quarta-feira, 22 de junho de 2011

Mãe?



Kim Crawford, de 21 anos, moradora do Bronx, em Nova Yorque (EUA), espancou o filho de cinco anos até a morte por causa de uma televisão. Ela admitiu ter agredido violentamente seu filho de cinco anos, no último fim de semana, porque ele havia feito a televisão pifar, enquanto jogava o videogame Nintendo Wii.

O menino só foi levado ao hospital cinco dias após ser espancado e acabou não resistindo e morreu por causa de uma infecção no pâncreas e com o intestino dilacerado. Os golpes dados no menino foram tão fortes que ele acabou com graves lesões internas.
Este tipo de atrocidade se torna mais frequente a cada dia e parece que acaba tornando as pessoas cada vez mais insensíveis a eles. Todos os dias vemos na TV ou lemos nos jornais casos de mães que matam seus filhos ou jogam seus bebês ainda recém nascidos em lixeiras, pais que estupram suas filhas ainda crianças ou que matam os próprios filhos para se vingarem de algo que as mães tenham feito a eles, como se os filhos tivessem alguma culpa das atitudes destes monstros que deveriam proteger a integridade dessas crianças. Irresponsáveis que são chamados de “pais” devido ao laço sanguíneo, mas que não têm nenhum sentimento por seus filhos e descontam neles suas frustrações, falta de caráter e insanidades.

O Direito das crianças no Islam:
Alimentação: os pais têm o dever de alimentar seus filhos. Segundo um "hadith" do Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele):
"É pecado suficiente para uma pessoa não cuidar daqueles cuja alimentação é sua responsabilidade".
Proteção: É obrigação dos pais protegerem seus filhos do perigo e de conceitos que possam afetar seu caráter ou personalidade, veiculados através de televisão, influência na escola, nas ruas ou outro meio qualquer.
Medicação: Os pais devem se assegurar de que seja dada à criança a medicação correta para protegê-los de doenças e cuidar corretamente de seus filhos quando eles estiverem doentes.
Vestimenta: criança tem direito a receber roupas adequadas à sua idade e ao seu sexo e que também sejam adequadas à estação do ano.
Linhagem: A criança tem direito de saber quem são seus pais e de ser reconhecida por eles. Como consequência deste direito decorrem uma série de injunções islâmicas que são com frequ
ência mal-interpretadas por não-muçulmanos e que merecem ser explicadas:
O Islam proíbe a adoção legal, que concede à criança o nome de seus pais adotivos tornando-a um descendente legítimo. No Islam é permitida a guarda legal e a criança pode receber herança de seus pais adotivos em forma de doação, mas não é considerada legalmente um descendente de seus pais adotivos. Este fato não impede que os guardiões legais amem e cuidem da criança com o amor que dedicariam a um filho verdadeiro, mas evita que a criança acredite pertencer a uma família que na realidade não é a sua, perdendo suas raízes e origens.
Religião: Ao chegar aos 7 anos de idade, que é chamada no Islam de "idade de Tamiz" ou idade do discernimento, a criança muçulmana deve ser ensinada a fazer suas orações, que caluniar alguém é "haram" (ilícito),
e outros ensinamentos básicos da religião.
Nome: É um direito da criança receber um nome islâmico adequado, preferencialmente até o sétimo dia de vida. A escolha de um bom nome deve ser feita com a "nyia" (intenção) de que a criança seja abençoada com as bênçãos relacionadas ao nome.
Escolha de Bons Pais: O muçulmano e a muçulmana devem escolher bons parceiros para o casamento. O propósito do casamento é definido no Islam não só como prazer e procriação, portanto a escolha de um(a ) parceiro(a) que seja religioso(a) é essencial. Um "hadith" do Profeta Muhammad(que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele) narrado por Aisha diz:

"Escolha a mãe para seus filhos e case com uma boa mulher."
Em outro "hadith" o Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele) diz:
"As pessoas se casam por 4 razões: riqueza, origem, beleza e religião. Case pela religião e seus filhos estarão salvos."
O mesmo se aplica às muçulmanas na escolha de seu futuro marido.
Casamento: Os pais devem se certificar que seus filhos se casem com pessoas religiosas e, portanto não devem recusar ou oferecer obstáculos para o casamento de seus filhos sem razão. O Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele) disse:
"Se um homem religioso vier até você para casar com sua filha deixe-os casar, de outra forma haverá corrupção."
Contudo, é importante ressaltar que o casamento não é imposto, ou seja, caso o filho ou a filha não concordem com a recomendação dos pais, estes podem se recusar ao casamento.
É direito da criança ser educada dentro da maneira islâmica e que lhe sejam ensinadas boas maneiras. Educação e gentileza são partes da fé e estes conceitos devem ser passados para a criança ao longo de sua educação. E acima de tudo é direito da criança ser tratada com carinho e amor.
É importante lembrar o desagrado do Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele) ao saber que Al-Aqra ibn Habis nunca havia beijado nenhum de seus filhos. Ao ouvir esta afirmação o Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele) lhe disse:
"Você não tem nenhuma misericórdia ou ternura. Aqueles que não têm misericórdia, não terão a misericórdia de Deus."
Como eu costumo dizer: A mulher saiu do homem uma única vez, depois disso, todos os homens saíram de uma mulher!... Portanto, mulheres, sejam o exemplo dos homens!
Como mães, cabe a nós a educação, a formação, dos futuros homens e mulheres do mundo! Cabe a nós lutarmos pelos direitos de uma sociedade mais justa, pelos direitos dos nossos filhos, para que no futuro nossos netos não presenciem as atrocidades tão comuns hoje na nossa tão moribunda sociedade.
Se estes monstros soubessem quantas pessoas queriam gerar filhos e não podem, jamais gerariam vidas de maneira irresponsável, sem garantir o mínimo necessário ao conforto e bem estar destas crianças.
Se o sistema fosse menos burocrático e mais eficiente, facilitaria a estas pessoas de bem o acesso à adoção, para que menos crianças ficassem nos “depósitos infantis” que são os abrigos e orfanatos que temos hoje.

O que acontece com estas crianças?
Ou morrem vítimas de seus “irresponsáveis” ou são postas em locais que mais parecem prisões, que não oferecem qualidade de vida a eles. Prisões para crianças inocentes que são impedidas por uma “burrocracia” de serem adotadas e amadas e de receberem um lar digno e o respeito que merecem...
O que acontece com os monstros que as geraram e as puseram no mundo?
Qualquer punição que seja é pouco para pagar o dano irreversível que cometem com suas vítimas indefesas!
Até os animais irracionais protegem sua cria.
Onde está a “humanidade” dos humanos?
Onde se perdeu o raciocínio dos homens? Os valores, a sensibilidade, o amor?

3 comentários:

  1. É, eu que não tenho filhos e não pretendo tê-los, fico horrorizada com essas bagaceiras que se dizem mães e cometem esses atos brutais! Imagina quem tem ou quer ter...!

    Parece radicalismo, mas é por essas e outras que sou a favor de laqueadura ou vasectomia, mesmo para quem nunca teve filhos: desde que seja decisão própria e passe por um processo para ter maior certeza da decisão, semelhante ao que ocorre em quem quer mudar de sexo!

    Muitas que cometem essas barbáries nunca quiseram ter filhos, por descuido engravidaram e não puderam abortar, seja por pressão ou falta de oportunidade!

    Concordo que a burocracia prejudica muito a crianças, mas se tendo muita burocracia, a gente vê criança sendo devolvida e mal tratada, imagina se não tivesse! É complicado!

    ResponderExcluir
  2. Salam Aleikum Kiara
    O Islam não é contra o uso de métodos anticoncepcionais, a menos que estes sejam permanentes, tais como a vasectomia e a ligadura. Quanto a cirurgia de mudança de sexo também é proibida, pois Allah criou o homem para ser homem e a mulher para ser mulher. Porém não entraremos neste aspecto aqui pois o assunto da postagem é outro.
    Quanto a questão da burocracia no Brasil, creio que atrapalhe sim, pois quem abandona as crianças não são as mesmas pessoas que tentarão adotar. E por isso os abrigos ficam como a Fatimah disse na matéria, parecendo depósito de crianças, que passam a não ter direito a uma formação moral e familiar decente. E desta maneira geramos uma bola de neve para a decadência de nossa sociedade.
    Não é preciso muito. No Brasil existe a distribuição de preservativos masculinos e anticoncepcionais para mulheres e inclusive DIU que podem ser conseguidos gratuitamente em qualquer posto de saúde. Então quer dizer, realmente não há desculpa. O problema é que muitas dessas mulheres muito semelhantes a animais não raciocinam nas consequências daquele ato sexual inconsequente, as vezes com pessoas que elas sequer conhecem. Depois além de sua promiscuidade evidente tornam-se assassinas abortando ou assassinando seus filhos ainda pequenos por não terem estrutura moral e psicológica para exercer a importante função de ser mãe.

    ResponderExcluir
  3. Aleikum Salaam, Omar!

    Isso é verdade... todos esses métodos são distribuídos DE GRAÇA, desde ao mais pobre até o mais rico, o que acho muito correto: o acesso amplo. Tanto que o Brasil é destaque em programas de prevenção à AIDS e DST's.

    Quando falei da cirurgia de mudança de sexo, não quis mudar o tema! Desculpa se pareceu isso! É que estava falando que a vasectomia e laqueadura, poderiam ser opção da pessoa, mesmo que nunca tenha tido filhos, desde que passasse por um acompanhamento psicológico, para ter certeza da decisão, como ocorre com quem quer mudar de sexo, entende?

    Falo da laqueadura e vasectomia como opções, pois há muitas pessoas que realmente não pensam em ter e realmente não querem ter filhos, estando mais que convictas disso. Só que não faço apologia, tem que pensar bem mil vezes, porque é algo que praticamente não tem reversão! Mas acho muito mais justo operar para não ter filhos a engravidar para abortar ou ter para maltratar de todas as formas possíveis!

    Realmente, a burocracia prejudica muito mais quem quer, de verdade, adotar uma criança! Mas pode se ver famosos adotando sem empecilho algum! É muito desleal isso! Sempre querem dar preferência para quem tem mais dinheiro, mas não para aquele casal que não tem tanto dinheiro porém o mínimo, sendo que tem de sobra, condições morais e psicológicas!

    ResponderExcluir