sábado, 1 de outubro de 2011

Dia de Adoração Coletiva: Sexta, Sábado ou Domingo?

Esta semana estava passando próximo a uma banca de jornal, onde uma senhora escutava um programa gospel onde um Pastor dizia ser um absurdo o fato de hoje em dia termos igrejas evangélicas que passaram a ter o sábado como seu dia sagrado ao invés do domingo. O mesmo Pastor dizia que seus fiéis, estudavam o Antigo Testamento, mas que só seguiam o Novo. Isto nos despertou uma pergunta: Se os livros do A.T. deixaram de ser sagrados para os mesmos, por que continuam vindo em suas Bíblias? Por que os mesmos não utilizam então apenas o Novo Testamento? Porque estes tentam, sempre que lhes é conveniente, utilizar o Antigo Testamento como base para o Novo, como se de fato tivesse. Se o A.T. não é para ser seguido, por que motivo então continuam a usá-lo?
Mas isso não para por aqui, pois o referido clérigo diz que na verdade o dia que deve ser tomado como sagrado é o Domingo e não o Sábado.
Não muito raro perguntam para nós muçulmanos se não é inconveniente para nós ter como dia sagrado a Sexta-Feira. Se não seria melhor celebrar o sábado ou o domingo, por ser também fim de semana e todos estarem em casa, de folga de seu trabalho.
Bem,  na verdade  o conceito de fim semana é bem relativo, pois em diversos países ocidentais o domingo se tornou dia de descanso, em comunidades judaicas o sábado é o dia de descanso, e entre os muçulmanos, não temos um dia de descanso propriamente dito. Simplesmente por volta do meio-dia da sexta-feira, interrompemos nossas atividades comerciais para nos dirigirmos, sempre que possível, à  mesquita mais próxima para ouvirmos o sermão do nosso Sheikh ou Imam e participarmos da oração coletiva (e tudo isso dura em média uma hora), e depois retornamos às nossas atividades comerciais, pois diz Deus no Sagrado Alcorão:

"Ó crentes, quando fordes convocados para a Oração da Sexta-feira, recorrei à recordação de Allah e abandonai os vossos negócios, isso será preferível, se quereis saber. Porém, uma vez observada a oração, dispersai-vos pela terra e procurai as graças de Allah, e mencionais muito Allah, para que prospereis." (Sagrado Alcorão - 62:9-10).

Na verdade nós muçulmanos temos o nosso dia sagrado e de orações coletivas, primeiramente porque foi uma ordem decretada por Deus no Sagrado Alcorão, e segundo porque tanto a conotação do Sábado quanto a do domingo são Shirk (idolatria, politeísmo), pelos seguintes motivos:

O Sábado

Para os judeus, o sábado está prescrito na Torah (ou Pentateuco como chamado pelos cristãos) no seguinte ponto: 

"Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército. E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia e toda a sua obra que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera." (Gn.2:1-3).

No entanto para nós muçulmanos isso é uma grande ofensa à natureza de Deus, pois ele é Al Kadir (O Poderosíssimo) e não se cansa, como inclusive diz a própria Bíblia na seguinte passagem:

"Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da terra, nem se cansa , nem se fatiga?" (Is.40:28).

Ora, assim como a frase que é atribuída ao Profeta Isaías (A.S.), nós não podemos conceber como O Deus, Todo Poderoso, que originou todo o mundo através de Sua palavra pode se cansar.
Por isso é haram (pecado, proibido) para o muçulmano celebrar o Sábado como dia sagrado para descanso.

O Domingo

Símbolo Astrológico com
regência planetária dos dias
Os cristãos alegam ter o seu dia sagrado no Domingo porque Jesus (A.S.) ressuscitou neste dia, e porque ele próprio supostamente afirmou: "Porque o Filho do Homem é senhor do sábado." (Mt.12:8)
Ora, se os cristãos afirmam erroneamente que Jesus (A.S.) é Deus, não deveriam então adorá-lo no dia que seria dele? Neste caso o sábado?
Mas por que razão então o Domingo, (que ficou conhecido em português por vir da palavra latina Dominus - Senhor) passou a ser o dia em que os cristãos fazem seus cultos em homenagem a Jesus (A.S.)? Simples: Porque toda a igreja já havia adequado todos os seus ritos para que Jesus (A.S.), um Profeta e o Messias que seguia a Torah e o monoteísmo puro fosse confundido num sincretismo com o o então "deus Sol", chamado por vários nomes dentro de várias tradições, tal como Mitra.
Não é a toa que o natal, comemorado em 25 de dezembro, era em outrora a festa para o Sol Invictus, e não é sem propósito que o Domingo, chamado "Dia do Senhor" em latim é chamado em inglês de "Sunday", ou "Dia do Sol".
Para um melhor comparativo veja o símbolo astrológico ao lado que ilustra as regência planetária dos dias.

Sexta-Feira

Mimbar: Púlpito onde o Sheikh
ou Imam realiza o Sermão de Sexta-Feira
Analisemos agora por que razão os muçulmanos celebram seu dia sagrado, além da ordem já decretada por Deus no Sagrado Alcorão como  citamos acima:

"Abu Huraira relatou que o Profeta, que a paz e as bênçãos de Deus estejam com ele, disse: "O melhor dia em que o sol se levanta é a sexta-feira; nesse dia, Adão foi criado, entrou no Paraíso e foi expulso dele. E o último dia acontecerá em uma sexta-feira." O Profeta também disse sobre a sexta-feira: "Nós, que somos os últimos, seremos os primeiros no Dia da Ressurreição, exceto cada Ummah (nação) que recebeu o Livro antes de nós e nós que o recebemos depois delas. Foi neste dia (sexta-feira) que Deus nos prescreveu e nos orientou, e às gerações que virão depois nós, com relação a isto, os judeus observando o dia seguinte e os cristãos um dia depois daquele."

Eis então, os motivos porque não é recomendável para alguém que seja monoteísta e creia na onipotência de Deus tornar ou o sábado ou o domingo como dia especial de adoração sobre qualquer outro.

2 comentários:

  1. Cristo ressuscitou no sábado, não no Domingo!
    A ressurreição no Domingo é uma grande mentira

    http://luzdosabado.jimdo.com/

    Markus

    ResponderExcluir
  2. Salam Aleikum Markus
    Não é o que diz a Bíblia e nem a tradição cristã, uma vez que de acordo com as mesmas, ele foi morto na sexta-feira e ressuscitou no terceiro dia. O correto então seria ele ter ressuscitado na segunda-feira.
    Mas emfim, como muçulmanos, diante das evidências, não acreditamos nem em sua morte e nem em sua ressurreição, uma vez que só ressuscita quem morre, e este não é o caso do Messias Jesus, Filho de Maria.
    Ma Salam

    ResponderExcluir