são as suas fontes, como estou fazendo neste artigo mostrando detalhadamente cada fonte de onde estou tirando cada informação?

  19. Em determinado ponto do vídeo ele acusa os muçulmanos de coisa que ele sequer sabe o que é, tanto que logo depois afirma: "Vamos falar daquilo que sabemos".
  20. A foto a que o pretenso pastor se refere é a que se encontra ao lado. Diferente do que o mesmo afirma, nós muçulmanos não temos o que esconder. Trata-se de um casamento em que as crianças estão servindo de damas de honra ao lado de seus irmãos, primos, tios e demais parentes, como ocorre hoje no Brasil em tantas igrejas. O grande problema é que quando somos capazes de certas coisas maliciosas achamos que todos são. Não é mesmo Sr. Tupirani? 
  21. O Sr. Tupirani pergunta qual o conceito de mal para nós. Podemos dizer que o conceito de mal é: crime de invasão de privacidade como cometido por ele, calúnia e difamação, como cometido por ele, falta de coerência entre pensamento, palavra e ação como ele mesmo demonstra em seu discurso hipócrita.
  22. O nosso conceito de bem passa também por proteger as nossas propriedades de pessoas que se passam por missionários para fazerem exatamente o que ele conhece tão bem, tanto que descreve facilmente no vídeo.
  23. Sim, todo ser humano nasce muçulmano, uma vez que a palavra muçulmana em linhas gerais que dizer: "aquele que é submisso à vontade de Deus". Há inclusive um hadice (dito) do Profeta Muhammad (S.A.A.S.) que afirma: "Toda criança nasce muçulmana, depois seus pais a tornam judia, cristã ou idólatra". Ora, toda criança nasce submissa à vontade de Deus, pois até mesmo seus movimentos musculares são involuntários, suas reações ao meio externo são involuntárias, está completamente entregue à vontade de Deus. Ela também é completamente pura, então... depois os seus pais vão implantando seus conceitos nela.
  24. Se o Islam não permitisse a mudança de religião, o próprio Profeta Muhammad (S.A.A.S.) não teria aceito judeus e cristãos em seu meio quando se tornou estadista. Além do mais houve casos de alguns muçulmanos que resolveram abraçar o judaísmo após já terem abraçado o Islam, e o Profeta as deixou ir livremente sem qualquer impedimento. O que é proibido e penalizado com a morte é o caso de um muçulmano sair do Islam e começar a difamá-lo, assim como se um cristão sair de sua religião e começar a difamá-la e assim por diante.
  25. Sobre qual justiça nós defendemos, você leitor pode se informar mais através deste artigo.
  26. De fato, a mídia tem "rabo preso", o Sr. Tupirani não. ele tem é uma ficha na polícia como criminoso.
  27. Se o deus do Sr. Tupirani proibe tais coisas, e ainda assim ele o faz, então não sabemos realmente a qual deus ele adora. Nós muçulmanos adoramos ao Deus Único.
  28. Nós não o fizemos, mas por falar em riqueza sangrenta, será que teremos que voltar ao caso das cruzadas?
  29. "A Bíblia nunca precisou de revisão para a profecia de Deus". Pro isso mesmo foi alterada e deturpada como já demonstramos tantas vezes aqui neste blog. Mas ainda partindo do pressuposto de que o que o Sr. Tupirani esteja certo, então de onde vem o Novo Testamento? E por que dizem que Jesus (A.A.S.) quebrou com a lei antiga? Não houve então uma revisão, uma atualização na lei então?
  30. Bem, Muhammad (S.A.A.S.) era o único profeta naquele momento, e o Sagrado Alcorão estava sendo revelado a ele. o Anjo Gabriel revisaria com quem? Com o Sr. Tupirani? Ora, já imaginou a Torah sendo passada parte para o Profeta Moisés, parte para Abraão, parte para Aarão e etc?
[Continua]

terça-feira, 2 de novembro de 2010

O Dia dos Mortos

Cemitério Islâmico
Hoje na sociedade ocidental se celebra o dia dos mortos, ou mais precisamente o "dia de finados" como ficou conhecido.
Percebemos que no Ocidente a idéia de morte vem sempre acompanhada pelo medo ou por uma sensação desagradável, por isso evita-se falar dela e mesmo pensar sobre ela. Mas isso tem raiz justamente na forma como esta sociedade vive. 
A frase latina Carpe Diem que é traduzida como "aproveite o dia", ou em linhas gerais "aproveite o momento" é normalmente distorcida, e aqueles que a tomam como divisa a utilizam para justificar uma série de excessos. Mas o que quer dizer de fato o temo "Carpe Diem"? O que é "aproveitar o momento"? Na verdade o ser humano vive como se nunca fosse morrer, enquanto não tem a menor garantia se estará vivo no próximo segundo. 
No Islam somos exortados pelo sagrado Alcorão e pelo Profeta Muhammad (S.A.A.S.) a pensarmos constantemente na morte. Isso quer dizer que devemos nos tornar góticos? De forma alguma. Devemos ser depressivos e desejarmos a morte? Em absoluto. Mas devemos refletir sobre ela diariamente. Esta é inclusive uma das formas de se purificar o nosso coração. O muçulmano deve ter sempre em mente que a morte, a "demolidora dos prazeres" não escolhe raça, credo, classe social, nem marca dia e hora para vir nos buscar e por mais que o ser humano tente fugir dela, ela certamente o alcançará. E você, como pretende encontrá-la? E se ela viesse no exato momento em que você está lendo este artigo? Como você a receberia? Recorde que a nenhum de nós é garantida a salvação independente de religião, pois não seremos julgados apenas pelas nossas crenças, mas pela nossa conduta, pela nossa prática, pela nossa intenção e assim por diante. E no Dia do Juízo final Allah será tão misericordioso quanto justo. Aprendemos no Islam que podemos antes do Dia do Juízo Final, colocar-nos diante de nós mesmos como nossos juízes e nos julgarmos, e assim poderemos no dia seguinte insh'Allah (se Deus quiser) como um ser humano melhor.
Salat Janaza - A Oração Fúnebre Islâmica 
Diferente do velório e do enterro judaico-cristão no enterro islâmico o caixão (quando há) é apenas para transportar o morto. Não há flores, não há vestes especiais, estará apenas vestido de branco e envolto pela sua mortalha da mesma cor. Será então sepultado em um cemitério islâmico em uma cova sem pavimentação, entre seu corpo e a terra existirá apenas sua mortalha, e a única coisa que acompanhará o falecido serão suas boas ações que terminarão quando ele morrer. Salvo em três casos: se tiver deixado um conhecimento que outros possam ter acesso e se beneficiem dele, se tiver feito uma caridade permanente como ter construído um hospital, uma biblioteca e outras coisas mais, ou ter deixado um filho virtuoso e piedoso que se  lembre frequentemente dele e ore por ele pedindo a misericórdia de Deus.
Os muçulmanos são exortados a visitar os túmulos e quando estiverem diante deles, recordar o quão efêmera é esta vida, e quanto de apego temos a ela como se essa fosse a nossa derradeira vida, e não a que teremos ou no Paraíso ou no Inferno. Por isso ao visitar os túmulos devemos dizer: "Que a paz esteja convosco ó habitantes dos túmulos, crentes e muçulmanos, se Allah deseja  nos reuniremos convosco, e pedimos a Allah o bem-estar para nós e vós".
E você leitor, estaria pronto para encontrar com o anjo da morte hoje?

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

A Controversa Gênesis Bíblica

Se questionarmos a qualquer cristão sensato se Deus possui as mesmas limitações que nós seres humanos, obviamente ouviremos um categórico não, pois Deus é perfeito, onipotente e onisciente. Nós muçulmanos concordamos com isso. Porém a Bíblia, já tão deturpada pelos homens diz exatamente ao contrário. Mostra um deus cheio de falhas, indeciso e ineficiente. Quero dizer com isso, porém que nós muçulmanos, judeus e cristão originalmente adoramos a deuses diferentes? De forma alguma. Adoramos ao mesmo e único e Deus. O Deus que revelou as escrituras originalmente a Abraão, Moisés, David, Jesus e Muhammad (S.A.A.S.). Todavia não cremos no Deus fabricado pelas diversas alterações humanas presentes na Bíblia, que mostram um deus com todas as características falíveis citadas acima. Não crêem? Então vejamos: 

"Deus disse: 'Haja luz', e houve luz. Deus viu que a luz era boa, e Deus separou a luz das trevas. Deus chamou a luz 'dia' e às trevas 'noite'. Houve um tarde e uma manhã: primeiro dia" (Gn.1:3-5).

Note que já havia um dia luminoso mesmo sem sol, pois este ainda não havia sido criado. Mas Deus separou a luz das trevas no primeiro dia, e neste momento é isso que nos importa. Agora vamos adiante:

"Deus disse: 'Que haja luzeiros no firmamento do céu para separar o dia e a noite; que eles sirvam de sinais, tanto para as festas quanto para os dias e os anos; que sejam luzeiros no firmamento do céu para iluminar a terra', e assim se fez. Deus fez os dois luzeiros maiores: o grande luzeiro como poder do dia e o pequeno luzeiro como poder da noite, e as estrelas. Deus colocou no firmamento do céu para iluminar a terra, para comandar o dia e a noite, para separar a luz e as trevas, e Deus viu que era bom. Houve uma tarde e uma manhã: quarto dia" (Gm.1:14-19).

Ora, para que era necessário se separar a luz e as trevas no quarto dia se isso já havia sido feito por Deus no primeiro dia?
Mas as diversas contradições não param por aqui.
Notemos que Deus ao fim de cada dia vê que tudo o que Ele havia feito era bom. Isso pode ser constatado nos seguintes versículos: (Gn.1:3, 12, 18, 21, 25 e 31). Porém Ele próprio aprovou tudo o que fez. Mas em determinado momento Ele vê que a Sua criação não era tão boa assim e que algo saiu errado. Aí você pode perguntar: "Mas como?! Deus erra?" Claro que não. No entanto as alterações feitas por homens de má índole, em busca de prestígio e poder político leva a judeus e cristãos a crerem, segundo as suas próprias escrituras que sim.
Talvez você possa inquirir: "Mas onde diz na Bíblia que Deus errou?" Ora, só podemos nos arrepender de um erro, pois ninguém se arrepende de ter feito o certo. E lembre-se: estamos falando de Deus. Veja o que encontramos:

"Iahweh viu que a maldade do homem era grande sobre a terra, e que era continuamente mau todo desígnio de seu coração. Iahweh arrependeu-se de ter feito o homem sobre a terra, e afligiu-se o seu coração. E disse Iahweh: 'Farei desaparecer da superfície do solo os homens que criei - e com os homens os animais, os répteis e as aves do céu - porque me arrependo de os ter feito'" (Gn,6:5-7).

Notemos nestes versículos que segundo Deus foi o homem que errou, mas os animais também foram punidos por isso.Além do mais Deus é perfeito e onisciente. Ele não sabia que havia criado o homem na imperfeição? E se não sabia já não seria onisciente. E se puniu os animais pelos erros dos homens também não foi justo. E surge mais uma pergunta: Deus se aflige?
Nós só nos afligimos porque não temos poder para mudar os fatos e nem onisciência para saber o futuro.
Pode-se alegar então que Deus concedeu o livre arbítrio ao homem.
Porém se Ele sabe antes que aconteça tudo o que ocorrerá, sabia então que o homem se desviaria de sua senda. Mas ainda assim podemos chegar a conclusão de que Deus se arrepende certo? Não. Errado. Veja:

"Deus não é homem para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa. Por ventura diria ele, e não faria? Ou falaria, e não confirmaria?" (Nm.23:19).

Por fim chegamos ao término da criação:

"Deus concluiu no sétimo dia a obra que fizera e no sétimo dia descansou de toda a obra que fizera. Deus abençoou o sétimo dia e o santificou, pois nele descansou depois de toda a sua obra de criação" (Gn.2:1-3).

Então a obra da criação foi cansativa para Deus? Parece que sim, senão não teria porque descansar, uma vez que só descansa quem está cansado. Mas vejamos:

"Não sabes? Não ouvistes dizer? Iahweh é Deus eterno, criador das extremidades da terra. Ele não se cansa nem se fatiga, sua inteligência é insondável. Ele dá força ao cansado, prodigaliza vigor ao enfraquecido" (Is.40:28-29).

Ou seja, alguém que dá força ao cansado e não se cansa nem se fatiga precisou descansar?
Leitor, pense, raciocine.
Existem diversos estudos acadêmicos, históricos e científicos que comprovam que a Bíblia foi amplamente adulterada de seu original que não existe mais hoje em local algum, muito diferente do Sagrado Alcorão. E ainda hoje temos  verdadeiros inquisidores que dizem querer ensinar a Bíblia aos muçulmanos. Como se eles próprios não a conhecem? A diferença dos muçulmanos para certas classes de missionários é que nós estudamos a Bíblia. Quer aprendê-la conosco? Seja bem-vindo...