domingo, 23 de setembro de 2012

A Bebida Alcoólica Como Agente da Degradação Social


"Vedes esses animais embriagados com aguardente, imbecilizados pelo álcool, a quem o direito de beber sem limites foi dado ao mesmo tempo em que a liberdade. Não podemos permitir que os nossos se degradem a esse ponto... Os povos cristãos estão sendo embrutecidos pelas bebidas alcoólicas; sua juventude está embrutecida pelos estudos clássicos e pela devassidão precoce a que a impelem os nossos agentes, professores, criados, governantes de casas ricas, caixeiros, mulheres públicas onde cristãos se divertem. No número das últimas incluo também as mulheres de boa vontade, a devassidão e o luxo das perdidas." 

Do livro: Os  Protocolos dos Sábios de Sião

Hoje ao chegar ao ponto de ônibus para apanhá-lo e ir ao trabalho, deparei-me com a seguinte manchete em um jornal carioca: "ADOLESCENTES BEBEM TRÊS VEZES MAIS QUE SEUS PAIS". A matéria então continuava:

"Adolescentes consomem bebidas alcoólicas cada vez mais precocemente, com mais frequência e no triplo da quantidade que ingeriam na década de 80. Jovens experimentam álcool aos 13 anos de idade e não mais aos 16."

De acordo com as pesquisas realizadas o uso das bebidas alcoólicas tão precocemente tem sido porta de entrada também para outras drogas como: ecstasy, maconha, cocaína, gerando o vício não apenas do alcoolismo, mas também da dependência química de tais drogas associadas a energéticos.
No Rio de Janeiro a última pesquisa sobre saúde realizada em escolas públicas e privadas com quase 61.000 alunos, chegou a um triste resultado:  as meninas cariocas estão em terceiro lugar no ranking da experimentação do álcool: 79,4%, contra os meninos: 73,9%. Destes entrevistados 14% das meninas entre 13 e 15 anos bebem em casa, enquanto os meninos somam 11%.
Os males causados pelo álcool há séculos vêm sendo objeto de estudos da sociedade ocidental. Porém cada vez mais estão se tornando evidentes.
Campanhas como a "Lei Seca" no trânsito tentam tornar os cidadãos mais conscientes de seu consumo, assim como divisas em publicidades de cervejas, onde dizem: "Beba com moderação". No entanto existem outras áreas em que o uso do álcool tem prejudicado não somente aquele que o utiliza mas todos a sua volta. Esses são os casos: da violência doméstica, da proliferação dos moradores de rua, a degradação das famílias, gravidez precoce de mães solteiras, proliferação de DSTs, uma vez que muitos homens e mulheres ao se embriagarem partem para sexo casual.... além dos gastos com material hospitalar utilizados em vítimas de acidentes de trânsito gerados por alcoólatras.
Todavia há pouco mais de 14 séculos, Deus no Sagrado Alcorão disse:

"Ó vós que credes! O vinho (as bebidas alcoólicas de modo geral) e o jogo de azar e as pedras levantadas com nome dos ídolos e as varinhas da sorte não são senão abominação de Satã. Então evitai-as na esperança de serdes bem-aventurados". (Sagrado Alcorão - Surata da Mesa Provida 5:90)

Se observarmos o consumo do álcool não é meramente um passa-tempo inocente sem maiores consequências, mas um hábito nefasto que deve ser combatido através da lei, da informação e da conscientização coletiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário