terça-feira, 2 de novembro de 2010

O Dia dos Mortos

Cemitério Islâmico
Hoje na sociedade ocidental se celebra o dia dos mortos, ou mais precisamente o "dia de finados" como ficou conhecido.
Percebemos que no Ocidente a idéia de morte vem sempre acompanhada pelo medo ou por uma sensação desagradável, por isso evita-se falar dela e mesmo pensar sobre ela. Mas isso tem raiz justamente na forma como esta sociedade vive. 
A frase latina Carpe Diem que é traduzida como "aproveite o dia", ou em linhas gerais "aproveite o momento" é normalmente distorcida, e aqueles que a tomam como divisa a utilizam para justificar uma série de excessos. Mas o que quer dizer de fato o temo "Carpe Diem"? O que é "aproveitar o momento"? Na verdade o ser humano vive como se nunca fosse morrer, enquanto não tem a menor garantia se estará vivo no próximo segundo. 
No Islam somos exortados pelo sagrado Alcorão e pelo Profeta Muhammad (S.A.A.S.) a pensarmos constantemente na morte. Isso quer dizer que devemos nos tornar góticos? De forma alguma. Devemos ser depressivos e desejarmos a morte? Em absoluto. Mas devemos refletir sobre ela diariamente. Esta é inclusive uma das formas de se purificar o nosso coração. O muçulmano deve ter sempre em mente que a morte, a "demolidora dos prazeres" não escolhe raça, credo, classe social, nem marca dia e hora para vir nos buscar e por mais que o ser humano tente fugir dela, ela certamente o alcançará. E você, como pretende encontrá-la? E se ela viesse no exato momento em que você está lendo este artigo? Como você a receberia? Recorde que a nenhum de nós é garantida a salvação independente de religião, pois não seremos julgados apenas pelas nossas crenças, mas pela nossa conduta, pela nossa prática, pela nossa intenção e assim por diante. E no Dia do Juízo final Allah será tão misericordioso quanto justo. Aprendemos no Islam que podemos antes do Dia do Juízo Final, colocar-nos diante de nós mesmos como nossos juízes e nos julgarmos, e assim poderemos no dia seguinte insh'Allah (se Deus quiser) como um ser humano melhor.
Salat Janaza - A Oração Fúnebre Islâmica 
Diferente do velório e do enterro judaico-cristão no enterro islâmico o caixão (quando há) é apenas para transportar o morto. Não há flores, não há vestes especiais, estará apenas vestido de branco e envolto pela sua mortalha da mesma cor. Será então sepultado em um cemitério islâmico em uma cova sem pavimentação, entre seu corpo e a terra existirá apenas sua mortalha, e a única coisa que acompanhará o falecido serão suas boas ações que terminarão quando ele morrer. Salvo em três casos: se tiver deixado um conhecimento que outros possam ter acesso e se beneficiem dele, se tiver feito uma caridade permanente como ter construído um hospital, uma biblioteca e outras coisas mais, ou ter deixado um filho virtuoso e piedoso que se  lembre frequentemente dele e ore por ele pedindo a misericórdia de Deus.
Os muçulmanos são exortados a visitar os túmulos e quando estiverem diante deles, recordar o quão efêmera é esta vida, e quanto de apego temos a ela como se essa fosse a nossa derradeira vida, e não a que teremos ou no Paraíso ou no Inferno. Por isso ao visitar os túmulos devemos dizer: "Que a paz esteja convosco ó habitantes dos túmulos, crentes e muçulmanos, se Allah deseja  nos reuniremos convosco, e pedimos a Allah o bem-estar para nós e vós".
E você leitor, estaria pronto para encontrar com o anjo da morte hoje?

Nenhum comentário:

Postar um comentário