segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

2 Anos de A Nova Cruzada

Caro leitor, neste ano de 2010, 1432 H (ano islâmico), é com grande prazer que comunicamos que o Blog A Nova Cruzada completa 2 anos de existência. Durante esse tempo temos lutado contra a aculturação e o preconceito para com o Islam e os muçulmanos fomentados pela mídia e por pseudo-religiosos.
No meio virtual na atualidade fazer um blog chegar a 2 anos de existência é uma verdadeira vitória, visto que segundo as estatísticas, a maioria dos blogs não passam de 3 meses. Porém se alcançamos esta vitória ela é devida primeiramente a Allah (Deus) e depois a você leitor, que nos acompanha, envia seus comentários e participa ativamente deste blog que é feito para você. Sem você nosso trabalho não teria qualquer utilidade.
De nossa parte esperamos insh'Allah (se Deus quiser) estarmos juntos por mais dois anos, e mais dois, e mais dois...
Nós Omar Israfil Dawud Bin Ibrahim e Fatimah Bint Maryam agradecemos a sua visita e assiduidade em acompanhar este blog.

Salam Aleikum!
(Que a paz esteja contigo)

Fatimah e Omar: equipe do A Nova Cruzada

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Brasil e Argentina Reconhecem Estado Palestino

Quando o Presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad afirmou o seu desejo de que Israel fosse varrido do mapa, todos ficaram apreensivos esperando que seu país o atacasse e assim acabasse com o Estado Sionista. Porém para a surpresa de muitos, pouco a pouco este objetivo vai sendo alcançado, e novos passos foram dados esta semana, quando o Brasil, seguido pela Argentina reconheceram a Palestina como país, e o Urugai e outros quatro países sulamericanos afirmaram que pretendem fazer o mesmo em 2011.
Se isso ainda não bastasse, o território palestino reconhecido é o mesmo anterior ao período da Guerra dos Seis Dias. Ou seja: Faixa de Gaza, a Cisjordânia e Jerusalém Oriental, onde se encontra a Mesquita de Al Aqsa. Primeira Qibla (ponto para onde se direcionam os muçulmanos para orar em todas as partes do mundo) do Islam e a terceira mesquita mais importante depois de Maka e Madina.
Com essa decisão Brasil e Argentina se unem aos mais de 100 países que reconhecem a Palestina como um País. Dentre eles se encontram: Rússia, China, Índia, África do Sul, países africanos de modo geral e também os países árabes.
Desta maneira a postura de Israel e E.U.A.. vão ficando cada vez mais isoladas, motivo pelo qual Hanan Asharawi, a primeira mulher a ocupar o Comitê Executivo da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) afirmou: "Quanto mais países reconhecerem o Estado Palestino nos territórios ocupados por Israel, mais isolados ficarão as posturas opostas de Israel e E.U.A.".
Da parte do A Nova Cruzada, nós fazemos eco ao desejo de Mahmud Ahmadinejad de que Israel de fato suma do mapa, mas não da forma violenta e arbitrária como é característico do arbitrário Estado Sionista fazer, mas da forma como já está acontecendo Alhamdulillah (Graças a Deus).

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Feliz Ano Novo! Bem-Vindo a 1432

Diferente do calendário gregoriano adotado pelo ocidente, nós muçulmanos marcamos o ano pelo calendário lunar, e isso nada tem haver com alguma adoração à luz ou coisas do gênero, até mesmo porque nós muçulmanos não adoramos senão a Deus.
O calendário islâmico é também composto de 12 meses, sendo alguns desses compostos de 29 e outros de 30 dias, perfazendo um total de 354 dias.
O ano islâmico foi introduzido pela primeira vez no ano de 638 d.C. pelo Companheiro do Profeta Muhammad (S.A.A.S.) e segundo Califa Omar Ibn Al Khattab, tomando por marco inicial a Hégira, ou seja, a migração de Muhammad (S.A.A.S.) da cidade de Maka para a cidade de Madina. Este então foi tomado como o primeiro mês. Por isso o ano islâmico tem início em 1º de Muharram. 
Hoje estamos em 1º de Muharram, e com isso iniciamos o ano de 1432 H. De nossa parte desejamos a você leitor que planeje seu ano, reflita sobre o que passou e tome a firme decisão de se empenhar ainda mais na correção de seus defeitos e na implantação de novas virtudes. Que este seja um ano de sucesso, conquistas e realizações sob a vontade de Deus. É o que deseja a equipe do A Nova Cruzada.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

