domingo, 23 de setembro de 2012

A Bebida Alcoólica Como Agente da Degradação Social


"Vedes esses animais embriagados com aguardente, imbecilizados pelo álcool, a quem o direito de beber sem limites foi dado ao mesmo tempo em que a liberdade. Não podemos permitir que os nossos se degradem a esse ponto... Os povos cristãos estão sendo embrutecidos pelas bebidas alcoólicas; sua juventude está embrutecida pelos estudos clássicos e pela devassidão precoce a que a impelem os nossos agentes, professores, criados, governantes de casas ricas, caixeiros, mulheres públicas onde cristãos se divertem. No número das últimas incluo também as mulheres de boa vontade, a devassidão e o luxo das perdidas." 

Do livro: Os  Protocolos dos Sábios de Sião

Hoje ao chegar ao ponto de ônibus para apanhá-lo e ir ao trabalho, deparei-me com a seguinte manchete em um jornal carioca: "ADOLESCENTES BEBEM TRÊS VEZES MAIS QUE SEUS PAIS". A matéria então continuava:

"Adolescentes consomem bebidas alcoólicas cada vez mais precocemente, com mais frequência e no triplo da quantidade que ingeriam na década de 80. Jovens experimentam álcool aos 13 anos de idade e não mais aos 16."

De acordo com as pesquisas realizadas o uso das bebidas alcoólicas tão precocemente tem sido porta de entrada também para outras drogas como: ecstasy, maconha, cocaína, gerando o vício não apenas do alcoolismo, mas também da dependência química de tais drogas associadas a energéticos.
No Rio de Janeiro a última pesquisa sobre saúde realizada em escolas públicas e privadas com quase 61.000 alunos, chegou a um triste resultado:  as meninas cariocas estão em terceiro lugar no ranking da experimentação do álcool: 79,4%, contra os meninos: 73,9%. Destes entrevistados 14% das meninas entre 13 e 15 anos bebem em casa, enquanto os meninos somam 11%.
Os males causados pelo álcool há séculos vêm sendo objeto de estudos da sociedade ocidental. Porém cada vez mais estão se tornando evidentes.
Campanhas como a "Lei Seca" no trânsito tentam tornar os cidadãos mais conscientes de seu consumo, assim como divisas em publicidades de cervejas, onde dizem: "Beba com moderação". No entanto existem outras áreas em que o uso do álcool tem prejudicado não somente aquele que o utiliza mas todos a sua volta. Esses são os casos: da violência doméstica, da proliferação dos moradores de rua, a degradação das famílias, gravidez precoce de mães solteiras, proliferação de DSTs, uma vez que muitos homens e mulheres ao se embriagarem partem para sexo casual.... além dos gastos com material hospitalar utilizados em vítimas de acidentes de trânsito gerados por alcoólatras.
Todavia há pouco mais de 14 séculos, Deus no Sagrado Alcorão disse:

"Ó vós que credes! O vinho (as bebidas alcoólicas de modo geral) e o jogo de azar e as pedras levantadas com nome dos ídolos e as varinhas da sorte não são senão abominação de Satã. Então evitai-as na esperança de serdes bem-aventurados". (Sagrado Alcorão - Surata da Mesa Provida 5:90)

Se observarmos o consumo do álcool não é meramente um passa-tempo inocente sem maiores consequências, mas um hábito nefasto que deve ser combatido através da lei, da informação e da conscientização coletiva.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Mulheres Muçulmanas Oprimidas? 3ª e Última Parte

Este é o último  da série de artigos intitulado: "Mulheres Muçulmanas Oprimidas?". Esta série responde à uma longa matéria publicada pela suposta pastora Maria Valda, em que a mesma se dedica em sua totalidade a difamar às mulheres muçulmanas e dar ao Islam um ar machista, antiquado e tirano. Porém se nos dois artigos anteriores mostramos ou a sua má fé ou o seu "equívoco", não faríamos o trabalho completo se não terminássemos de refutá-lo, ficando assim parecendo que algo do que ela abordou de fato é verídico, o que não é.
Passemos então para as mirabolantes e criativas citações de Maria Valda:

Maria Valda - É proibido qualquer tipo de "maquilhagem" (foram cortados os dedos a muitas mulheres por pintarem as unhas).

Mulher muçulmana sendo maquiada

Mulher muçulmana maquiada
ANC - É permitido à mulher muçulmana se maquiar, porém de uma forma discreta, para dar uma aparência saudável, e não como se fosse à uma boate. Quanto às unhas, não há proibição de pintá-las, apenas se recomenda cores mais discretas, porém antes de toda a oração devemos fazer a ablução, que consiste em lavar ordenadamente: mãos, boca, nariz, rosto, antebraços, passar as mãos molhadas na cabeça e orelhas, e lavar os pés. Porém se algumas dessas partes estiverem com alguma substância que não permita a passagem da água, como óleo ou como o esmalte no caso das unhas, a ablução é inválida, pois a água não chegou onde deveria, no caso do esmalte, as unhas. No entanto nada impede que ao ir à uma festa ela faça as unhas e ao chegar da mesma retire o esmalte para a próxima oração. Além do mais quando a mulher está em seu período menstrual, fica liberada das orações, podendo fazer súplicas a Deus. - Para um não muçulmano que seja cristão poderíamos chamar de reza, o que para nós seria a oração, e de súplica o que para eles seria a oração. Ou seja, se ela não vai realizar a oração pode durante o seu período mentrual permanecer com as unhas pintadas a seu gosto.

Maria Valda - É proibido falar ou apertar as mãos de estranhos;

Apresentando o Islam a um estranho na Bienal do Livro RJ
ANC - Caro leitor, pense: Se não é permitido para as mulheres apertar a mão de um homem estranho, é porque reciprocamente não é permitido a um homem apertar a mão de uma mulher estranha. Quanto a falar, se ambos estiverem em local público ou que haja uma terceira pessoa, não há qualquer problema. Inclusive mesmo homens e mulheres se cumprimentam (sem contato físico) com a saudação dos muçulmanos: Salam Aleikum (Que a paz esteja contigo).

Maria Valda - É proibido à mulher rir alto (nenhum estranho pode sequer ouvir a voz da mulher);


ANC - Ora, não há problema algum em um o homem ou mulher muçulmanos rirem se não for escandalosamente, afinal seguimos o exemplo dos profetas, e não vimos em parte alguma nem da Torah, nem dos Evangelhos e menos ainda do Sagrado Alcorão que algum dos Profetas fosse dado à gargalhadas. Porém se acordo com o Profeta Muhammad (S.A.S.) sorrir é uma caridade ao seu próximo.
Quanto a não ouvir a voz da mulher, como se imagina que na foto do item anterior a muçulmana em questão estava explicando Islam para o visitante que chegou ao stand? Por mímica?

Maria Valda - É proibido usar saltos altos que possam produzir sons enquanto andam, já que nenhum homem pode ouvir os passos de uma mulher;

ANC - Primeiro não entendemos o porque que a senhora Maria Valda ache que deva ser feito alarde com seus saltos quando uma mulher está passando. Segundo não há a tal proibição como ela quer fazer crer. É permissível o uso de sapatos com saltos medindo a sua altura com até quatro dedos da mulher que irá usá-lo, pois de outra forma sensualizará o andar da mesma provocando o rebolado.

Maria Valda - A mulher não pode usar táxi sem a companhia do marido, pai ou irmão;

Mulher saudita pegando táxi com os filhos
ANC - Se é proibido, onde está o marido, pai ou irmão da mulher acima que está pegando o táxi apenas com seus filhos?

Maria Valda - É proibida a presença de mulheres em rádios, televisão, ou qualquer outro meio de comunicação;

Repórter da TV Al Jazira
ANC - Vendo a imagem acima, é necessário se falar algo mais?

Maria Valda - É proibida andar de bicicleta ou motocicleta, mesmo com os seus "maharams";



ANC - Não é permitido às muçulmanas andarem de bicicleta? Como se chama os veículos acima que as mesmas estão guiando?

Maria Valda - É proibido o uso de roupas que sejam coloridas, ou seja, "que tenham cores sexualmente atraentes;


ANC - Proibidas roupas coloridas?

Maria Valda - Os transportes públicos são divididos em dois tipos, para homens e para mulheres, pois os dois não podem viajar no mesmo;


ANC - Senhora Maria Valda, este é um vídeo de um ônibus que utilizamos durante nossa peregrinação à cidade de Meca, na Arábia Saudita. Nós da equipe do A Nova Cruzada, eu, Omar Israfil Dawud Bin Ibrahim e minha esposa Fatimha Bint Maryam estamos à direita do vídeo. Eu estou atrás da senhora de hijab (véu) branco, e Fatimah está ao meu lado. Como pode-se notar, há homens e mulheres no mesmo banco, então não só essa como todas as suas outras teorias mirabolantes caem por terra.

Maria Valda - É proibida a participação de mulheres em festividades;


ANC - Note no vídeo acima em um Almoço das Famílias na Mesquita da Luz no Rio de Janeiro a presença de mulheres. O Almoço das famílias uma vez que reúne toda a nossa comunidade para um momento de descontração e interação não deixa de ser uma festividade, onde muçulmanos e seus convidados participam, sejam estes muçulmanos ou não.

Maria Valda - É proibido o uso de calças compridas mesmo debaixo do véu.


Fatimah de Calça comprida em Dubai
Maria Valda - As mulheres estão proibidas de lavar roupas nos rios ou locais públicos;


ANC - Em qual ayah (versículo) do Alcorão ou em qual Hadice (ditos do Profeta Muhammad [S.A.S.]) a senhora tomou isso por base? E qual a classificação de tal hadice?


Maria Valda - As mulheres não se podem deixar fotografar ou filmar;


ANC - E de onde onde vieram todas as fotos e vídeos que apresentamos nesse artigo?


Maria Valda - Todos os lugares com a palavra "mulher" devem substitui-la, por exemplo: O Jardim da Mulher deve passar a chamar Jardim da Primavera;



ANC - Ora Maria Valda, será isso verdade, uma vez que Allah revelou uma Sura inteira para as mulheres, sendo que essa se chama Sura das Mulheres? Se somos muçulmanos e seguimos o Alcorão que foi revelado por Deus, e Ele em Seu Livro, colocou a palavra Mulheres diversas vezes inclusive nomeando toda uma Sura, por que para nós é proibido? Será que encontramos à mesma consideração às mulheres na Bíblia?

Maria Valda - Fotografias de mulheres não podem ser impressas em jornais, livros ou revistas, ou penduradas em casas e lojas.


ANC - De onde a senhora acha que as fotos desses artigos foram tiradas?

Maria Valda - As mulheres são proibidas de aparecer nas varandas de suas casas;


ANC - Um tanto incoerente, a senhora não acha? Uma vez que já provamos que as mulheres podem sair às ruas sozinhas, estudar, trabalhar e tudo mais, por que motivo não poderiam aparecer nas varandas de suas casa?

Maria Valda - O testemunho de uma mulher vale metade do testemunho masculino;

ANC - "Ó fiéis, quando contrairdes uma dívida por tempo fixo, documentai-a; e que um escriba, na vossa presença, ponha-a fielmente por escrito(128); que nenhum escriba se negue a escrever, como Deus lhe ensinou(129). Que o devedor dite, e que tema a Deus, seu Senhor, e nada omita dele (o contrato). Porém, se o devedor for insensato, ou inapto, ou estiver incapacitado a ditar, que seu procurador dite fielmente, por ele. Chamai duas testemunhas masculinas de vossa preferência, a fim de que, se uma delas se esquecer, a outra recordará. Que as testemunhas não se neguem, quando forem requisitadas. Não desdenheis documentar a dívida, seja pequena ou grande, até ao seu vencimento. Este proceder é o mais eqüitativo aos olhos de Deus, o mais válido para o testemunho e o mais adequado para evitar dúvidas. Tratando-se de comércio determinado, feito de mão em mão, não incorrereis em falta se não o documentardes. Apelai para testemunhas quando mercadejardes, e que o escriba e as testemunhas não seja coagidos; se os coagirdes, cometereis delito. Temei a Deus e Ele vos instruirá, porque é Onisciente(130)" (Sagrado Alcorão 2:282)

Segundo o Sheikh Aminuddin Mohamad, os que criticam o Islam baseando-se nessa ayah, argumentam que em matéria de evidência e testemunho, o Islam considera duas mulheres equivalentes a um homem. E tentam assim mostrar que há discriminação e que a mulher no Islam é considerada inferior. Contudo esta observação é absolutamente errada e sem fundamento. Por isso é aconselhável que aprofundemos as questões. No entanto mais não nos alongarmos demasiadamente, daremos aqui um único exemplo, dentre centenas deles de que o testemunho da mulher em diversos casos equivale ao do homem.
Consta num hadice narrado por Wail Ibn Hujr que no tempo do Profeta (S.A.S.) uma mulher saiu da sua casa com a intenção de ir orar (na mesquita). No caminho, um homem arrastou-a e a estuprou. Ela gritou mas o homem já tinha fugido. A seguir ela passou por um grupo de Muhájirins (companheiros do Profeta emigrantes de Meca para Medina) e disse: "Aquele homem me estuprou". Então eles agarraram o homem e levaram-no perante o Profeta (S.A.S.). O Profeta disse para a mulher: "Podes ir porque Deus perdoou-te, e ordenou que o homem fosse morto apedrejado até a morte".
Como pode se observar, este homem foi punido por ter estuprado uma mulher, portanto, condenado sob o testemunho de uma só mulher.
Como já dissemos existem inúmeros casos que poderíamos citar, mas tornaríamos esse artigo demasiadamente enfadonho.

Maria Valda - Todas as janelas devem ser pintadas de modo que as mulheres não sejam vistas dentro de casa por quem estiver fora.

ANC - Bem, não sei em que época a senhora Maria Valda vive, mas gostaríamos de informá-la que já há alguns séculos que as cortinas foram inventadas, não sendo necessário se pintar os vidros das janelas.
Quanto a questão de que as mulheres não sejam vistas de fora, cremos que seja um tanto lógico, pois se as mesmas só podem aparecer sem o hijab diante de seus familiares mais próximos (pai, tio, irmão, marido, filhos e sobrinhos), por que a mesma gostaria de aparecer para os demais transeuntes que passam pelas ruas? Além do mais dependendo do cômodo, não creio que a senhora Maria Valda e as mulheres de sua família troquem de roupa sem fechar as cortinas de janelas que possam supostamente dar visão da rua. Não é mesmo?

Maria Valda - É proibido às mulheres cantar;


Maria Valda - Os alfaiates são proibidos de costurar roupas para mulheres;

ANC - Quem então costura tais roupas se de acordo com a senhora Maria Valda a mulher não pode trabalhar, sair de casa e etc.?

Maria Valda - É completamente proibido assistir a filmes, televisão ou vídeo;

ANC - Se mulheres muçulmanas foram à ruas protestar contra o filme que difama o Profeta Muhammad (S.A.S.) como pode ser visto aqui , como se imagina que elas tomaram conhecimento do mesmo? Não teria sido por ter assistido os noticiários ou mesmo por terem visto o tal filme? Alem do mais, para quem são feitos filmes como "A Grande Viagem" e "A Mensagem"?

Maria Valda - As mulheres são proibidas de usar as casas de banho públicas (apesar da maioria não ter casa de banho em casa);

ANC - Com tal resposta chegamos a conclusão que de fato Maria Valda vive na idade das pedras, ou então em algum lugar muito remoto como alguma tribo indígena não descoberta, pois hoje na maioria dos países do mundo por mais primitivo que seja existe um banheiro nas casas, mesmo que do lado de fora como ocorrer ainda hoje em alguns lugares mesmo do interior do Brasil.

Depois de tudo isso Maria Valda termina:

"Nós somos livres, graças a Deus, mas muitas de nós não aproveitamos essa liberdade! Aliás nem sabemos usá-la!"

De todo o artigo esta é a única frase que concordamos com Maria Valda. Realmente não sabem usar a liberdade, pois a usam para denegrir outras religiões quando sequer conseguem compreender e seguir o seu próprio livro sagrado, sendo necessário difamar a religião alheia seguindo os passos de Paulo de Tarso e não do Profeta Jesus (A.S.). Se soubesse usar a verdadeira liberdade seguiriam voluntariamente os ensinamentos que Allah (Deus) deixou por meio de Jesus (A.S.). No entanto são merecedoras das palavras atribuídas a este mesmo Profeta quando disse:

"Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando.
Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que devorais as casas das viúvas, sob pretexto de prolongadas orações; por isso sofrereis mais rigoroso juízo.
Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós.
Ai de vós, condutores cegos! pois que dizeis: Qualquer que jurar pelo templo, isso nada é; mas o que jurar pelo ouro do templo, esse é devedor.
Insensatos e cegos! Pois qual é maior: o ouro, ou o templo, que santifica o ouro?
E aquele que jurar pelo altar isso nada é; mas aquele que jurar pela oferta que está sobre o altar, esse é devedor.
Insensatos e cegos! Pois qual é maior: a oferta, ou o altar, que santifica a oferta?"
(Mateus 23:13-19)

"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.
Condutores cegos! que coais um mosquito e engolis um camelo.
Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que limpais o exterior do copo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de iniqüidade.
Fariseu cego! limpa primeiro o interior do copo e do prato, para que também o exterior fique limpo.
Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia.
Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade.
Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que edificais os sepulcros dos profetas e adornais os monumentos dos justos,
E dizeis: Se existíssemos no tempo de nossos pais, nunca nos associaríamos com eles para derramar o sangue dos profetas.
Assim, vós mesmos testificais que sois filhos dos que mataram os profetas.
Enchei vós, pois, a medida de vossos pais.
Serpentes, raça de víboras! como escapareis da condenação do inferno? "
(Mateus 23:23-33)

domingo, 16 de setembro de 2012

Mulheres Muçulmanas Oprimidas? 2ª Parte

Caro Leitor do A Nova Cruzada

Em 24 de junho de 2012 postamos uma matéria intitulada "Mulheres Muçulmanas Oprimidas? - 1ª Parte". Nela falávamos de uma suposta Pastora neopentecostal que postou - não sabíamos a princípio se levada por pura ignorância ou má fé - um artigo em que dizia verdadeiros absurdos sobre as mulheres muçulmanas. Bem característico daquelas pessoas que não se dão ao trabalho de pesquisar, e assim preferem divulgar seus preconceitos como se fossem arautos nomeados diretamente por Deus, estando acima de toda e qualquer criatura.
Bem, o fato é que não sabíamos como dito anteriormente se o conteúdo da postagem da tal pastora era devido à sua ignorância sobre o assunto ou a má fé. No entanto ao percebermos que a mesma mudou o link de abril de 2012 (como pode ser visto aqui) para que o link que havíamos colocado em nosso blog não a encontrasse mais, mudando então para o mês de setembro (como pode ser visto aqui) então cremos que a sua motivação real ficou muito clara.
O fato é que em nossa "Nota de Esclarecimento", dissemos que não poderíamos dar continuidade a postagem, pela mesma ter sido retirado, mas como falado nesta nota, a verdade sempre vem para a luz, e acabamos encontrando a dita matéria e descobrimos com isso o "truque" de Maria Valda.
Por este motivo e já tendo esclarecido estes aspectos obscuros, voltemos às refutações. Esperamos porém que Maria Valda não tente novamente fazer tal coisa, pois não fica bem para uma "líder religiosa (?)" agir de tal forma.
Sigamos então para as refutações:

Maria Valda - É obrigatório o uso do véu completo ("burca"), que cobre a mulher dos pés à cabeça;

Mulher de Hijab
ANC - Como em agosto de 2010 já foi postada em nosso blog uma matéria de Fatimah Bint Maryam intitulada "Afinal, Que Roupa é Essa?", cremos que seja desnecessário explicar a Srª Maria Valda que a Burqa é um traje típico de países como o Afeganistão e Paquistão, e está mais ligado à cultura local que ao Islam propriamente dito, uma vez que à mulher muçulmana é permitido por Deus no Sagrado Alcorão e na Sunnah do Profeta Muhammad (S.A.S.) mostrar o rosto, as mãos e os pés. No entanto a burqa não seixa ver sequer os olhos.
É então proibido para uma muçulmana usar burqa? Não. Porque ela pode fazer no que diz respeito às vestes, além do que Deus ordenou, nunca menos. Mas a burqa é obrigatória? Não. O obrigatório é o hijab, ou seja, neste caso, o véu que deixa o rosto de fora e chega a cobrir a mulher até a altura dos seios. Para maiores informações aconselhamos a senhora Maria Valda a ler a matéria.

Maria Valda - É permitido chicotear, bater ou agredir verbalmente as mulheres que não usarem as roupas adequadas (burqa) ou desobedeçam a uma ordem talibã;

ANC - Levando em consideração que o nosso exemplo de conduta mais completo é o do Profeta Muhammad (S.A.S.), seria estranho a religião ensinar algo ao contrário do que ele próprio tenha ensinado. Porém são dele as seguintes frases:

"Aqueles que batem nas suas mulheres não são boas pessoas."

"Tratai-as da melhor forma e chamai-as pelos melhores apelidos (carinhosos)."

Agora quanto ao Talibã, pensemos da seguinte forma: Seria correto atribuirmos a todo o Cristianismo Protestante os crimes cometidos por Jim Jones, um pastor que matou quase 1.000 pessoas devido aos seus delírios religiosos? Se a resposta for não, por que com o Islam a regra seria diferente? E em todos os demais países onde existe o Islam e não há o Talibã, a que grupo nós muçulmanos da Indonésia, Europa, Américas e etc. seguimos? Uma teoria no mínimo insana pensar de outra forma, digna daqueles que ou preferem permanecer na ignorância, ou querem levar às pessoas à ignorância.

Maria Valda - É permitido chicotear mulheres em público se não estiverem com os calcanhares cobertos;

ANC - A esse respeito basta que o leitor retorne ao item acima e leia as frases do Profeta Muhammad (S.A.S.).


Maria Valda - É permitido atirar pedras publicamente à mulheres que tenham tido sexo fora do casamento, ou que sejam suspeitas de tal;

ANC - Ora, Maria Valda, toda lei que se preze tem por base a divisa "Todos são inocentes até que se prove o contrário". Sendo assim a suspeita não é o suficiente para o recebimento da pena. Bem, pelo menos no Sagrado Alcorão, na Sunnah do Profeta Muhammad (S.A.S.), enfim, no Islam. Já na Bíblia não podemos dizer o mesmo, pois nela lemos:

Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo:
Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando a mulher de alguém se desviar, e transgredir contra ele,
De maneira que algum homem se tenha deitado com ela, e for oculto aos olhos de seu marido, e ela o tiver ocultado, havendo-se ela contaminado, e contra ela não houver testemunha, e no feito não for apanhada,
E o espírito de ciúmes vier sobre ele, e de sua mulher tiver ciúmes, por ela se haver contaminado, ou sobre ele vier o espírito de ciúmes, e de sua mulher tiver ciúmes, não se havendo ela contaminado,
Então aquele homem trará a sua mulher perante o sacerdote, e juntamente trará a sua oferta por ela; uma décima de efa de farinha de cevada, sobre a qual não deitará azeite, nem sobre ela porá incenso, porquanto é oferta de alimentos por ciúmes, oferta memorativa, que traz a iniqüidade em memória.
E o sacerdote a fará chegar, e a porá perante a face do SENHOR.
E o sacerdote tomará água santa num vaso de barro; também tomará o sacerdote do pó que houver no chão do tabernáculo, e o deitará na água.
Então o sacerdote apresentará a mulher perante o SENHOR, e descobrirá a cabeça da mulher; e a oferta memorativa, que é a oferta por ciúmes, porá sobre as suas mãos, e a água amarga, que traz consigo a maldição, estará na mão do sacerdote.
E o sacerdote a fará jurar, e dirá àquela mulher: Se ninguém contigo se deitou, e se não te apartaste de teu marido pela imundícia, destas águas amargas, amaldiçoantes, serás livre.
Mas, se te apartaste de teu marido, e te contaminaste, e algum homem, fora de teu marido, se deitou contigo,
Então o sacerdote fará jurar à mulher com o juramento da maldição; e o sacerdote dirá à mulher: O SENHOR te ponha por maldição e por praga no meio do teu povo, fazendo-te o SENHOR consumir a tua coxa e inchar o teu ventre.
E esta água amaldiçoante entre nas tuas entranhas, para te fazer inchar o ventre, e te fazer consumir a coxa. Então a mulher dirá: Amém, Amém.
Depois o sacerdote escreverá estas mesmas maldições num livro, e com a água amarga as apagará.
E a água amarga, amaldiçoante, dará a beber à mulher, e a água amaldiçoante entrará nela para amargurar.
E o sacerdote tomará a oferta por ciúmes da mão da mulher, e moverá a oferta perante o SENHOR; e a oferecerá sobre o altar.
Também o sacerdote tomará um punhado da oferta memorativa, e sobre o altar a queimará; e depois dará a beber a água à mulher.
E, havendo-lhe dado a beber aquela água, será que, se ela se tiver contaminado, e contra seu marido tiver transgredido, a água amaldiçoante entrará nela para amargura, e o seu ventre se inchará, e consumirá a sua coxa; e aquela mulher será por maldição no meio do seu povo.
E, se a mulher se não tiver contaminado, mas estiver limpa, então será livre, e conceberá filhos.
Esta é a lei dos ciúmes, quando a mulher, em poder de seu marido, se desviar e for contaminada;
Ou quando sobre o homem vier o espírito de ciúmes, e tiver ciúmes de sua mulher, apresente a mulher perante o SENHOR, e o sacerdote nela execute toda esta lei.
E o homem será livre da iniqüidade, porém a mulher levará a sua iniqüidade." 
(Nm. 5:11-31)


Ou seja, o simples ciúme e desconfiança era o suficiente para fazer a mulher passar por toda essa situação vexatória.
Quanto ao Islam Maria Valda, não há pena para a mulher adúltera, mas a pena para adúlteros de ambos os sexos. E sim, a pena de morte no Islam para o adultério é o apedrejamento público até à morte de ambos, o homem e a mulher que cometeram o ato.
Acha isso desumano, primitivo? Como imaginamos que por se dizer cristã a Srª Maria Valda deva seguir a Bíblia, vejamos o que ela ordena para o crime de adultério:

"Se um homem tomar uma mulher por esposa, e, tendo coabitado com ela, vier a desprezá-la,
e lhe atribuir coisas escandalosas, e contra ela divulgar má fama, dizendo: Tomei esta mulher e, quando me cheguei a ela, não achei nela os sinais da virgindade;
então o pai e a mãe da moça tomarão os sinais da virgindade da moça, e os levarão aos anciãos da cidade, à porta;
e o pai da moça dirá aos anciãos: Eu dei minha filha por mulher a este homem, e agora ele a despreza,
e eis que lhe atribuiu coisas escandalosas, dizendo: Não achei na tua filha os sinais da virgindade; porém eis aqui os sinais da virgindade de minha filha. E eles estenderão a roupa diante dos anciãos da cidade.
Então os anciãos daquela cidade, tomando o homem, o castigarão,
e, multando-o em cem siclos de prata, os darão ao pai da moça, porquanto divulgou má fama sobre uma virgem de Israel. Ela ficará sendo sua mulher, e ele por todos os seus dias não poderá repudiá-la.
Se, porém, esta acusação for confirmada, não se achando na moça os sinais da virgindade,
levarão a moça à porta da casa de seu pai, e os homens da sua cidade a apedrejarão até que morra; porque fez loucura em Israel, prostituindo-se na casa de seu pai. Assim exterminarás o mal do meio de ti.
Se um homem for encontrado deitado com mulher que tenha marido, morrerão ambos, o homem que se tiver deitado com a mulher, e a mulher. Assim exterminarás o mal de Israel.
Se houver moça virgem desposada e um homem a achar na cidade, e se deitar com ela,
trareis ambos à porta daquela cidade, e os apedrejareis até que morram: a moça, porquanto não gritou na cidade, e o homem, porquanto humilhou a mulher do seu próximo. Assim exterminarás o mal do meio de ti." 
(Dt. 22:13-24)

Precisamos dizer mais alguma coisa a esse respeito?

Como a postagem da Srª Maria Valda é de fato extensa resolvemos dividí-la em 3 partes, porém agora com toda a matéria salva.

[CONTINUA]


sábado, 15 de setembro de 2012

Ataque aos Profetas

Muçulmanos vão às ruas protestar contra filme
Na última semana o filme norte-americano que difama o Profeta Muhammad (S.A.S.) tem sido por razões óbvias, alvo dos mais severos protestos em todo meio islâmico. Muçulmanos têm ido às ruas, postam mensagens nas redes sociais e etc. Nós do A Nova Cruzada somos a favor de toda essa mobilização. No entanto somos contra qualquer ato de violência ou vandalismo usando este fato como motivo.
Tais protestos têm levantado rigorosas críticas dos inimigos do Islam. Os mesmos dizem que somos radicais, que fazemos "tempestade em copo d'água" e e tudo mais. Mas será que ofender um Profeta, um Enviado de Deus não é nada demais? Será que devemos simplesmente deixar por isso mesmo? Tenho a certeza que muitos dirão que sim. Ora, mas se é assim, por que há pouco tempo quando no Brasil o ator Renato Aragão  expôs a ideia de lançar um filme intitulado "O Segundo Filho de Deus", tantos cristãos se levantaram contra, fazendo inclusive manifestações populares nas ruas e igualmente nas redes sociais? Não seria isso então radicalismo também? Então se assim for, por que criticam a nós muçulmanos?
Renato Aragão
Vale lembrar que quando começaram a postar no Facebook uma campanha contra o filme de Renato Aragão muitos muçulmanos, incluindo nós do A Nova Cruzada compartilhamos e participamos de tal campanha. Talvez então você possa perguntar: "Por que se vocês não são cristãos?". Pelo simples fato de que para nós muçulmanos, Jesus (Que a paz de Deus esteja sobre ele) é: um Profeta de Deus, um Enviado de Deus, o Verbo de Deus e o Messias, e todo aquele que descrê nele, não pode ser muçulmano. Sendo assim os muçulmanos brasileiros foram parte ativa neste processo, e a mídia divulgou que apenas os protestantes conseguiram forças para impedir a produção e exibição do filme.
Diante de tudo isso podemos dizer que nós muçulmanos sempre estaremos de pé, em prontidão para combater dentro dos princípios legais àqueles que se dispuserem a atacar, difamar ou vilipendiar qualquer dos Profetas.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Nota de Esclarecimento

Caro Leitor

Devido a uma fase um tanto quanto turbulenta na vida pessoal dos membros da equipe do A Nova Cruzada,  passamos alguns meses realizando apenas uma atualização mensal, e no mês de agosto passado sequer o pudemos fazê-lo. É a primeira vez que ficamos um mês sem qualquer atualização. Insha'Allah (Se Deus quiser) a única.
Havíamos prometido na postagem passada intitulada "Mulheres Muçulmanas Oprimidas? 1ª Parte" que postaríamos uma segunda parte, mas imaginem a nossa surpresa ao visitarmos neste mês o blog da suposta Pastora Maria Valda P. Nascimento para continuarmos o nosso trabalho de refutação das acusações da mesma contra o Islam relativo às mulheres muçulmanas e constatarmos que a mesma retirou tal artigo. Ora! Por que retirá-lo se de acordo com ela o mesmo era verídico? Só podemos concluir como já dissemos tantas vezes aqui que foi apenas mais uma tentativa infeliz de usar a mentira para divulgar a sua fé, como ensinado por Paulo de Tarso quando disse:

“Mas que importa? De qualquer maneira - ou com segundas intenções ou sinceramente – Cristo é proclamado, e com isso me regozijo”. (Fl.1:18).

Se esquecem porém do que Jesus (A.S.) supostamente disse:

“Vós sois do diabo, vosso pai, e quereis realizar os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio e não permaneceu na verdade, porque nele não há verdade: quando ele mente, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira”. (Jo.8:44).

Mas se querem recorre a Bíblia, tal atitude pode ser perfeitamente explicada pelo Evangelho Segundo João que diz: 

"... A luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem erguidas as suas obras. Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus". (Jo.3:19-21)

Se as afirmações feitas pela supracitada senhora eram verídicas, porque ocultá-las nas trevas e nas brumas quando a sua refutação as trouxeram à luz?
Pense...