quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Os Corruptores Contemporâneos das Escrituras

Copista medieval da Bíblia
"Ai daqueles que copiam o Livro (alterando-o) com as suas mãos, e então dizem: Isto emana de Allah, para negociá-lo a vil preço. Ai deles pelo que as suas mãos escreveram! E ai deles, pelo que lucraram!"  (Sagrado Alcorão 2:79)

"Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e, se alguém tirar qualquer quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, que estão escritas neste livro." (Bíblia Sagrada Almeida Revista e Corrigida - Sociedade Bíblica do Brasil - SBB - 2009 - Ap.22:18-19)

Caro leitor iniciamos com a Ayah do Sagrado Alcorão bem como com os versículos bíblicos acima pois ambos se encaixam perfeitamente no assunto que abordaremos neste artigo. 
Não é de hoje que os leitores do A Nova Cruzada sabem sobre o quanto a Bíblia, que é supostamente a palavra de Deus, vem sendo alterada com o passar do tempo, desde os primeiros séculos da era cristã até os dias de hoje. Porém cada vez mais tais farsas têm se tornado mais evidentes e descaradas. Talvez por influência do verdadeiro fundador do Cristianismo, Paulo de Tarso que dizia: 

"Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento, ou em verdade, nisto me regozijo e me regozijarei ainda." (Fp.1:18 - Bíblia Sagrada Almeida Revista e Corrigida - SBB - 2009).


Desta vez editoras cristãs como a Wycliffe Bible Translators e a Summer Institute of Linguistics estão mudando palavras na Bíblia para atrair muçulmanos, e por isso têm virado alvo de protestos e conflitos mesmo no meio cristão. Tais bíblias publicadas alteram a palavra "Pai" para "Senhor" e "Filho" ou "Filho de Deus" para "Messias". Para os editores esta é um forma de produzir uma Bíblia que seja mais "amigável aos muçulmanos". Tal fraude com o que creem (aliás creem?) ser a palavra de Deus ainda envolve outra publicação intitulada "Meaning of the Gospel of Christ" (Significado do Evangelho de Cristo), onde a palavra "Pai" é substituída por "Allah", e a palavra "Filho" é modificada ou eliminada. Um exemplo destas Bíblias "amigáveis aos muçulmanos" pode ser encontrado na passagem de Mateus 28:19 que é comumente escrita assim:


"Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo." (Mt.28:19 - Bíblia Sagrada Almeida Revista e Corrigida - SBB - 2009).


Agora vejamos como ficou na Bíblia planejada para enganar muçulmanos:


"Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, limpando-os com água em nome de Allah, o Messias e seu Espírito Santo".


No entanto lemos no Sagrado Alcorão:


Sagrado Alcorão
"Ó adeptos do Livro, não exagereis em vossa religião e não digais de Allah senão a verdade. O Messias Jesus, filho de Maria, foi tão somente um mensageiro de Allah e o Seu Verbo, com o qual Ele agraciou Maria por intermédio do Seu Espírito. Crede, pois, em Allah e em Seus mensageiros e não digais: Trindade! Abstende-vos disso, que será melhor para vós; sabei que Allah é Uno. Glorificado Seja! Longe está a hipótese de ter tido um filho. A Ele pertence tudo quanto há nos céus e na terra, e Allah é mais do que suficiente guardião." (Sagrado Alcorão - 4:171).


e também...


"São blasfemos aqueles que dizem: Allah é um da Trindade! porquanto não existe divindade alguma além do Allah Único. Se não desistirem de tudo quanto afirmam, um doloroso castigo açoitará os incrédulos entre eles." (Sagrado Alcorão - 5:73)


É importante dizer que tais bíblias, ainda mais falsificadas dos que as que circulam comumente por aí, têm como intuito  ludibriar, enganar o povo incauto, e inclusive já foram distribuídas em países como: Indonésia, Malásia e Bangladesh, onde a população muçulmana é a maioria.
Agora deixo uma reflexão para você leitor:  Será mesmo que uma religião que necessite recorrer a mentiras, a farsas, a fraudes e mentiras possui de fato a verdade? Será que ela pode acrescentar algo de positivo em sua espiritualidade e leva-lo a Deus? Será que uma religião que tem a falta de ética de corromper o seu próprio livro sagrado por interesses medíocres pessoais, financeiros e partidários pode ser de fato seguidora dos ensinamentos do Profeta Jesus? Pense e responda você mesmo.


Fonte de Pesquisa: http://noticias.gospelmais.com.br/editoras-mudam-biblia-muculmanos-protestos-30035.html

4 comentários:

  1. Não devemos julgar o cristianismo pelos atos cometidos por cristãos individuais. E isto vale para todas as religiões. Mas, no caso dessas bíblias, como o autor do artigo mesmo disse, muitas outras versões que têm sido editadas para atender a finalidades específicas têm sofrido duras críticas dos mais diversos setores do cristianismo e de eruditos cristãos. Isto acontece em todas as religiões do Livro. Não somente com os livros, mas com diversos outros símbolos da fé.

    Contudo, não se pode misturar a questão com a de uma suposta corrupção da Bíblia no seu conteúdo. Não apenas não existem evidências plausíveis de corrupção do texto bíblico, como seria completamente incoerente com a natureza do Deus que se revelou através das Escrituras não ter preservado providencialmente a Sua Palavra ao longo das gerações, e não obstante todas as tentativas de corrompê-la.

    Jesus e os apóstolos não precisaram corrigir nenhum texto do Antigo Testamento, o qual ficou durante mais de mil anos nas mãos de um povo que continuamente se apostatava da verdade e abandonava a Deus, e que teve de ser muitas vezes castigado. Antes, Ele e os Seus discípulos citaram as Escrituras profusamente em Seus sermões, epístolas e textos que vieram a constituir o Novo Testamento. Isto não é providência de Deus, como o próprio Jesus já disse em diversas ocasiões: "Em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido" (Mt 5.18), "É mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei" (Lc 16.17), "A Escritura não pode ser anulada" (Jo 10.34)? E, com respeito à Sua própria palavra: "O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar" (Mt 24.35).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Rodrigo

      Salam Aleikum (Que a paz esteja contigo)
      Você disse que "Mas, no caso dessas bíblias, como o autor do artigo mesmo disse, muitas outras versões que têm sido editadas para atender a finalidades específicas." Bem, é exatamente a partir daí que começa o grande problema e a adulteração da palavra originalmente revelada por Deus. Deus revelou a Torah, os Salmos e o Evangelho por exemplo exatamente como têm que ser. O problema está no ego humano de querer adaptar o que Deus disse, colocando-se dessa forma numa posição superior a de Deus. Ou seja, a mensagem de Deus tem que se adptar ao homem e não ao contrário.
      Depois você diz: "Isso acontece em todas as religiões do Livro". Exatamente. Ocorre no Cristianismo e ocorreu no Judaísmo. Porém o Islam teve o Alcorão Revelado, mas que permanece fiel até hoje a sua revelação original até mesmo em suas pausas, e em qualquer letra. Por que? Não existe hoje nenhum único livro da Bíblia que seja original e esteja ainda preservado desde que foi revelado. Existem porém exemplares do Sagrado Alcorão originais por exemplo em 3 museus no mundo: Alexandria (no Egito), Turquia e Uzbequistão. Onde estão os originais da Bíblia?
      Aí você continua: "Contudo, não se pode misturar a questão com a de uma suposta corrupção da Bíblia no seu conteúdo."
      Como se chama então o ato de modificar uma escritura divinamente revelada para "atender a finalidades específicas"?
      Depois você diz: "Não apenas não existem evidências plausíveis de corrupção do texto Bíblico, como seria completamente incoerente com a natureza do Deus que se revelou através das Escrituras não ter preservado providencialmente a Sua Palavra ao longo das gerações, e não obstante todas as tentativas e corrompê-la."

      Excluir
    2. Rodrigo, hoje em dia a informação está disponível a todos por diversos meios.Você têm livrarias quase que em todos os bairros, Bibliotecas como a Biblioteca Nacional, Internet e etc. Não buscar as informações é uma forma voluntária de cegueira. Lamento lhe dizer mas tais corrupções já têm inclusive provas acadêmicas e provas essas também já divulgadas não só por eles, mas também por grandes eruditos que são ou foram teólogos cristãos e etc. Um exemplo de um destes é Bart D. Ehman. E não só ele: Leia também o e-book: A Resposta Judaica aos Missionários, Brit Chadasha: Livro Inspirado?... Todos esses citados após o Bart D. Ehaman editados pelo movimento Judeus pelo Judaísmo. E tantos outros livros e autores eruditos. Além disso você pode ver sinais da corrupção na sua própria Bíblia. Já escrevi diversos artigos aqui mostrando alguns deles.
      Por último você colocou: "Jesus e os apóstolos não precisaram corrigir nenhum texto do Antigo Testamento. o qual ficou curante mais de mil anos nas mãos de um povo que continuamente se apostava (creio que que tenha querido dizer afastava ou então apostatava) da verdade e abandonava a Deus, e que teve de ser muitas vezes castigado. Antes, ele e os seus discípulos citaram as Escrituras profusamente em seus sermões." Gostaria de pegar essa última frase sua junto com a primeira. Na Primeira você disse: "Jesus e os apóstolos não precisaram corrigir nenhum texto do Antigo Testamento". Depois você diz: "Ele e os seus discípulos citaram as Escrituras profusamente em seus sermões". Vamos analisar isso à luz da razão? Afinal sigo o velho adágio que "contra fatos não há argumentos." Vejamos a seguinte passagem: Aconteceu que, ao passar num sábado pelas plantações, seus discípulos começaram a abrir caminhos arrancando as espigas. Os fariseus disseram-lhe: "Vê! Como fazem eles o que não é permitido fazer no sábado?" Ele respondeu: "Nunca leste o que fez Davi e seus companheiros quando necessitavam e tiveram fome, e como entrou na casa de Deus, no tempo do Sumo Sacerdote Abiatar, e comeu dos pães da proposição, que só os sacerdotes podem comer, e os deu também aos companheiros?" Então lhes dizia: "O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado; de modo que o Filho do Homem é senhor até do sábado". (Mc.2:23-28)

      Excluir
    3. Note primeiro que Jesus (que de acordo com a crença cristã era um rabino, judeu, e por isso versado nas escrituras) disse que Davi entrou no templo e comeu os pães no templo do Sacerdote Abiatar. Agora vejamos o fato na época de Davi:

      Davi chegou a Nob e foi ao sacerdote Aquimelec, que veio tremendo ao encontro de Davi e lhe perguntou: "Por que vieste sozinho e não há ninguém contigo? Davi respondeu ao sacerdote Aquimelec: "O rei me deu uma ordem e disse: 'Que ninguém saiba nada da missão à qual te envio e que te ordenei.' Quanto aos jovens, encontrei encontrei com eles em certo lugar. Agora, se tens cinco pães à mão, dá-mos, ou o que achares." O sacerdote respondeu a Davi: "Não tenho à mão pão comum, mas só pão consagrado - com a condição de que os teus jovens , não tenham tido contato com mulheres." Davi respondeu ao sacerdote: "Certamente, as mulheres nos foram proibidas, como sempre que parto em campanha, e as coisas dos homens conservam-se em estado de santidade. Trata-se de uma viagem profana, mas de fato, hoje eles mantêm em estado de santidade quanto à cosia". Então o sacerdote lhes deu o que havia sido consagrado, porque não havia outro pão, salvo os pães de oblação, os que se retiram de diante de Iahweh para serem substituídos por pão quente, quando aqueles são retirados." (1Sm.21:2-7).
      Note Rodrigo que de fato Jesus cita o Antigo Testamento, mas será que sendo ele versado nas escrituras, não sabia que o sacerdote da época de Davi era Aquimelec e não Abiatar? Ainda mais sendo Jesus um Profeta que recebia a revelação direta de Deus, ou ainda de acordo com a crença cristã, sendo o próprio Deus? Como ele desconhecia tal fato? E ainda queria dar lição de moral nos fariseus?
      Agora vamos para a última parte desse excerto do Evangelho Segundo Marcos: Então lhes dizia: "O Sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado". Essas passagens foram retiradas da Bíblia de Jerusalém da Editora Paulos, muito conhecida por teólogos como uma ótima Bíblia de Estudos. Vejamos a nota de roda-pé dela sobre esse último excerto:
      "Esse versículo, que não aparece em Mt e Lc, teria sido acrescentado por Mc numa época em que o novo espírito do cristianismo havia definitivamente relativizado a obrigação do sábado". Ou seja, note que foi Marcos que acrescentou e não Jesus que disse.
      Caro Rodrigo existem "N" provas hoje da corrupção evidente da Bíblia, basta estudar. A própria Bíblia de Jerusalém, A Torah Viva da Editora Mayanot, e etc. São outras boas fontes de estudo. Além de algumas outras fontes já citadas.
      Estude. Não tenha medo, pois foi o próprio Jesus que supostamente disse: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará". (Jo.8:32)

      Excluir