O Paganismo do Natal

Diferente do que a maioria dos cristãos pensam, o Natal nada tem haver com o nascimento do Profeta Jesus (A.A.S.), a quem Paulo de Tarso e a Igreja de Roma divinizaram. Árvores enfeitadas, guirlandas nas portas, isso é bem anterior a comemoração cristã. Há registros históricos de que os os celtas, que viveram há cerca milênios antes de nossa era adoravam em sua religião politeísta a uma deusa e um deus, a quem chamavam respectivamente de "Grande Mãe" e "Deus Cornífero". A maioria de seus rituais eram feitos sob um grande carvalho, árvore tida como sagrada por este povo, a qual enfeitavam pendurando coisas que achavam belas, como também pedidos aos seus deuses, pois essa era para eles uma espécie de pontes entre o céu e a terra, ou melhor: entre suas divindades e os seres humanos. A própria guirlanda era feita no inverno com folhas de pinheiro, pois eram as únicas que permaneciam verdes nesse período. Com elas entrelaçadas eram formados círculos e então eram penduradas nas portas como boas-vindas aos deuses.
Seja como for já é sabido por diversos historiadores laicos e cristãos hoje em dia que o Profeta Jesus (A.A.S.) não nasceu no dia 25 de dezembro, mas essa era a data de homenagear ao deus sol, ou melhor, o Sol Invictus, que foi substituído por Jesus no período de Constantino Magno, com a intenção de cristianizar o paganismo.
A própria figura mítica de Papai Noel como é conhecido no Brasil, ou Pai Natal como é chamado em Portugal ou ainda Santa Claus de acordo os países de língua inglesa, é algo a se refletir, pois segundo a tradição, este homem foi o próprio São Nicolau (como chamado pela tradição cristã), nascido na Turquia, mais tarde se tornou bispo. Um homem de bom coração que distribuia presentes e dinheiro em caridade. Até o final do século XIX era representado com uma roupa de inverno predominantemente verde e marrom. Porém em 1886, o cartunista alemão Thomas Nast criou uma nova versão para esta personagem, que mais tarde, em 1931 foi adotada pela Coca-Cola em uma campanha publicitária. Desta vez da forma como já conhecemos na atualidade, ou seja, com suas vestes vermelhas e brancas.
Se pararmos para raciocinar ainda veremos que a valorização aos presentes e o enfoque comercial do natal se tornou tão grande, que se não fosse a profanação cometida por se mesclar cristianismo e paganismo, esta seria cometida pelos pais das crianças ao mentirem para seus filhos a respeito da existência de Papai Noel.
Este inclusive é um ponto muito importante, pois a criança cresce aprendendo desde cedo que Papai Noel é real, e apenas mais a frente descobrirá que seus pais que deveriam ser os seus exemplos, mentiram para ela, e assim ela fará com seus filhos, criando desta maneira um ciclo vicioso de mentiras. Desta forma que estaremos comemorando o nascimento de um Profeta da estirpe de Jesus (A.A.S.)? 
Nós muçulmanos não comemoramos apenas o aniversário de Jesus, mas nos abstemos de comemorar os nossos próprios, como também o de todos os outros Profetas, inclusive o do Profeta Muhammad (S.A.A.S.).
Reflita leitor: se você não é cristão não há por que comemorar o natal, e se o é também não, pois esta data nada tem haver com o nascimento de Jesus (A.A.S.).