quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Reencarnação X Ressurreição

Allan Kardec - Codificador do Espiritismo
Recentemente temos tido bastante contato com pessoas das mais diversas religiões e uma boa parte destas professam a religião espírita como codificada por Allan Kardec. E como não podia deixar de ser esse encontro entre crenças distintas suscitou algumas questões. Uma delas sobre a Reencarnação e a Ressurreição; motivo pelo qual tomamos a resolução de esclarecer a diferença entre ambas e tornar evidente a posição do Islam quanto a elas.
Obviamente a crença na teoria da reencarnação não é nova, e já encontrávamos povos e religiões que a defendiam há séculos e até milênios do advento do Sagrado Alcorão. Como por exemplo podemos citar os hindus, os egípcios antigos e também os budistas. No entanto a antiguidade de uma crença não é motivo suficiente para a tomarmos como verídica. Se assim fosse não haveria motivos para todos os profetas que vieram combaterem as religiões já distorcidas pelo homem que encontraram em suas respectivas regiões e épocas.
Logo fica claro que a teoria reencarnatória não foi de forma alguma inventada pelo Espiritismo e por seu codificador, Allan Kardec, mas adotada por estes.
Em seu livro intitulado "O Evangelho Segundo o Espiritismo" lemos:

"A reencarnação é a volta da alma ou espírito à vida corpórea, mas em outro corpo formado para ele e que nada tem em comum com o antigo." (Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. IV).


Ilustração sobre a reencarnação
No entanto se atentarmos para a própria palavra "reencarnação", veremos que a mesma paradoxalmente respalda a "ressurreição", pois a primeira expressão deriva-se do latim: Re-in-Carnare, ou seja Re= Voltar + in = na, ou dentro + Carnare= Carne. Logo reencarnação significa: "voltar à carne". No entanto a idéia de ter como destino um novo corpo não faz sentido, pois não haveria uma volta a carne. Não podemos voltar para um corpo onde nunca estivemos. Só se volta para onde estávamos anteriormente. Então... voltamos para o mesmo corpo onde vivemos.
Se nos aprofundarmos ainda mais nas tradições proféticas, veremos que ao contrário do que tenta comprovar o a Doutrina Espírita, nenhum dos profetas jamais corroborou tal teoria.
Para defender porém a reencarnação lemos ainda no Evangelho Segundo o Espiritismo:

"Com efeito , a ressurreição dá idéia de voltar à vida o corpo que já está morto, o que a Ciência demonstra ser materialmente impossível, sobretudo quando os elementos desse corpo já se acham desde muito tempo dispersos e absorvidos." (Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. IV)

Porém o próprio Deus responde tal afirmação no Sagrado Alcorão quando diz:

"Acaso, não sabe o homem que o temos criado de uma gota de esperma? Contudo, ei-lo oponente declarado! E nos propõe comparações e esquece a sua própria criação, dizendo: Quem poderá reviver os ossos, quando já estiverem decompostos? Dize: Revive-los-á Quem os criou da primeira vez, porque é Conhecedor de todas as criações. Ele vos proporcionou fazerdes fogo de árvores secas, que vós usais como lenha. Porventura, Quem criou os céus e a terra não será capaz de criar outros seres semelhantes a eles? Sim! Porque Ele é o Criador por excelência, o Onisciente!
Sua ordem quando quer algo, é tão somente: Seja! , e é.
Glorificado seja, pois, Aquele em Cujas Mãos está o domínio de todas as coisas, a Quem retornareis." (Sagrado Alcorão 36:77-83).

Se compararmos o excerto do Evangelho Segundo o Espirtismo com  as ayat acima presentes no Sagrado Alcorão, veremos que o primeiro limita Deus, pois afirma ser impossível para o Criador refazer o que ele próprio originou.
Se apelarmos porém para o senso de justiça alegado pelo Espiritismo, de que ao tomar um novo corpo o espírito esquece o que fez e quem foi em uma suposta vida precedente, também careceria de base, pois sobre isso diz também o Evangelho Segundo o Espiritismo: 

"Pouco lhe importa saber o que foi antes: se se vê punido, é que praticou o mal."

Ora, como podemos ser punidospor algo que sequer recordamos? E se praticamos o mal em determinado corpo, não deveríamos segundo ao que é justo sermos punidos no mesmo corpo? De outra forma, onde está o critério de justiça?
Veremos agora que de acordo com o Sagrado Alcorão e a tradição profética o ser humano saberá o porque está sendo punido ou recompensado. Isto sim está de acordo com o que é Justo.
Diz Deus no Alcorão:

"Será no dia em que Allah os ressuscitará a todos e os inteirará de tudo quanto tiverem feito. Allah o memoriza, enquanto eles o esquecem, porque Allah é Testemunha de tudo." (Sagrado Alcorão - 58:6).

Para abordarmos o assunto mais amplamente neste blog seriam necessários outras postagens a respeito, porém gostaríamos de deixar claro que não é nosso intuito de maneira alguma desrespeitar a Doutrina Espírita, mas fazer uma comparação entre esta e o Islam. Respeitamos a crença espírita, embora não concordemos com a mesma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário